10 curiosidades sobre a Bíblia

Continuando na sua titânica, insofismável e inquebrantável missão de aumentar a cultura (inútil) dos seus leitores, o Depokafé apresenta agora uma lista com dez curiosidades sobre a Bíblia que você não pode deixar de saber. Afinal, já são mais de 26 milhões de evangélicos no Brasil – os católicos são quase 125 milhões mas eles tem fama (as vezes merecida) de não conhecer muito de Bíblia – então você precisa ter assunto para conversar com toda essa gente. Além do mais, como eu já previ, a invasão da blogosfera pelos evangélicos está só começando…então é bom estar preparado.

Obviamente que essa lista parte do princípio que o leitor sabe o mínimo indispensável sobre a Bíblia. Portanto, se você dormia nas aulas de catecismo ou faltava na escola dominical, é bom rever os seus conceitos.

1 – Lucas de Antioquia, ou São Lucas, para os católicos, é o único autor não judeu da Bíblia. Lucas era grego, médico (não por acaso ele é o santo padroeiro dos médicos e o dia da sua festa é o dia dos médicos) e companheiro de Paulo em suas viagens missionárias. É também autor do único evangelho que tem uma continuação – o Ato dos Apóstolos.

2 – O Apocalipse de São João quase não entrou na lista de livros “autorizados” da Bíblia. No começo ele competiu com o Apocalipse de São Pedro e chegou a ser retirado do cânon bíblico Foi preciso muita briga para inclui-lo de volta, a contragosto do bispo de Roma, no Concílio de Cartago em 397.

3 – Outros livros contestados e que acabaram ficando de fora da Bíblia na última hora são a Epístola a Regino, o Pastor de Hermes, a Epístola aos Laodicenses, entre outros. Além do Apocalipse de São João, conseguiram uma vaga na última hora a Epístola aos Hebreus (veja abaixo), a 2ª Epístola de Pedro, a 2ª e a 3ª Epístolas de João e a Epístola de Judas.

4 – Todos os estudiosos modernos da Bíblia concordam que a Epístola aos Hebreus não é obra de São Paulo, apesar de ter sido incluída como tal na Bíblia. Seu provável autor é Apolo, um pregador vindo de Alexandria e que parece ter rivalizado com Paulo na pregação missionária. Há também quem ache que a epístola é obra de Lucas, mas não faz nenhum sentido um grego escrevendo uma epístola aos hebreus.

5 – Na Epístola aos Colossenses Paulo cita uma carta que haveria sido escrita para os fiéis da Laodicéia, mas a carta nunca foi encontrada. Uma versão acabou sendo recusada para entrar na lista oficial de livros da Bíblia pelo já citado Concílio de Cartago.

6 – Depois do Concílio de Cartago, a Bíblia “oficial” passou a ter 76 livros. Na esteira da Reforma Protestante o Concílio de Trento retirou três livros (2 e 3 Esdras e a Oração de Manasses) e a Bíblia católica passou a contar com 73 livros.

7 – A Bíblia protestante e evangélica tem 66 livros. No Novo Testamento não há diferenças, e no Antigo Testamento os cismáticos (com os chamam os católicos) não consideram como inspirados Tobias, Judite, I Macabeus, II Macabeus, Sabedoria, Eclesiástico (Ben Sira ou Sirácida) e Baruque (com a carta de Jeremais junto) além de trechos em grego dos livros de Ester e Daniel, e de uma diferença na contagem dos Salmos.

8 – Na 2ª Epístola aos Corintios Paulo diz que tem um “espinho na carne” enviado para Deus para que ele não se vangloriasse. Há quem ache que Paulo tivesse algum defeito físico ou uma doença crônica. Isso, explicaria, a propósito, porque o médico Lucas fazia parte da comitiva de Paulo…

9 – Os evangelhos de Marcos, Mateus e Lucas tem várias passagens em comum, como se um tivesse copiado o outro. Há duas hipóteses para explicar isso: ou os três bateram um papo animado depois de um dia de pregação e acabaram compartilhando material ou eles tiveram acesso a uma fonte comum. Essa fonte poderia ser o famoso manuscrito Q (Q é oriundo da palavra alemã Quelle , que significa “fonte”) que supostamente seria um registro das palavras e atos de Jesus compilados em primeira mão por um dos seus discípulos ou ouvintes.

10 – Depois do suicídio de Judas Iscariotes, os apóstolos decidiram escolher outro pessoa para completar o número de 12 apóstolos. Entre 120 pessoas, a disputa ficou entre José, o Justo e Matias, que acabou sendo escolhido por sorteio a se juntar aos outros onze apóstolos.

About these ads
Marcado com: , ,
Publicado em Religião
85 comentários em “10 curiosidades sobre a Bíblia
  1. Daladier Lima disse:

    Gostei da sua preocupação com a “invasão evangélica”. Mas fique calmo, porque nostalgia é um sentimento recorrente. Tenho um pastor amigo meu, que trabalhava na Usina São José, nos idos de 1940-50, quando sua bíblia foi tomada à força e queimada.
    Ou seja, isto não acontece mais, os evangélicos estão crescendo (apesar de também duvidar da qualidade, mas antes ser evangélico do que católico ou agnóstico) e nós estamos na blogosfera, como qualquer outro grupo de livre pensamento. Quem discordar, poderá apenas assistir o desenlace desta história. É um momento histórico, com certeza!

  2. Daladier Lima disse:

    Ah! Ia esquecendo. Seu post sobre as 10 curiosidades da Bíblia está muito bom, pena que já o tenha lido em 2001, quando iniciei na web.

  3. Henderson disse:

    Não me diga, meu caro ! Me diga onde foi, para eu citar a fonte…

  4. luana disse:

    ola meu nome è luna gosto muito de vcs porque vcs náo váo deixar que os crentes derrube os cristáos

  5. argos disse:

    espinho na carne ( há quem ache , e o que voce acha , achar , quem sabe ,talvez ,são palavras que não levam a definição nenhuma gostaria que fosse mais especifico ) a própria bíblia já define espinho na carne , á saber um mensageiro de satánas para me esbofetear, a fim de não me exaltar .

  6. luci disse:

    meus amigos crente e todo aquele que crê,cristão e todo aquele que se denomina seguidor de cristo.Católico e também quem crê.Portanto um evangelico pode se considerar católico porquê crê,apostolico porquê vem dos apostolos e cristão porquê vem de cristo.A verdadeira religião chama se JESUS CRISTO e ela somente existe dentro de cada um de nos.concentre-se em fazer o que e bom perante o senhor e se desvenciliar do mal sem julgar o que e certo e errado pois isso não cabe a nós.

  7. Henderson disse:

    Argos, meu caro, você acredita que realmente um demônio (um ser físico ou espiritual, que o seja) subia das profundezas do Inferno e esbofeteava a cara de São Paulo toda vez que ele se tornava arrogante demais ?

    Cuidado com interpretações literais da Bíblia, meu caro…

  8. argos disse:

    ou a gente acredita nas sãs palavras escritas pelo apostolo, ou vale tudo, porque quem vai poder dizer que roubar ou matar é errado ,se á gente tem esses padroes de comportamento de algum lugar a gente tirou, e foi da biblia agora quando a gente quer fugir do assunto, não tratar o assunto da forma que ele merece, ficar brincando com o que é sagrado, acredito eu que a gente está a se esconder de alguma coisa, lembre-se crer não é para qualquer um e sim para os filhos. ate mais

  9. Henderson disse:

    Não entendi o que você quis dizer, meu caro Argos.

  10. gleicy disse:

    vc não entende nada de cristianismo,pois adoram imagens,isso é pecado diante de Deus.Eu já fui católica e me arrependo amargamente pois os padre não me ensinava a verdadeira palavra de cristo jesus a salvação redentora de jesus.Vc tem que esplicar a verdade da palavra enquantos muitos estão sendo enganados pelo
    falso evangelho que é a idolatria isso leva ao inferno.
    1 mandamento
    Amar a Deus acima de todas as coisas…..Fique cientes disso,somente adorar a jesus e não maria.

  11. Henderson disse:

    Nós somos católicos ? Onde você viu isso, minha cara Gleicy ?

  12. pedro disse:

    Discutam o quanto quiserem, só nunca esqueçam Jeus ama todos nós

  13. Edu disse:

    Meus amigos, ao invés de falar de religião, por que não aproveitam a oportunidade para falar do amor do Senhor Jesus por nós. Em Atos 4:12 diz que em nenhum outro há salvação, nem debaixo do céu, nenhum outro nome dado entre os homens pelo qual devamos ser salvos, ou seja, só Jesus Cristo transforma o homem e o faz cidadão do céu. Ap 21:8 diz que ficarão de fora os tímidos, incrédulos, abomináveis, homicidas, fornicadores, feiticeiros, IDÓLATRAS e todos os que amam e cometem a mentira, mas, Jo 1:12 diz que mas, a todos que O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus. Condição: aceitar Jesus como único Senhor e Salvador. Portanto, vamos viver a Palavra ao invés de nos complicarmos com coisas superfluas. Jesus nos ama e isto é suficiente para O aceitarmos e ama-lo com todo o coração

  14. Leka disse:

    hahaha…como vcs são engraçados….tem certeza que são os evangélicos que não leem a biblia?!ou são vcs….que tem até que colocar em um site dez curiosidades sobre a biblia…para o pessoal ter o que conversar…hahaha……vcs julgam que sabem tanto mais são incapazes de ler a palavra VERDADEIRA de DEUS e entende-la….como um grave erro que vcs cometem que é o de adorar imagens e esculturas a biblia é bem clara em relação a isso….em Isaías 44:17;18 diz….17Então do resto faz para si um deus, uma imagem de escultura; ajoelha-se diante dela, prostra-se, e lhe dirige a sua súplica dizendo: Livra-me porquanto tu és o meu deus.
    18 Nada sabem, nem entendem; porque se lhe untaram os olhos, para que não vejam, e o coração, para que não entendam.
    _______________________________________________________

    olhem para isso infiéis o que diz em Isaías 45:20;21 e tirem a venda que esta fechando os seus olhos

    20 Congregai-vos, e vinde; chegai-vos juntos, os que escapastes das nações; nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar.
    21 Anunciai e apresentai as razões: tomai conselho todos juntos. Quem mostrou isso desde a antigüidade? quem de há muito o anunciou? Porventura não sou eu, o Senhor? Pois não há outro Deus senão eu; Deus justo e Salvador não há além de mim.

    NÃO FOI MARIA QUE MORREU POR VOCÊS NAQUELA CRUZ…FOI O SANGUE DO FILHO UNIGÊNITO DE DEUS QUE FOI DERRAMADO POR VCS…..E AGORA OLHA SÓ COMO VCS AGRADECEM…AO INVÉS DE ADORAR AO CRIADOR FICAM ADORANDO A CRIATURAS….ADORANDO PESSOAS QUE NÃO SÃO VERDADEIRAMENTE SANTAS. PQ A PARTIR DO MOMENTO QUE ALGUÉM PISA NESSA TERRA JÁ É PECADOR, POIS FOI CONCEBIDO EM ATO DE PECADO, RELAÇÃO CARNAL ENTRE HOMEM E MULHER. ENTÃO COMO PODEM DIZER QUE OS SEUS “santos” DA VIDA. ELES SÃO SANTOS PQ?NUNCA PECARAM?DEUS OS FEZ DIFERENTE DO RESTO DA HUMANIDADE?PQ DEUS MESMO DIZ QUE SOMOS TODOS PECADORES REMIDOS PELO SANGUE DE CRISTO. O UNICO SANTO É DEUS.PQ O UNICO SANTO Q PISOU NESSA TERRA FOI JESUS FILHO DO ESPIRITO SANTO DE DEUS. MARIA SERVIU COMO VASO NA MÃO DE DEUS PARA CONCEBER JESUS. FOI O ESPIRITO SANTO DE DEUS Q COLOCOU JESUS NO VENTRE DE MARIA. E MARIA APENAS ACEITOU O PEDIDO DE DEUS. ENTÃO PAREM DE COLOCAR O NOME DE MARIA NO MEIO DE SUAS REZAS POR REPETIDAS VEZES POIS ELA MESMA SE DIZIA SERVA DE DEUS. VCS PENSAM QUE POR REZAR 20X AVE MARIA….VCS SERÃO OUVIDOS POR DEUS?! DEUS QUER INTIMIDADE, ELE QUER ORAÇÃO(DIALOGO) E N FICAR LA REPETINDO A MESMA COISA MIL VEZES…ISSO N ACRESCENTA EM NADA. POR ISSO O Nº DE EVANGÉLICOS CRESCE CADA VEZ MAIS NO BRASIL PQ AS PESSOAS PERCEBEM QUE PODEM ADORAR SOMENTE A DEUS DO QUE FICAR SE AJOELHANDO EM FRENTE DE IMAGEM DE ESCULTURA FEITA POR MÃO DE HOMENS E Q NÃO OUVEM NÃO FALAM E NADA FAZEM!
    FIQUEM NA PAZ DO SENHOR NOSSO DEUS E UNICO PAI!

  15. Henderson disse:

    Leka, além de não ter entendido o texto – está escrito que os católicos não lêem muito a Bíblia – você ainda está começando uma flame war por causa de um texto inofensivo como esse.

    Isso tem nome: chama-se mania de perseguição. Só porque a Igreja primitiva era perseguida os neo-pentecostais adoram se fazer de perseguidos também. Isso é patético.

    Eu juro que não entendo porque um texto inocente como esse causa tanta polêmica. Cheguei a pensar que o problema era comigo, mas percebi que a mania de perseguição neo-pentecostal está atingindo extremos hoje em dia. Uma pena.

  16. Pedro disse:

    Sinceramente é uma pena que nós católicos tenhamos que ainda ouvir este tipo de discurso completamente ultrapassado. Acredito que as pessoas de outras religiões devem se respeitarem entre si e além de tudo respeitarem os costumes de outros que não tem a mesma. É a velha história de que “NADA NOS CONVENCE MAIS DO QUE NOSSO PRÓPRIO PONTO DE VISTA”. Acredito que a nossa amiga ainda não entendeu o que muitos da própria religião dela já entenderam. Nós católicos, NÃO ADORAMOS UMA IMAGEM. Nós veneramos o que ela REPRESENTA. Nós aceitamos MARIA, como MÃE de JESUS, sim, e uma das pessoas mais importantes da história e fé cristã. Quando fazemos nossas procissões, com nossas imagens sacras, estamos unidos em multidão adorando JESUS FILHO DE DEUS, e não a imagem carregada pelas pessoas, de gesso. Gostamos dessas representações, isso são nossos ícones sagrados. O que é pecado e repudiado por DEUS na Bíblia Sagrada, é a veneração a objetos e a superstição a tais objetos, como amuletos e outros afins, por exemplo ter a figa como obejto de sorte. Reconhecemos a nossa igreja Católica como a igreja deixada por JESUS e erguida sobre a pedra por PEDRO. Infelizmente na idade média houve muitas perseguições e desvios partocinados pela igreja católica, o que fez crescer o protestantismo através de Martinho Lutero. Era um grito de desespero contra os desmandos da igreja católica. Acontece que isso foi na Idade média e tudo o que se podia fazer para afastar a credibilidade da igreja católica era feito. Não vamos repetir então um discurso que já ficou velho há mais de 500 anos. Vamos viver em paz com nossas crenças e religiões. O que importa é sentir bem fazendo parte da religião que for. sinta-se bem com sua religião, deixemos os católicos sentir-se bem com nossa religião e vivamos em paz unidos por um só DEUS.

    Que DEUS vos abençoe e que tenhamos todos: negros, brancos, amarelos, protestantes, católicos, budistas…

    Uma semana de paz, amor e acima de tudo FRATERNIDADE.

  17. Henderson disse:

    Olha Pedro, geralmente eu vejo entre os católicos muito mais tolerância do que vejo entre os neo-pentecostais. O que não deixa de ser irônico: estou sendo criticado por um texto em que faço livre interpretação da Bíblia, que foi um dos pilares do começo do protestantismo, do qual os neo-pentecostais de hoje em dia nada mais são do que filhos bastardos. Como a vida dá voltas, não ?

  18. Pedro disse:

    Caro Henderson, aprecio muito seus estudos e aprendo muito com eles. Você faz um estudo antropológico com vistas arqueológicas da Biblia. Muito pelo contrário, não te critico por seus estudos. Incentivo. Continue. Devemos sim saber mais sobre a Bilbia História. Gostaria sim de ler mais sobre ela e ter essa visão arqueológica.

  19. gabriela disse:

    Lindo me emocionei com tudo isso :’)

  20. gostei muito dessa página ,aprecio muito esses estudos e aprendo muito com eles

  21. josé disse:

    Hederson como você convencido brincadeira!!!!!!!

  22. Vitoria de souza melllo disse:

    Bom dia,
    meu nome é vitoria eu tenho 12 anos e estou na 6 serie.Estudo em um colegio catolico em são áulo(colegio franciscano joão XXIII).O professor de esncino religioso passou um trabalho para a minha turma sobre a biblia.O seu site me ajudou muirto na construção do trabalho.Eu tenho certeza que irei tirar um 10 bem grande!
    Obrigado por ler o meu E-mail e pela atenção!
    BEIJOS!

  23. Henderson disse:

    Fico feliz em ajudar, Vitória. Volte sempre.

  24. CARLOS disse:

    FICO FELIZ EM LER ESSES ASSUNTO DE MEUS IRMÃOS , É SINAL QUE ESTÃO LENDO A BÍBLIA POIS É ELA QUE NOS MOSTRA O CAMINHO A SEGUIR PARA ENCONTRARMOS COM JESUS CRISTO NAQUELE GRANDE DIA , MAS AO INVÉS DE FICAREM SE DEGRADIANDO , OREIS UNS PELOS OUTROS, E DEUS OS ABENÇOARA GRANDEMENTE . NÃO IMPORTA QUEM SABE MAIS SIM QUEM QUARDA A PALAVRA NO CORAÇÃO, ESTA ESCRITO NO LIVRO DE JOÃO CAP. 14 VERS. 21- 24.

  25. Adrina disse:

    Henderson, gostei muito do post!

  26. Cássia disse:

    Gostei, também, Henderson.
    Valeu!

  27. rui torres da silva disse:

    só jesus cristo salva…

  28. "Maior dos pecadores" disse:

    Todos pecaram e carecem da GLÓRIA “Kabod” (pesada/densa/real) de Deus….Vocês precisam é mesmo do Dunamys (poder) de Deus ai acaba toda vã filosofia de fraternidade, blá bla´blá e “respeito” pelos fulanos e ciclnos (que mais me parece com sincretismo”…
    .arrependei-vos e CONVERTEI-VOS….senão o bicho vai pegar feio pro lado de “vocês” (ou melhor, todos nós)! Abraços

  29. Leka disse:

    eu entendi mto bem, quem não quer entender é vc henderson!

  30. Leka disse:

    Pedro em obedecer a Palavra de Deus e agradar a vc e ao resto do mundo com o seu “respeito entre religiões” eu prefiro obedecer a Deus e agradar somente a Ele. Agora se vc se sentiu ofendido com o meu “discurso” eu sinto mto, pq Jesus nos mandou pregar o evangelho da forma em que ele deixou para que pregassemos, e não da forma em que os Romanos querem que ele seje pregado.Quem esta ultrapassado aki é vc, em não conhecer uma verdade escrita a mais de 2000 anos…E se vc desconhece a Palavra de Deus eu sinto mto por vc só me resta orar pela sua vida. Fica na Paz de Deus

  31. Henderson disse:

    Que lindo. Estou levando bordoada porque alguém não é capaz de interpretar um texto simples…e viva o Brasil !

  32. Alan Victor disse:

    è assim mesmo caro companheiro de Blog. Criticam as imagens, mas não levam em conta que o proprio Deus, em varias passagens da biblia indicou, solicitou, ordenou e/ou mandou que seus profetas construissem imagens.
    Afinal, não pdoemos chamar de outra coisas as imagens de anjos e carneiros na arca na aliança…
    Ou então a cobra de bronze, que além de ser utilizada como adorno, tinha um proposito: Todos que fossem picados por uma serpente, olhavam pra ela e estavam curados. Tudo isso, escrito e documentado na biblia, como ordem do senhor.
    Agora se me criticarem por não citar os versiculos\capitulos, não os cito mesmo. A biblia não foi escrita em capitulos e versiculos, e foi erroneamente dividida dessa forma, afinal, alguem ai já viu Jesus citar um versiculo da biblia. Elel citava passagens inteiras, e nem falava onde, falava apenas nas escrituras.

  33. Pedro disse:

    Isso aí caro Alan Victor.
    Há os que conhecem e os que fanatizam.
    Há os que desconhecem e se fecham na própria ignorância.
    Segundo o próprio Jesus Cristo, se alguma pesso se nega em conhecer, deixe e até o pó dos chinelos deve ser retirado.

  34. bruno disse:

    meu nome eh bruno tenho 15 anos ,gostei do seu blog ,eh sempre bom saber mais sobre a biblia.De minha parte desaprovo o fato de discutirmos,ate agracivamente,a palavra de DEUS.

    quanto as imagens uma vez ouvi meu colega dizer q a resposta mais simples eh uma pergunta … vc tem foto de parentes mortos em casa ?

    pois a resposta eh simples a foto de parentes mortos eh o msm signficado das imagens,lembrar,lembrar do que essas pessoas fizeram e tentar seguir seus exemplos que provam que msm em pecado ainda somos capazes de obter a santidade em DEUS

    alguns catolicos ainda possuem o habito de por a maum em imagens
    por moedas e tudo mais
    mas cabe aos que tiveram a oprtunidade de entender o significado esplicar

    e cabe a quem tem duvida perguntar e naum agir com agrecividade
    pois naum devemos eskecer que msm com religioes diferentes somos todos irmauns em CRISTO

    e um pai desaprova a atitude de filhos se ofenderem…

    muito obrigado

    que possamos todos co-existir em paz e crendo no nosso SENHOR

  35. Henderson disse:

    Tenho notado, não sei se é impressão minha, que a geração mais jovem dos neo-pentecostais parece ser mais tolerante do que a atual. Tomara que eu esteja certo.
    Volte sempre, Bruno.

  36. Álvaro José de Barros Lima disse:

    Bonito – PE , 28 de novembro de 2008 anno Domini

    Sou Álvaro , tenho 15 anos e nuper-mestre da Escola Bíblica Dominical da Igreja Evangélica Assembleia de Deus (estudei Latim e Grego ) ; fiquei feliz em saber que As Sagradas Escrituras são motivo de discussão ; pois isto demonstra que estão lendo – a e , se interessando nelas . Está ocorrendo um despertamento , o qual houve também na época de Lutero, por parte , principalmente da juventude em interpretá-las corretamente e discorrer sobre os diferentes pontos de vista adquiridos pela interpretação pessoal delas , logicamente auxiliados sempre pela Igreja .

    Segue a vós , o meu parecer sobre :

    A Mariolatria

    Leitura Bíblica :

    Lucas 1.26-31, 34,35, 37, 38

    Introdução

    I. O Que é Mariolatria?

    II. As Glórias de Maria.

    III. Maria na Liturgia do Catolicismo.

    IV. Outras Tentativas de Divinizar Maria.

    Conclusão

    Tema deste Subsídio
    A Verdade sobre Maria “ Mãe de Deus “ .

    Autor
    José Gonçalves da Costa Gomes – Ministro evangélico no Piauí, conferencista, articulista dos periódicos da CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus ) , formado em Teologia e Filosofia, professor de grego, hebraico, Teologia Sistemática e Religiões Comparadas, membro da Comissão de Apologia da CGADB ( Convenção Geral das Assembleias de Deus ) .

    Palavras-chaves
    Mariolatria; Teologia Mariana; Marianismo; Dogmas; Antimariólatra; Teologia Mariana; Co-redentora.

    Introdução
    No Nordeste brasileiro, onde a tradição católica é mais forte, os evangélicos são constantemente acusados de não gostarem da mãe de Jesus. É evidente que essa acusação é improcedente, o oposto dela é a verdade, pois os evangélicos são os que realmente dão à mãe do Salvador o lugar que a ela é atribuído pelas Escrituras.

    O que nós não podemos aceitar é que, fora do terreno bíblico, alguém se invista de autoridade para contradizer o ensino canônico da Bíblia Sagrada, mesmo que esse alguém seja uma reconhecida autoridade eclesiástica, como o foi Irineu, Agostinho ou mesmo um gênio do pensamento ocidental como Tomás de Aquino. Precisamos distinguir o bíblico do não bíblico, separar o joio do trigo.

    1. O Espírito Santo e Maria – Contradições na teologia romanista.

    O cardeal belga Leon Joseph Suenens está consciente da grande dificuldade em reconciliar católicos romanos e protestantes. A maior dificuldade, segundo ele, gira justamente em torno do culto a Maria. Para os católicos romanos, esse culto já se tornou um dogma, enquanto os protestantes sabem que não passa de uma forma de paganismo, uma vez que não tem fundamentação bíblica.

    Em um de seus livros, Suenens escreveu um capítulo que intitulou de O Espírito Santo e Maria. Nele, procura com muita perspicácia tornar bíblico o marianismo. Suenens, que era um “ecumenista” fervoroso, demonstrava conhecer o espírito antimariólatra reinante no protestantismo:

    ” Para que se veja melhor o lugar de Maria no seio da renovação pneumatológica, devemos tomar consciência daquilo que influenciou desfavoravelmente os nossos irmãos protestantes em relação a Maria. Para muitos deles, a posição católica parecia desconhecer a função do Espírito Santo e, por conseguinte, a única mediação de Cristo. Não há dúvida de que a sua hesitação tem ainda outras fontes como certos exageros de teologia ou de piedade popular ao verem que se atribui a Maria aquilo que, a seus olhos, depende do Espírito Santo (…) não estão longe de julgar que colocamos Maria quase no lugar do Espírito Santo, e isso entrava o diálogo ecumênico sobre este ponto, bloqueando o caminho para a unidade. ”

    É a partir desse ponto que Suenens se propõe a revelar uma teologia mariana, que seria a grande síntese daquilo que dizem os católicos romanos com aquilo que creem os protestantes. Em palavras mais simples, uma teologia mariana que agradaria a gregos e a troianos.

    Quero frisar algumas das frases ditas por Suenens, com relação ao posicionamento dos protestantes com respeito à teologia católica, todavia corrigindo alguns termos usados pelo líder carismático:

    1) Desconhecimento da Função do Espírito Santo. A posição católica romana não parece desconhecer, mas de facto desconhece a função do Espírito Santo. Isto é revelado nas palavras dos seus próprios teólogos. O padre carismático S. Falvo diz em um de seus livros que “será Maria quem revelará Jesus nas páginas de seu livro”. Ele atribui à mãe do Salvador o papel de agente da revelação. Ao afirmar nas páginas de seu livro, que Maria seria quem revelaria Jesus, ele colocou sobre a mãe do Salvador uma função que ela nunca reivindicou para si, e que é uma das atribuições do Espírito Santo: “Quando, porém, vier o Consolador (o Espírito Santo), que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim” (Jo 15.26). Em outro texto as Escrituras afirmam: “Quando porém vier o Espírito da Verdade, Ele vos guiará a toda a verdade; por que não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará as cousas que hão de vir. Ele me glorificará porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar” (Jo 16.13-14). Paulo tinha plena consciência de que a fonte da revelação estava no Espírito Santo: “Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as cousas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus” (1 Co 2.10).

    Estes textos não deixam dúvidas que o agente da revelação, e quem, portanto, revela Jesus, é o Espírito Santo.

    2) Mediação de Cristo. A posição católica romana não parece desconhecer, mas de facto desconhece a única mediação de Cristo. Em uma recente reportagem intitulada Maria está no meio de nós, datada de 25/7/2001, a revista Istoé mostra o esforço que a Renovação Católica Carismática vem mantendo no sentido de tornar dogma a crença romanista que diz ser Maria “co-redentora, mediadora de todas as graças e advogada do povo de Deus”.

    Ao falar da “poderosa intercessão (de Maria) a favor de todos os filhos seus”, o também carismático padre Salvador Carrillo Alday atropela o texto bíblico de 1 Timóteo 2.5: “Porquanto há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”.

    3) O culto mariólatra não é apenas das massas. Não é somente no catolicismo romano popular (das massas) que se atribui a Maria o papel que é devido somente à Trindade. Tanto Agostinho, quanto Tomás de Aquino e Antônio Vieira, e mais recentemente muitos carismáticos, fizeram uma verdadeira apologia ao culto mariano. O culto à pessoa de Maria é generalizado e não somente entre os mais incultos. O padre Antônio Vieira, um dos sacerdotes mais cultos do catolicismo romano, faz um resgate histórico das palavras de vários pensadores, a fim de dar interpretação do que significa “o nome Maria para a igreja de Roma”:

    Letra M – “Mãe de Deus digna do digno, formosa do formoso, pura do incorrupto. M, Maria que desceu do Céu, e com um manjar mais suave que o mel sustenta a todo o mundo. M, Mão direita de Cristo, a qual Ele estende para levantar a sua graça a todos os caídos. M, Mar Vermelho, que afogou o místico Faraó, isto é, o Demônio. M, Mediadora para o mediador, que é Cristo para com o Padre, e Maria com Cristo. M, Milagre dos milagres, e o maior de todos os milagres”.

    Letra A – “Árvore da vida, que só foi digna de dar o fruto da saúde eterna. A, Adjutório do Altíssimo, por que Maria ajudou e ajuda a Cristo a salvar o gênero humano. A, Arca do Testamento, na qual estiveram encerrados todos os mistérios arcanos da divindade. A, Alabastro do ungüento de nossa santificação. A, Aula da universal propiciação, em que se concedem os perdões a todos os pecadores”.

    Letra R – “Rainha, cujo reino fundado na Terra, e consumado no Céu, é de potência inexpugnável. R, Razão única e total de todas nossas esperanças. R, Raiz não só da glória, mas de todos os bens ainda desta vida. R, Recreação e alívio potentíssimo de todos os afligidos. R, Reparadora das ruínas de Eva, que assim como por ela entrou no mundo a morte, por Maria se restituísse a vida. R, Rosa do paraíso do Céu”.

    Letra I – “Idéia digna da divindade. I, Íris, sinal de paz e clemência; porque pondo Deus os olhos em Maria, como prometeu do antigo arco celeste, desiste dos castigos que merecem os pecados do mundo. I, Inventora magnífica da graça. I, Intercessora imperial que não rogando como serva, mas mandando como Senhora, impetra do Tribunal Divino quanto procura. I, Ímã, ou magnete eficacíssima, a qual, como aquela pedra atrai o ferro, assim Maria atrai e traz a Deus os duros corações dos pecadores”.

    Letra A – Neste ponto, comenta Vieira: “Só nos resta a última letra, que é o segundo A, e posto que do primeiro dissemos tão excelentes prerrogativas, ainda são maiores as que agora ouvireis: A, Arca de Noé. A, Antídoto da vida contra o veneno de Eva. A, Âncora firmíssima de todas as nossas esperanças no mar tempestuoso deste mundo. A, Atlante do Céu e da Terra, os quais já se tiveram arruinado, se Maria com o poder de sua intercessão os não sustentara. A, Agregado de todas as graças em si mesma, e para conosco.” Depois de tudo isso, será que a mariolatria é própria apenas do “povão”?

    4) O catolicismo substitui o Espírito por Maria. O catolicismo romano não coloca Maria quase no lugar do Espírito Santo, mas no lugar mesmo. No seu livro Aprendendo a dizer sim com Maria, o padre carismático Marcelo Rossi diz:

    Aqui veremos o que fazer para ter contato maior com nossa mãe, que, em todos os momentos, por sua intercessão, nos guarda em seu coração e nos conduz à santidade.

    Além de atribuir o papel de intercessora a Maria, função esta que é exclusivamente de Cristo, como já vimos, Rossi também atribui à mãe do Salvador a função de santificadora, que, segundo as Escrituras, é uma das funções do Espírito Santo: “Entretanto, devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados pelo Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade” (1 Ts 2.13). “Eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo, graça e paz vos sejam multiplicadas” (1 Pe 1.2). Estes textos bíblicos não deixam dúvidas de que a santificação é uma obra do Espírito Santo.

    Observamos, pois, que aquilo que o catolicismo romano diz acerca da mãe de Jesus não tem fundamentação bíblica. Vejamos agora o que as Escrituras dizem sobre ela.

    2. O que diz a Bíblia sobre Maria?

    1) Era da linhagem de Davi (Lc 3);

    2) Era uma virgem por ocasião da visita do anjo: “…a uma virgem desposada com um varão cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria” (Lc 1.27);

    3) Foi agraciada por Deus ao ser escolhida para ser a mãe do Salvador: “Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus” (Lc 1.30);

    4) Concebeu do Espírito Santo: “E, projetando ele isso, eis que, em sonho, lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo” (Mt 1.20).

    5) Foi a mãe de Cristo Jesus: “…e Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama o Cristo” (Mt 1.16).

    6) Teve outros filhos além de Jesus:
    “Não é este o filho do carpinteiro? E não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, e José, e Simão, e Judas?” (Mt 13.55; Mc 6.3). “Depois disso, desceu a Cafarnaum, ele e sua mãe, e seus irmãos, e seus discípulos, e ficaram ali não muitos dias” (Jo 2.12).

    7) Servia a Deus: “Disse, então, Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela” (Lc 1.38).

    8) Era devota ao Senhor: “Disse, então, Maria: A minha alma engrandece ao Senhor” (Lc 1.46).

    9) Necessitou de um Salvador: “E disse Maria: a minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegrou em Deus meu Salvador” (Lc 1.46-47).

    10) Era feliz pelas cousas que Jesus realizava: “José e Maria se maravilharam das coisas que dele se diziam” (Lc 2.33).

    11) Mandou fazer tudo o que Jesus dissesse: “Sua mãe disse aos empregados: Fazei tudo quanto ele vos disser” (Jo 2.5).

    12) Estava presente por ocasião da crucificação de Jesus. “E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena” (Jo 19.25).

    13) Ficou aos cuidados de João após a morte e ressurreição de Jesus: “Depois, disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa” (Jo 19.27).

    14) Estava reunida com os apóstolos por ocasião da descida do Espírito Santo no Dia de Pentecostes: “Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com seus irmãos” (At 1.14).

    Estes são textos bíblicos sobre Maria, a mãe de Jesus Cristo. Em nenhum deles encontramos ela reivindicando ser a medianeira, a co-redentora, ou mesmo buscando ser venerada. Aliás, em nenhum texto das Escrituras encontramos os apóstolos e os crentes da Igreja Primitiva defendendo esse ensino.

    3. Dogmas equivocados

    O dogma da perpétua virgindade de Maria afirma que a mãe de Jesus manteve sua virgindade mesmo depois do parto. No terreno bíblico não há nenhum elemento que nos permita afirmar que Maria manteve-se sempre virgem. Saindo da Bíblia, existe apenas a literatura apócrifa que defende essa idéia. Elas afirmam que, mesmo depois do parto, a mãe de Jesus permaneceu virgem. Esse ensino é posteriormente defendido por Agostinho e Tomás de Aquino.

    Fora da visão bíblica, a idéia comum era associar sexo com pecado. Assim sendo, Maria, após ter gerado Jesus, Jamais poderia ter contato sexual com homem algum, mesmo que esse homem fosse José, seu marido. Mantendo-se virgem mesmo depois do parto, Maria também não poderia ter gerado outros filhos.

    3.1. Agostinho.

    É interessante observarmos como Agostinho (354–430 d.C.), um dos mais famosos Pais da Igreja, distorce a interpretação de Ezequiel 44.2, conforme cita Tomás de Aquino:

    Que significa a porta fechada na Casa do Senhor, senão que Maria sempre será intacta? E que significa a expressão ‘nenhum homem passará por ela’, senão que José não a conhecerá? E ‘só o Senhor entrará e sairá por ela’, senão que o Espírito Santo a fecundará e dela nascerá o Senhor dos anjos? E que significa ‘estará eternamente fechada’, senão que Maria será virgem antes, durante e depois do parto? (Suma Teológica, pág.3746).

    Tal exegese carece de apoio bíblico.

    3.2. Origem apócrifa.

    Se esta doutrina católica romana não tem fundamentação bíblica, qual, pois, a sua origem? O erudito J. Stafford Wright responde:

    A idéia (da perpétua virgindade de Maria) aparece pela primeira vez no Proto-evangelho de Tiago (um apócrifo escrito provavelmente em fins do século 2d.C.), e, depois disto, surge em vários escritores, e.g. João Damasco (de fide Orthodoxa 4,15) e Bernardo (Sermo de Virginis Nativitate 4) (Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, Edições Vida Nova).

    Como vemos, o dogma que sustenta que Maria se manteve sempre virgem não se apóia nas Escrituras, mas na literatura apócrifa e na tradição.

    A Bíblia não fala da perpétua virgindade de Maria, como alegam os teólogos romanistas. Comenta Wreight:

    Esta doutrina presta homenagem à idéia da virgindade perpétua da Bendita Virgem Maria, mas enfrenta dificuldade na citação deliberada que Lucas faz de ‘todo primogênito que abre a madre de sua mãe’ (Lc 2.23 e Êx 13.2,12).

    Em palavras mais simples, a Escritura Sagrada contradiz essa crença católica. Um outro ponto a ser destacado é que, segundo a Bíblia, José, esposo de Maria, “não a conheceu [teve relações sexuais] até o dia em que ela deu à luz um filho. E ele o chamou com o nome de Jesus” (Mt 1.25). Após esse período, há várias referências bíblicas mostrando que José e Maria levaram a vida normal de um casal e geraram muitos filhos (Mt 12.46-47; Mc 6.3; Jo 2.12; 7.3-5). A esse respeito, a Bíblia de Jerusalém, que é uma das mais conceituadas versões católicas, comentando essa passagem, diz: “O texto não considera o período ulterior e por si não afirma a virgindade perpétua de Maria, mas o resto do Evangelho, bem como a tradição da Igreja, a supõem”.

    Há somente uma ressalva a se fazer a esse comentário da Bíblia de Jerusalém: “o resto do Evangelho”, ao qual faz referência, também não apóia essa crença. A desculpa católica romana para explicar quem são esses irmãos de Jesus, é que a palavra grega adelphos, usada nesses textos, significa na verdade “primos” e não “irmãos”. Dessa forma, os irmãos do Salvador seriam na verdade seus primos. Essa idéia foi difundida por Jerônimo, mas basta uma consulta ao texto grego para verificarmos que ela não se sustenta.

    Em Colossenses 4.10, lemos: “Saúda-vos Aristarco, prisioneiro comigo, e Marcos, primo (gr. Anepsios) de Barnabé, sobre quem recebestes instruções; se ele for ter convosco, acolhei-o”. Nesse texto, Paulo, ao se referir ao primo de Barnabé, usa o termo grego anepsios e não adelphos. O termo grego anepsios significa literalmente “filho da irmã” ou “primo”. É na tradição, na suposição, e não na Bíblia, que tal crença está alicerçada.

    3.3. Dogma da imaculada conceição de Maria.

    O dogma da imaculada conceição de Maria é outro erro. Ele ensina que Maria nasceu sem pecado. A exemplo de Agostinho, Tomás de Aquino, cita Cantares 4.7 fora do seu contexto para provar esse dogma. O livro de Cantares fala do relacionamento entre um homem e uma mulher, e sempre foi visto como uma alegoria representando Cristo e a sua Igreja. Por que não é citada uma passagem clara do Novo Testamento para corroborar tal crença? Simplesmente porque não existe nenhuma.

    Evangelho Árabe da Infância. É no livro apócrifo Evangelho Árabe da Infância que encontra-se tal ensino. No dia 8 de dezembro de 1854, o Papa Pio IX declarou como dogma a crença na imaculada conceição. A Igreja Católica Romana se esquece que, para Maria ser isenta de pecado, era necessário que seus pais também o fossem, e assim ad infinitum, o que contraria o texto bíblico que diz: “Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23). A Bíblia é clara em afirmar que somente o Senhor Jesus jamais pecou (1 Pe 2.22).

    O dogma da assunção de Maria também vai além de qualquer texto bíblico, ao afirmar que Maria subiu ao Céu em corpo e alma. As Escrituras afirmam, porém, que “ninguém subiu ao Céu, a não ser aquele que desceu do Céu, o Filho do Homem” (Jo 3.13).

    Passagem da Bem-aventurada Virgem Maria. De onde vem mais esse ensino antibíblico? Mais uma vez da literatura apócrifa, como Passagem da Bem-aventurada Virgem Maria, um texto produzido no 4º século. Em 1 de novembro de 1950, o Papa Pio XII defendeu o dogma da assunção de Maria. Algum texto bíblico é invocado para corroborar essa crença católica? Não, apenas Tomás de Aquino, que cita Agostinho, que por falta de evidência bíblica usou de silogismos, e não a Bíblia: “Agostinho prova com razões que a Virgem foi assunta ao céu em corpo, o que, contudo, não o diz a Escritura” (Suma Teológica, volume 8, pág. 3729). Não há nenhuma evidência bíblica que fundamente esse ensino.

    4. O que diz a Teologia Bíblica sobre Maria

    Na Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia, temos um comentário sobre a pessoa de Maria, que resume bem o que diz a Teologia Bíblica acerca da mãe do Salvador:

    Evidentemente, a genitora de Jesus era da linhagem de Davi (Lc 3), sendo esposa de José e tendo sido declarada virgem quando da concepção e do nascimento de Jesus (Mt 1.18,23 e Lc 1.27). Não dispomos de informações abundantes acerca dela, sendo evidente que não manteve grande contato com Jesus durante o tempo de seu ministério público (…) parece algo indiscutível que Maria teve outros filhos e também filhas, conforme vemos com mais pormenores no trecho de Mateus 12.46,47.

    Maria estava em companhia de Jesus durante a sua paixão e morte, segundo vemos em João 19.25-27; e, momentos antes de Jesus expirar, foi entregue aos cuidados do apóstolo João”.

    [...] Acerca de Maria, mãe de Jesus, ninguém pode dizer mais do que fez sua prima, Isabel, a saber: ‘Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto de teu ventre’ (Lc 1.42). No tocante à vida de Maria, após a ascensão de Jesus, temos a breve observação de Atos 1.14, que a menciona, juntamente com os discípulos, entregue à oração. Porém, o que o Novo Testamento deixou sem contar, os evangelhos apócrifos e muitas lendas pias não tardaram em preencher, de tal modo que, no caso de outros personagens destacados na vida terrena de Jesus, grande acúmulo de material espúrio se desenvolveu em torno dela, embora boa parte desse material tenha sido acolhido como verdadeiro, especialmente nos círculos da igreja cristã ocidental (catolicismo romano), incluindo até mesmo a declaração de sua impecabilidade (a chamada doutrina da “imaculada conceição”, que não teria sido pecaminosa), e também a sua ressurreição e ascensão, conforme a natureza da experiência de Jesus.

    Tais declarações lendárias, no entanto, não têm sido aceitas pela igreja cristã em geral, excetuando a igreja ocidental (romana) e a igreja ortodoxa grega, principalmente porque esses informes apócrifos não gozam de qualquer apoio por parte do próprio Novo Testamento e, por isso mesmo, embora talvez tenham sido escritos com intenções piedosas, são tidos como produtos da imaginação”.

    Imagens (religiosas) : As primeiras ornamentações e pinturas nos templos cristãos surgiram a partir do século III, a fim de representar o cenário e os fatos do texto bíblico. Já no século V, as imagens foram inseridas no contexto das gravuras existentes e começaram a ser usadas como meio de instrução aos analfabetos, uma vez que muitos freqüentadores dos cultos não tinham acesso a educação formal.

    Entretanto, no Concílio de Nicéia, (787 d.C.), foi oficializado a veneração às imagens e relíquias sagradas. Quase cem anos depois, em 880, a igreja estabeleceu a canonização dos santos. Desde então, a Igreja Católica Romana ensina que para cada ocasião e dia da semana há um “santo protetor”.

    Em 1125, surgiram os primeiros ventos doutrinários concernentes a imaculada conceição de Maria – dogma definido em 1854. Em 1311, estabeleceu-se a oração da Ave-Maria e, somente em 1950, a assumpção de Maria é transformada em artigo de fé.

  37. Alice disse:

    Aí Leka meus parabéns te admiro muito continue assim !

    Eu sou irmã de Álvaro!

    que escreveu este artigo admirável e está a preparar outro!

    xauzinho bjssssssssss!!!!!!

    eu sou evangélica!!!

  38. Henderson disse:

    Eu ainda não entendi como um texto que nem cita Maria pode ter virado uma flame war sobre Mariologia…

  39. Alice disse:

    Mariolatria!

  40. Henderson disse:

    Chame como você quiser, minha cara…eu só queria entender, não importa o nome que se dê…

  41. Alice disse:

    E é meu amado o caso é que estamos falando da sufixação grega ” latria ” ( que vem do grego latreia ) que traduzui – se por forma pagã de adoração e não ” logia ” ( que vem do grego logos ) e significa estudo , tratado ou ciência .

  42. Alice disse:

    E a explicação vai vir logo após do texto que estou preparando especialmente para você meu caro!

    Algumas indagações:

    Você tem certeza de sua salvação?

    E sobre o Arrebatamento da Igreja, o que tem ensinado seu pastor amado?

    Onde você pretende passar a eternidade?

  43. Alice disse:

    Onde?

  44. Henderson disse:

    Eu não tenho pastor amado, acho que os cristãos em geral, e os neopentecostais em particular, são apocalípticos demais e não interpretam corretamente o Apocalipse e não tenho preferências atualmente de onde quero passar a Eternidade.

    E não estou querendo entender a dicotomia Mariologia/Mariolatria, porque eu já tenho as minhas concepções a respeito…eu estava tentando entender porque um texto inofensivo virou uma flame war neopentecostal e uma discussão sobre Mariologia…

  45. Alice disse:

    A eternidade para os desobedientes a palavra de Deus:
    Mt 25:41 – Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;
    Lc 13:28 – Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, e Isaque, e Jacó, e todos os profetas no reino de Deus, e vós lançados fora.

    A salvação a disposição dos que creem:
    Hb 2:3 – Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;
    Fp 1:28 – E em nada vos espanteis dos que resistem, o que para eles, na verdade, é indício de perdição, mas para vós de salvação, e isto de Deus.
    Rm 1:16 – Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.

    O futuro do homem:
    Ap 22:14 Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas.
    Ap 22:15 Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.

    A ovelha sem pastor:

    Hb 13:7 Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver.
    Bb 13:17 Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.
    Hb 13:20 Ora, o Deus de paz, que pelo sangue da aliança eterna tornou a trazer dos mortos a nosso Senhor Jesus Cristo, grande pastor das ovelhas.

    A minha bíblia tem mais…

  46. Henderson disse:

    Alice, minha jovem, só me responda uma coisa: você concorda com a frase: “Ninguém pode ter a Deus por Pai, se não tiver a Igreja por Mãe” ?

  47. Alice disse:

    Quarto Concílio de Latrão diz : ” Fora da Igreja pode haver salvação ( contrariando a famosa frase de de Cipriano : Nulla salus extra ekklesiam ; que se traduz : Fora da Santa Igreja Romana não há salvação ), mas não fora de Cristo .

  48. Henderson disse:

    Você não respondeu minha pergunta, minha cara. Não enrole.

    E São Cipriano de Cartago escreveu a frase acima em “Ecclesiae catholicae unitate” (A unidade da igreja). Sugiro que você leia o Capítulo 4 desse livro.

    Ah, na sua Bíblia também deve estar escrito para respeitar os mais velhos. Eu sou um balzaquiano, como está escrito no “Quem somos” ali em cima. Isso significa, caso você não saiba, que estou na casa dos 30 anos. Leia algo sobre Honoré de Balzac que você vai entender a origem do termo. Então, na minha qualidade de “mais velho” eu também sugiro que você aprenda um pouco de Exegese, Hermeneutica e História da Igreja. Leitura cristã não é só aqueles livros de pastores americanos sobre Teologia da Prosperidade, minha cara.

  49. Alice disse:

    Portanto, Jesus é o único que pode salvar, mesmo sem a intermediação das igrejas.

    Está escrito:
    Jo 14:6 – Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

    Jo 10:7 – Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas.

  50. Henderson disse:

    Então, se só Jesus pode salvar, mesmo sem a intermediação das Igrejas, então eu não preciso de uma, não é mesmo ?

    C.Q.D.

  51. Alice disse:

    Amigo, quem salva é Jesus.

    MAS PRECISAMOS DA IGREJA VERDADEIRA QUE ENSINA A GENUÍNA PALAVRA DE DEUS, E NÃO TRADIÇÕES DE HOMENS DESPREZADAS POR JESUS, PARA MANTERMOS A COMUNHÃO ESPIRITUAL.
    Observe:
    (Efésios 1:22) – E sujeitou todas as coisas a seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja,
    (Efésios 4:15) – Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,
    (Efésios 5:23) – Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.
    (Efésios 5:23) – Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.

    A igreja é apresentada como o povo de Deus, o agrupamento dos crentes redimidos, como fruto da morte de Cristo. É um povo peregrino que já não pertence a esta terra, cujo primeiro dever é viver e cultivar uma comunhão real e pessoal com Deus.
    A igreja é o corpo de Cristo:
    (I Corintios 6:15) – Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo.
    (I Corintios 6:16) – Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne.
    (I Corintios 10:16) – Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo?
    (I Corintios 10:17) – Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão.
    Isto indica que não pode existir igreja verdadeira sem união vital dos seus membros com Cristo. O cabeça do corpo é Cristo.

    ACEITE A CRISTO COMO SENHOR E SALVADOR DA SUA ALMA PARA PASSAR A ETERNIDADE NO PARAÍSO, VEJA:
    (Mateus 10:32) – Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus.
    (Lucas 12:8) – E digo-vos que todo aquele que me confessar diante dos homens também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus.
    (Romanos 10:9) – A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.
    (Romanos 14:11) – Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, E toda a língua confessará a Deus.
    (Hebreus 11:13) – Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra.
    (I João 1:9) – Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.
    (I João 4:15) – Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus está nele, e ele em Deus.
    (Apocalipse 3:5) – O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.

  52. Henderson disse:

    Alice, minha jovem, eu tentei ser sutil, mas você parece ter dificuldades em entender sutilezas. Então eu serei o mais claro possível.

    Primeiro: Este não é um blog sobre religião. Dos quase 170 textos escritos aqui desde abril do ano passado, só uma meia dúzia trata desse tema. Agora, de cabeça, além desse, eu me lembro de um sobre a visita do Papa Bento XVI, outro sobre o crescimento dos blogs neopentecostais, um sobre a ADUD no Fantástico, outro criticando ferozmente a organização católica Opus Dei (e você ainda acha que sou católico !) e outro sobre o atentado ao Papa Paulo VI. Será que você já teve a curiosidade de ler os outros posts deste blog ? Modéstia a parte, há algumas coisas bem interessantes por aqui…

    Segundo: eu faço livre interpretação da Bíblia. Eu sou meu pastor, meu padre, meu ancião, ou outro nome que você queria dar. Eu interpreto o Caminho de Cristo da forma que Ele me revela quando eu leio a Bíblia. Eu não estou interessado no que seu pastor ou você acham da Bíblia ou das minhas interpretações dela. Eu até me interessaria se fosse algo novo, mas eu já li e discuti tudo isso que você postou até agora dezenas de vezes, talvez até antes de você nascer.

    Terceiro: eu não tenho a obrigação de ser coerente, nem de agradar nenhum grupo religioso. Eu posso criticar a ADUD, a Teologia da Prosperidade, a beatificação polêmica do fundador da Opus Dei ou a quebra do Banco Ambrosiano ao mesmo tempo. Porque eu não sou neopentecostal, nem católico, nem protestante. Rótulos para mim não interessam. Interessa é seguir o Caminho de Cristo, e nada mais.

    Quarto: este post é a livre expressão do meu direito de interpretar a Bíblia como eu quiser. Eu não queria, e não quero, que ele se transforme em uma batalha entre católicos e neopentecostais ou em alvo de proselitismo seu ou de mais ninguém. Lembre-se que blogs não são democráticos, eles pertencem aos seus donos. Aprovei todos os seus comentários até agora, mas se você continuar insistindo na sua retórica repetitiva, serei obrigado a mudar de atitude com relação a seus comentários. E isso vale para seus amiguinhos também…

    Quinto: O meu conselho para você estudar Hermeneutica, Exegese e História da Igreja continua de pé. Você não vai se tornar menos cristã por causa disso, minha jovem. Muita coisa foi dita e escrita antes de você nascer, minha cara. Seja mais humilde. São Paulo já dizia que buscar o conhecimento divino (epignosis, em oposição ao conhecimento mundano, a gnosis) é uma boa coisa. Reflita sobre isso.

    Entendeu ou quer que eu grave um podcast ?

  53. Alan Victor disse:

    Ai ai.. odeio crente que fica vomitando versiculos biblicos. Mesmo porque, a biblia não tem versiculos, nem capitulos. Quando São Mateus apostolo (e incluam nessa São Marcos, São Lucas e São João) escrevem seus evangelhos (e o apocalipse) eles não escreveram eles separadinhos por versiculos, muito menos por capitulos. E por acaso, você já recebeu\escreveu alguma carta separada por capitulos ou versiculos? Acho que não né. Então acho que nem São Paulo ao escrever suas cartas aos Corintios (e todas os outros autores\cartas) fez isso.
    Na verdade os unicos textos biblicos separados por versos são os Salmos, mesmo porque eles eram musicas né?
    Então, para começo, qualquer texto que esteja baseado apenas em versiculos esparsos não é valido, afinal, separar, pegar umas partes aqui, e outras lá e juntar tudo para montar um texto, para mim é modificar a biblia para que ela atenda aos seus desejos, e ja diz a propria biblia (não sei onde, e ja que vcs adoram capitulos e versiculos, podem procurar) que quem modificar, alterar, ou remover algum pedaço da biblia pagará muito caro.
    Agora vamos ao problema em questão; Mariologia\Maritologia:
    Me diga, cara amiga Alice: vislumbre o seu futuro. O seu futuro como mãe. Caso você veja o exemplo de uma pessoa boa, que ajude o proximo, seja empurrando o carro de um desconhecido debaixo de chuva, seja dando um copo d’agua\um prato de comida para um necessitado, você não mostraria esse exemplo para seu(s) filho(a)(s) ? Pois bem, é isso que fazemos em relação a Maria, um otimo exemplo. Uma mulher que escolheu carregar o fillho de Deus, numa epoca que engravidar sem estar casada era igual a sentença de morte. (Tirando é claro os outros exemplos que ela deu).
    Além disso, de usa-la como exemplo de comportamento cristão, usamos Maria como intercessora sim, mas não intercessora entre nós e Deus Pai, porque como está escrito e vc repetiu quase quinze vezes, o unico mediador entre os homens e Deus pai e os homens é Deus filho, Jesus Cristo, e sim como intercessora entre nós homens e Jesus Cristo. Afinal, que filho não atende com mais prestreza o pedido de sua mãe? Afinal, mesmo sendo Deus filho, Jesus, na epoca que tambem era homem foi filho biologico de Maria, e aprendeu a obedece-la e ama-al como qualquer filho.
    Exemplo disso está na historia das bodas de Canna. Eu sei que você já deve ter decorado esa passagem, mas vou sintetiza-la: Os noivos ficaram sem vinho, e Maria percebendo, avisou a Jesus, para que ele fizesse algo. Ele respondeu a Maria que ainda não era a sua hora, mas mesmo julgando com sua sabedoria divina que não era sua hora, atendeu ao pedido de sua mãe (possivelmente pela consideração de filho) e fez o seu primeiro milagre.
    Isso pelo menos demonstra que um pedido de mãe é mais facilmente atendido que qualquer outro pedido.
    Então nós catolicos pedimos a Maria, que peça por nós a Jesus Cristo por algo, imaginando (simploriamente) que Jesus atenderá mais facilmente o pedido de sua mãe do que o nosso.
    Pelo menos é isso que eu aprendi quando pequeno e o que depois de adultopercebi que era verdade.

  54. Cícera disse:

    Alan, percebi que ficaste chateado com o que escreveram, não podemos mudar o conteúdo da bíblia, nem a verdadeira mensagem do evangelho. Fui católica por 30 anos, nada tenho contra meus irmãos em Cristo, porque tento viver aquela parte dos dez mandamentos: Amar a Deus sobre todas as coisas eao teu próximo como a ti mesmo. Você falou que odeia os crentes, que decepção! Um cristão verdadeiro não tem esse sentimento negativo e destrutivo em seu coração. Liberte-se disso. Ore a Deus para ele abrir o seu entendimento.
    Com relação a Maria, mãe de Jesus, nós a temos como um exemplo de serva fiel a Deus, ela em nenhum momento se exaltou por ser a mãe do salvador. Quero salientar que, muitas pessoas erram em querer trocar as posições do salvador, Maria não pediu a ninguém para ser adorada, nem cultuada e muito menos se colocou na posição de intercessora da humanidade. Ela sempre foi humilde, temente e obediente e mandou em João cap. 2 e vers. 5(se não me engano) que deveríamos fazer tudo o que o Senhor Jesus nos mandasse. As pessoas é que criam esse clima de confusão entre os seguidores de Cristo, desrespeitando as sagradas escrituras e criando inimizades entre si, coisa que não agrada a Deus.Não costumo descutir religião, mas defendo com muito amor a causa de Jesus, que morreu por mim e por ti lá na cruz. Pregar doutrinas, costumes de igrejas, defender dogmas e tradições de homens não concordo, aplico a minha vida os ensinamentos da bíblia, único manual de vida correta e infalível, o resto é ilusão. Que Deus te abençoe e que um dia possas compreender melhor que vale a pena seguir JESUS com exclusividade, somente nele temos a salvação e o perdão de todos os nossos pecados.

  55. Henderson disse:

    Eu acabo de escrever que não queria briga por aqui e sou boicotado pelo meu próprio irmão…

  56. Alice disse:

    Como ñ entendi?

  57. Alice disse:

    Caro Henderson, você é sensato, pelo jeito gosta das coisas na Paz, parabéns! Esses diálogos devem ser instrutivos,podemos aprender uns com os outros, será necessário apenas boa vontade e humildade.

  58. Álvaro disse:

    Por Álvaro Barros :

    Ao meu caro colega Henderson dedico o meu primeiro artigo , este segundo e os que hão de vir , e aos que persistem em continuar nesta equivocada e errônea crença e que precisam , sem perder tempo corrigir – se .

    (Ezequiel 7:6) – Vem o fim, o fim vem, despertou-se contra ti; eis que vem.

    (Isaías 45:19) – Não falei em segredo, nem em lugar algum escuro da terra; não disse à descendência de Jacó: Buscai-me em vão; eu sou o SENHOR, que falo a justiça, e anuncio coisas retas.

    (Isaías 55:6) – Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.

    ” Ilustríssimo Henderson , e sereníssimas pessoas que hão de ler meu artigo , só retratar – me – ei daquilo que eu escrever e me calarei quando me provardes através das Sagradas Escrituras , que erro em revelar a errônea tradição de vossa religião e os seus vãos costumes ; não dobrarei à minha fé diante de doutrina e ensinamentos baseados em tradições estabelecidos por concílios equivacados biblicamente em ditames de papas que se mostraram ao longo da história errados e eneficases em suas vãs doutrinas . Já li varias obras de Hermeneutica e Exegese para poder ter base de redigir e enviar – lhes este artigo . Previamente vos digo que estou trabalhando em outro , portanto aguardem …

    SEGUNDO ARTIGO SOBRE A MARIOLATRIA

    Leitura Bíblica: Lucas 1:26-31,34,35,37,38

    INTRODUÇÃO

    A mariolatria, ou seja, a idolatria a Maria, mãe de Jesus, é uma das marcas distintivas da Igreja Católica Apostólica Romana, que a tem enfatizado em demasia, apesar de a mariolatria também estar presente nas igrejas ortodoxas. O culto a Maria teve imenso impulso entre os romanistas desde a segunda metade do século XIX, tanto que os três últimos dogmas estabelecidos pelo Vaticano dizem respeito a ele. O Papa João Paulo II, em seu longo pontificado de 27 anos (1978-2005), foi grande incentivador deste culto, tanto que seu lema foi “Totus Tuus”, uma declaração a Maria de que era “todo seu”.

    A falsa adoração a uma deusa-mãe, rainha dos céus, senhora, madona etc. teve início na antiga Babilônia e se espalhou pelas nações até chegar a Roma. Os gregos adoravam Afrodite; em Éfeso, a deusa era Diana; Isis era o nome da deusa no Egito. Muitos desse tipo de adoradores “aderiram” ao catolicismo em Roma para ficarem mais próximos do poder, haja vista que o Império Romano no século III adotou o cristianismo como religião oficial. Então, esses “cristãos” nominais levaram suas práticas idólatras e pagãs para a Igreja de Roma. Em vez de coibir o abuso e conduzir os fiéis pelos caminhos da fé exclusiva em Deus, os líderes do catolicismo romanos contemporizaram a situação: aos poucos as imagens pagãs foram substituídas por imagens cristãs; os deuses pagãos, substituídos pelos deuses cristãos (os santos bíblicos) e, na esteira desse sincretismo religioso, a santa Maria surgiu como “Mãe de Deus”, “Senhora”, “Sempre Virgem”, “Concebida sem Pecado”, “Assumpta aos céus”, “Mediadora e Advogada”, Co-Redentora.

    Portanto, a mariolatria nada mais é que a absorção de culto pagão a divindades femininas que remonta à própria origem da idolatria entre os homens.

    I – O QUE É MARIOLATRIA?

    1. Idolatria – Pelo que podemos verificar nas Escrituras e segundo os dados históricos, a idolatria iniciou-se na história da humanidade em Babilônia. Quando lemos Gn.10:8,9, vemos que Ninrode, o líder da comunidade política de Babel, começou a se fazer poderoso caçador diante do Senhor, ou seja, deu início ao pensamento do poder político construído ao largo de Deus, o que era próprio da comunidade rebelde de Babel.

    Desta idéia de um poder político separado de Deus, logo se elaborou a idéia da própria divinização dos governantes, tanto que a Ninrode é assimilado o deus babilônio “Marduque”, assim como sua mulher, Semíramis, que seria a deusa Ishtar ou Astarte, cujo filho, “Tammuz”, foi igualmente divinizado. Em Babilônia, portanto, surge, pela primeira vez, a idéia de adoração e de culto aos governantes, que passaram a ser considerados como deuses. Ninrode, Semíramis e Tammuz foram, durante séculos, adorados pelos babilônios e por outros povos que sofreram a influência babilônica. Até mesmo os israelitas se deixaram influenciar, pois muitos deles tanto adoraram a Tamuz (cf. Ez.8:14), quanto Astarte ou Astarote ou Aserá (Jz.2:13; 3:7; 10:6; I Rs.11:5,33; 15:13; 18:19; II Cr.15:16).

    Segundo as crenças de Babilônia, Semíramis teria engravidado, mas permanecido virgem e seu filho, Tamuz, teria sido, então, fruto de um milagre, uma demonstração da própria divindade de Semíramis. Como se vê, portanto, “…Aqui está, talvez, a primeira tentativa satânica de dar um falso cumprimento à profecia bíblica relativa ao nascimento de Jesus de uma virgem (Isaías 7.14), anunciada uns setecentos anos antes de Cristo.(…). Tammuz é o tipo do deus que morre e ressuscita, personificando as forças vivas da natureza. Morre com os calores estivais e ressuscita com a primavera. Era conhecido em Sumer, segundo alguns, cerca de três mil anos antes de Cristo, mas consta, todavia, como filho do casal fundador de Babilônia, logo após o dilúvio.…”(Abraão de ALMEIDA. Babilônia ontem e hoje, p.29).

    A deusa-mãe era uma figura constante em todas as religiões politeístas antigas. Seja na Grécia, na Índia ou na Babilônia, a figura de uma divindade feminina estava sempre presente, até porque natural que o mistério da vida e da própria gravidez intrigassem os homens, que, obscurecidos pelo pecado, não tinham senão que divinizar a própria figura materna e entender que haveria uma deusa-mãe a presidir estes fenômenos misteriosos, bem como a demonstrar a afetividade e carinho que são próprios do relacionamento entre a mãe e os filhos.

    Esta idéia do paganismo, que atravessou os séculos, que chegou, inclusive, a influenciar o próprio pensamento de Israel, povo formado pelo próprio Deus para servi-lO, não iria desaparecer tão facilmente do mundo. Aproveitando-se da própria circunstância de que a mãe do Salvador engravidou sendo virgem, procedeu-se a uma indevida assimilação do culto pagão de Astarte e de Tamuz a esta circunstância evangélica, assimilação que gerou a mariolatria, objeto desta lição.

    A partir do século IV, quando há a “conversão” ao cristianismo de milhares, quiçá milhões de pessoas, depois que o imperador Constantino deixou de perseguir os cristãos e iniciou uma aproximação com eles, visando, sobretudo, a sobrevivência do Império Romano, que estava combalido e enfraquecido, ouve uma considerável adesão ao movimento que redundaria na absorção por parte de alguns cristãos de práticas pagãs de adoração à deusa-mãe. A concessão de poderes políticos e de privilégios aos bispos cristãos, como uma tentativa de diminuir o enfraquecimento do poder imperial, apresentou-se como um chamariz a muitos pagãos para abraçar a nova fé, com uma inevitável conseqüência: a de adaptação de crenças, costumes e tradições pagãos ao cristianismo, mediante mera mudança de rótulos e de nomes, sem, porém, que tivesse havido mudança de atitudes.

    Dentro desta linha, a absorção do culto da deusa-mãe pelo cristianismo não seria uma exceção, esta que era uma das idéias mais fortes e cristalizadas do paganismo. A idéia de uma deusa-mãe sempre virgem, que tinha tido um filho igualmente divino, foi facilmente assimilada à narrativa evangélica do nascimento virginal de Jesus, Ele próprio Deus. No concílio de Éfeso, o Terceiro Concílio Ecumênico, convocado pelo imperador Teodósio II e presidido pelo patriarca de Alexandria, Cirilo, ocorrido entre junho e setembro de 431., foi definida a unidade pessoal de Cristo (ou seja, Cristo-Deus e Cristo-homem são a mesma pessoa, sem qualquer distinção) e, em conseqüência disto, foi proclamado que Maria era “theótokos” , ou seja, a “mãe de Deus”. É esta a primeira declaração oficial cristã que dá a Maria um papel diferenciado, quase 130 anos depois de concluído o Novo Testamento, e que seria o primeiro dos documentos que levaria à mariolatria hoje existente. A conclusão do Concílio foi a seguinte: “o filho de Maria é Jesus Cristo, Pessoa divina. Maria é Mãe de Deus”.

    Como podemos, portanto, perceber, a mariolatria nada mais é que a presença de um antigo e primitivo culto pagão da deusa-mãe sob “roupagens cristãs.

    2. Adoração – Os dois principais verbos gregos para “adorar”, no Novo Testamento, são proskyneo, que significa “adorar” no sentido de prostrar-se; e latreuo, que significa “servir” a Deus. À luz da Bíblia, podemos definir adoração como serviço sagrado, culto ou reverência a Deus por suas obras. Os principais elementos de um culto são: oração (Gn 12.8), louvor (Sl 66.4), leitura bíblica (Lc 4.16,17), pregação ou testemunho (At 20.9) e oferta (Dt 26.10)”. Com base nos termos acima deve-se adorar Maria? É óbvio que não, pois Bíblia diz que só ao Senhor adorarás e só a Ele Servirás(Mt 4:10).

    Maria é digna de Admiração e honra? Claro que sim, tanto quanto outros santos da Bíblia por haverem cumprido com fé, obediência e humildade os encargos que Deus lhes confiou. Citamos com exemplo o santo Noé, homem reto e justo, que recebeu de Deus a incumbência de anunciar o Dilúvio a uma geração depravada, e de construir uma enorme barca. Exemplo do santo Abraão, que deixou sua cidade natal e seus parentes, e seguiu em busca de uma terra desconhecida. Exemplo de Moisés, ao qual Deus confiou a espinhosa missão de livrar seu povo da escravidão do Egito. Exemplo de Josué que, atendendo ao Senhor, passou o Jordão e conquistou a Canaã prometida. Exemplos dos discípulos de Jesus, que não recuaram diante das dificuldades e das perseguições no cumprimento da elevada missão de “pregar o Evangelho a toda criatura”. E muitos que foram perseguidos, torturados e mortos.

    Maria faz parte, portanto, dessa galeria de santos que souberam cumprir com firmeza, determinação, coragem e fé os encargos que Deus lhes confiou. Que nós, os santos vivos, nós os santos de nossa geração, saibamos cumprir a nossa missão como filhos de Deus, tendo como exemplo os santos do passado, tudo para honra e glória do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

    Honrar a Maria significa reconhecer que a sua missão aqui na Terra foi uma das mais nobres e importantes, qual seja, a missão de carregar em seu ventre, alimentar com seu sangue, amamentar e criar o nosso Redentor. Todavia, não se deve dispensar a Maria honrarias superiores às que ela merece. Nada podemos fazer para aumentar a sua posição diante de Deus. Como justo juiz, Deus não dará a Maria nada mais nada menos do que ela merece, do que ela conquistou com sua fé, humildade e obediência. E o que ela mais desejou foi a sua salvação, ou seja, viver com Cristo na eternidade.

    Foi exemplo de fé, obediência e humildade – Ao ser escolhida para nobre missão de ser a mãe de Jesus, de ser o veiculo para que o Verbo se fizesse carne e habitasse entre nós, ela disse: “Eis aqui a serva do Senhor, cumpra-se em mim segundo a tua vontade”(Lc 1:38).

    Não se envaideceu diante das declarações de sua prima Isabel, que lhe disse: “Bendita és tu entre as mulheres, e é bendito o fruto do seu ventre”. Tão logo ouviu estas palavras, dirigiu-se ao Senhor em oração: “A Minha alma engrandece ao Senhor e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque atentou na humildade de sua serva, pois eis que, desde agora, todas as gerações me chamarão bem-aventurada” (Lucas 1.39-55).

    Foi exemplo também de coragem – ela não ficou a meditar se o seu casamento com José seria desfeito ou se José gostaria ou não; se iria compreender ou não a sua gravidez. Ela confiou no Senhor e na Sua Palavra.

    Seguindo seu exemplo, sejamos submissos à Palavra de Deus e à Sua vontade, ainda que isso nos cause algumas dificuldades no meio em que vivemos. Que bom seria se todos dissessem: “Cumpra-se em mim, Senhor, segundo a tua palavra”.

    EVOLUÇÃO DOS DESVIOS FEITOS PELO CATOLICISMO, COM RELAÇÃO À ADORAÇÃO A MARIA.

    Ano 270 – Origem da vida monástica no Egito, por Santo Antonio.

    Ano 310 – Inicia-se na Igreja Católica a reza pelos mortos.

    Ano 320 – Uso de velas.

    Ano 325 – Constantino, inaugura e celebra o 1º concílio papal.

    Ano 370 – Culto dos santos, professado por Basílio de Cesaréia e Gregório Nazianzo.

    Ano 381 – A Igreja Cristã , passa a se denominar “Católica” que significa “Universal”.

    Ano 394 – O culto cristão é abolido e passam a rezar as missas.

    Ano 400 – Iniciadas as orações pelos mortos e sinal da cruz.

    Ano 416 – Começam a batizar as crianças recém nascidas.

    Ano 431 – Maria é proclamada “Mãe de Deus”.

    Ano 500 – Origem do Purgatório,por Gregório,o Grande.

    Ano 609 – Culto da Virgem Maria, por Bonifácio IV. Invocação da Virgem Maria, dos santos e dos anjos, estabelecida por lei na Igreja pelo Concílio de Constantinopla.

    Ano 670 – Celebração da missa em latim, língua desconhecida do povo, pelo Papa Gregório I.

    Ano 758 – Confissão auricular, e absolvição, estabelecida como doutrina pelo IV Concílio de Latrão, em Roma.

    Ano 787 – Culto das imagens ordenado pela Igreja no II Concílio de Nicéia. Ano 880 – Canonização dos santos, por Adriano II.

    Ano 819 – 1º festa da Assumpção de Maria.

    Ano 830 – A Igreja Católica passa a usar ramos e água benta.

    Ano 869 – Devido as alterações iniciadas em 304 d.C., a Igreja Católica deixou de ser legítima e

    dividiu o Cristianismo. A Igreja Ortodoxa, separou-se de Roma recusando a submissão ao Papa e dizendo que a infalibilidade papal (Nota. Infalível, ou seja o papa é dotado do poder de não errar nas questões pertinentes à fé e aos costumes de Deus quando pretende conferir uma decisão universal), é a blasfêmia que coroou o Papado.

    Ano 880 – Instituíram a canonização dos “santos”.

    Ano 965 – O Batismo de Sinos.

    Ano 998 – Dia de Finados, Quaresma, jejum às sextas-feiras e na Páscoa.

    Ano 1000 – Sacrifício da missa.

    Ano 1074 – Instituição do celibato do Clero, por Gregório VII.

    Ano 1100 – Institui-se o culto aos anjos.

    Ano 1125 – As primeiras idéias sobre a Imaculada Conceição de Maria, combatidas por São Bernardo.

    Ano 1164 – Os Sete sacramentos, por Pedro Lombardo, no Concílio de Trento.

    Ano 1184 – A diabólica INQUISIÇÃO, chamada santa, pelo Concílio de Verona.

    Ano 1190 – Instituiu-se a venda de indulgência, ou seja, pagar pelo pecado; “venda da salvação”, por Urbano II

    Ano 1200 – O rosário, por São Domingos.

    Ano 1215 – Decretaram a transubstanciação, ou seja, presença real de Cristo na eucaristia pela mudança na substancia do pão e do vinho, na do corpo e sangue de Jesus, pelo Concílio de Latrão.

    Ano 1220 – A Hóstia e respectiva adoração, por Inocêncio III.

    Ano 1229 – Proibição da leitura das Bíblia aos leigos, pelo Concílio deTolosa.

    Ano 1264 – Festa do Sagrado Coração, papa Urbano IV.

    Ano 1311 – A oração da “Ave Maria” e a Procissão do SS. Sacramento, por papa João XXII.

    Ano 1414 – Proibição de vinho aos fiéis, na Santa Comunhão, pelo Concílio de Basiléia, determinando o uso do CÁLICE somente pelos sacerdotes.

    Ano 1517- O Monge Martinho Lutero encontrou a Bíblia (a qual não era permitida ler por quem não fosse bispo ou papa), inspirou-se em Paulo – Romanos 1.17 “O justo viverá pela fé.” Raciocinou que a salvação nos é dada por Cristo e não pelos ritos, sacramentos e penitências receitadas pelo catolicismo.

    Ano 1529- Clemente VII, tentou impedir na Alemanha que o Evangelho fosse pregado, intitulando-os de “Protestantes”. Os Cristãos não católicos fizeram um protesto contra essa pretensão do Papa e por isso receberam este nome, aplicado hoje a parte dos Evangélicos (Luteranos, Presbiterianos, Wesleyanos) Ano 1546 – Aceitação dos livros apócrifos, pelo Concílio de Trento.

    Ano 1546- A Igreja Católica inclui os “livros apócrifos” (Baruc,Macabeus,Tobias,Judite,Sabedoria) na Bíblia, livros sem validade, cuja autenticidade não se provou, livros de assuntos sagrados os quais para a Igreja Católica, são frutos de inspiração somente daqueles que têm o poder de falar com Deus (O Papa Segundo os Católicos).

    Ano 1563 – Igualdade entre a Tradição e a Palavra de Deus, Concílio de Trento.

    Ano 1854 – A Imaculada Conceição da Virgem, papa Pio IX.

    Ano 1870- Reforçou-se a infalibilidade papal, ou seja, o Papa é infalível perante a interpretação de Deus.Ano 1870 – A infalibilidade do papa, Concílio do Vaticano.

    Ano 1950 – Assunção de Maria transformado em artigo de fé.

    3. O culto a Maria. O culto a Maria existente hoje entre os romanistas é o mesmo culto idólatra a deusa-mãe(Semiramis, esposa de Ninrode) que foi instituído em Babel. O verdadeiro cristianismo ensina que somente o Senhor Jesus é o caminho, a verdade, e a vida; que somente Ele pode perdoar pecados; que somente Ele de todas as criaturas da terra, viveu uma vida sem qualquer mancha de pecado; e Ele é quem deve ser adorado – nunca sua mãe. Mas, o catolicismo romano – mostrando a influência que o paganismo tem tido em seu desenvolvimento – de muitas maneiras também exalta a Mãe”. Somente a Deus devemos adorar – “Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto”(Mt 4:10).

    Maria nunca desejou tomar o lugar do Salvador, do Filho de Deus. A sua posição foi de serva ciente de sua missão, a missão de trazer à luz a Luz do mundo, o Pão da vida, o Verbo de Deus. Até nas suas palavras a mãe de Jesus foi discreta. O registro mais extenso das palavras por ela pronunciadas está em Lucas 1.46-55, sob o título “O cântico de Maria.” Nessa oração, como já vimos atrás, Maria se mostra muito feliz e agradecida a Deus por haver sido agraciada com tão nobre missão: “Pois olhou para a humildade da sua serva. Desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada”. Nos versículos 46 e 47, Maria se declara necessitada de salvação: “A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador”.

    Não se encontra nas Escrituras qualquer tipo de adoração a Maria, ou qualquer ensino nesse sentido. Muitas pessoas interpretam mal o título “Bem-aventurada”. Uma pessoa bem-aventurada quer dizer uma pessoa feliz, ditosa e bendita. É o estado “daqueles que, por seu relacionamento com Cristo e com a sua Palavra, receberam de Deus o amor, o cuidado, a salvação e sua presença diária. O arcanjo Gabriel disse: “Bendita és tu entre as mulheres”, e não bendita acima das mulheres. A mesma declaração foi feita por Isabel a Maria acrescentando: “… e bendito o fruto do teu ventre” (Lc 1.42). E a própria Maria afirmou que “desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada” (Lc 1.48b).

    Jesus, no “Sermão da Montanha”, chamou de “Bem- Aventurados” os pobres de espírito, os que choram, os mansos, os que têm fome e sede de justiça, os misericordiosos, os puros de coração, os pacificadores, os que sofrem perseguição por causa da justiça e os perseguidos por causa dele (Mt 5.3-11). E bem-aventurada é Maria em razão da missão a ela confiada. Então, os salvos somos bem-aventurados, isto é, somos felizes porque fomos agraciados com bênçãos de Deus. Não há a menor possibilidade de, após a nossa morte – a morte dos bem-aventurados – chegarmos à condição elevada de Senhor ou Senhora, Pai ou Mãe de todos.

    Por que os católicos cultuam Maria e os Santos, quando está escrito que Jesus é o único Mediador? – Diz a tradição católica: “Realmente, São Paulo afirma em sua primeira epístola a Timóteo (2.5), que “há um só Deus e há um só mediador entre Deus e os homens que é Jesus Cristo”. Essa afirmação não exclui que possa haver outros mediadores secundários, pois o próprio Apóstolo dos Gentios é o primeiro a pedir a intercessão de outros junto a Deus. Assim, diz aos romanos: “Rogo-vos, pois, irmãos, por Nosso Senhor Jesus Cristo, e pelo amor do Espírito Santo, que me ajudeis com as vossas orações por mim a Deus” (Rm 15.30).

    Refutação Bíblica – Se a Palavra diz que só há um Mediador é porque só há um Mediador. A afirmação exclui a possibilidade de haver outros mediadores. Os exemplos citados se referem a vivos intercedendo por vivos, e não vivos pedindo a intercessão de pessoas falecidas. Este procedimento mais se apropria ao espiritismo.

    Os católicos afirmam que Maria, na qualidade de mãe de Jesus, é co-redentora. Refutação Bíblica – A palavra de Deus não eleva Maria à condição de igualdade com o nosso Salvador. O Redentor é Jesus, e como tal Ele foi esperado: “E virá um redentor a Sião e aos que se desviarem da transgressão em Jacó, diz o Senhor” (Is 59.20).Não se lê que paralelamente viria uma Redentora ou uma ajudante-do-Redentor ou uma co-Redentora. A santa Maria não recebeu a mesma missão de Jesus, tal como definido em Lucas 4.18 e Isaías 61.1-2. Ademais, Maria não poderia ser salvadora e ao mesmo tempo precisar de salvação. Leiam mais uma vez: “Disse, então, Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque atentou na humildade de sua serva…” (Lc 1.46-48). Já o nosso Salvador Jesus Cristo nunca se dirigiu ao Pai declarando-se necessitado de salvação. Quando Maria fez esta oração, com plena convicção e segurança, ela igualou-se a todos os homens e mulheres herdeiros da natureza pecaminosa originada na desobediência de Adão e Eva. Nivelou-se a todos os mortais. Jesus não pensava diferente. Quando alguém lhe disse que sua mãe e seus irmãos “estão lá fora e querem falar-te”, Ele respondeu: “Quem é minha mãe e quem são meus irmãos? E, estendendo a mão para os discípulos, disse: Aqui estão minha mãe e meus irmãos. Pois todo aquele que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe” (Mt 12.47-50). Em Lucas 8.21, a resposta de Jesus está assim: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a executam” (veja também Marcos 3.35). Somente são membros da família de Deus os que ouvem e obedecem a Palavra de Deus. Jesus ressaltou aqui a necessidade de fé obediente, necessidade esta a que estavam sujeitos, também, sua mãe e seus irmãos. “Quando recebeu o recado do lado de fora, Jesus respondeu de uma maneira que não desprestigia, nem por um momento, a santidade das relações familiares. Ele asseverou que os laços que unem espiritualmente a família de Deus são mais seguros e mais preciosos, pois se baseiam na obediência à vontade divina” (O Novo Comentário da Bíblia, 1990, Edições Vida Nova). A Trindade é soberana, auto-suficiente, onipresente, onisciente, onipotente, imutável e eterna Não precisa, portanto, do auxílio de santos falecidos para executar seu plano de redenção. Na história contada por Jesus, conforme Lucas 16.19-31, os santos Lázaro e Abraão não se sentiram em condições de prestarem qualquer assistência aos irmãos do rico, que estava em tormentos. Abraão não acenou nem com a hipótese de interceder por eles, mas indicou o caminho mais seguro: ouvir a Palavra de Deus. Ouvir e obedecer. Obedecer e permanecer.

    Os católicos dizem que veneram a imagem de Maria como alguém que venera os retratos de familiares falecidos. Refutação Bíblica: Esse argumento é um dos mais ingênuos. Ninguém em sã consciência adota os seguintes procedimentos com relação às fotografias de seus familiares falecidos: não as carrega em procissão; não canta louvores diante delas; não se ajoelha aos seus pés, nem na sua presença faz inclinação com o corpo em sinal de reverência; não usa essas fotos como amuletos, para alcançar algum benefício espiritual ou material. Por isso, o uso que fazemos dos retratos de entes queridos é completamente diferente do uso que os católicos fazem das imagens dos santos.

    BREVE ANÁLISE DA REZA “AVE MARIA”

    (Mateus 6:7) – E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos.

    – “ Ave Maria, cheia de graça, O Senhor é convosco, Bendita sois vós entre as mulheres, Bendito é o fruto do vosso ventre: Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, Rogai por nós, pecadores, Não só agora, mas na hora da nossa morte, Amém!”.

    A “Ave Maria” é antiga reza surgida na Cristandade, assim que se iniciou este indevido culto a Maria, sob a influência do paganismo, como vimos. É a mais conhecida expressão de devoção a Maria e na sua força dentro do romanismo encontramos todos os elementos que atestam a falsidade desta doutrina. Tem-se a constatação nua e crua da falsidade da “mariolatria” ou “hiperdulia”, através das próprias palavras da “Ave Maria”, que não podem ser, de modo algum, questionadas por parte dos romanistas.

    Em primeiro lugar, cumpre observar que, ao contrário do que pensam os católicos romanos, a “Ave Maria” não foi extraída da Bíblia. Na verdade, embora tenhamos alusões a trechos bíblicos, o fato é que a reza foi constituída de partes distintas das Escrituras, retiradas de seu contexto, e, como se não bastasse isso, com distorções, sem falar que parte da reza nem sequer se encontra na Bíblia. “Vende-se” a idéia de que a reza foi tirada da Bíblia, mas isto não é verdade.

    “Ave, Maria”: esta expressão é a variante latina da expressão de Lc.1:28, com a qual o anjo Gabriel saudou Maria. Este início, retirado das Escrituras, serve bem à sutileza de fazer crer que se trata de uma reza extraída da Bíblia. No entanto, o anjo se dirigiu a Maria de forma diferente: “Salve, agraciada”. Gabriel não disse o nome de Maria nesta oportunidade, mas, ao saudá-la, de imediata disse que ela era “agraciada”. Há, portanto, aqui, uma mistura da saudação inicial, que se encontra em Lc.1:28 e da segunda fala de Gabriel, que se encontra em Lc.1:30, onde, então, é dito o seu nome, mas sem a saudação. Esta saudação, além do mais, é tão só um cumprimento, muito comum naquele tempo, não tem a conotação que os romanistas lhe deram, posteriormente, de uma invocação, de um reconhecimento de autoridade, conotação que se ganhou por causa da expressão “Ave, César”, com a qual os soldados romanos se dirigiam ao imperador romano. Graças a este costume dos romanos, se procurou dar à expressão angelical um reconhecimento da “realeza de Maria”, o que é totalmente inadequado, até porque Gabriel falou com Maria em aramaico e o texto de Lucas está em grego, com o sentido de “bom dia”, “como vai?”, tendo havido apenas a tradução para o latim e se optado pela expressão “Ave”.

    “Cheia de graça”: começa aqui a distorção do texto sagrado. O anjo dirigiu-se a Maria chamando-a de “agraciada”, ou seja, alguém que recebe a graça de outrem, alguém que recebe um favor imerecido, alguém que é favorecida. Na reza, a “agraciada” vira “cheia de graça”, como se Maria fosse um ser supra-humano, que tivesse graça para “dar e vender”. A Bíblia ensina-nos que quem era “cheio de graça e de verdade” era um só: Jesus (cf. Jo.1:14). Vê-se, pois, como há uma nítida atribuição de qualidades exclusivas de Cristo a Maria.

    “O Senhor é convosco”: o uso do pronome “vós” na reza demonstra o intento de considerar Maria como “senhora”, pois só assim se justifica o uso de “vós” quando se tem singular. Na tradução em português, portanto, já se tem um viés de adoração, de reconhecimento de soberania a Maria, o que é inadmissível, pois se tem “…um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por Ele.”(I Co.8:6a). Não há “senhora” alguma. O texto bíblico é novamente distorcido, pois o anjo não trata Maria de “senhora”, mas assim se expressa: “O Senhor é contigo”(Lc.1:28).

    “Bendita sois vós entre as mulheres”: esta expressão é retirada, também, da primeira fala do anjo, é a continuação da fala anterior. Novamente, o anjo não trata Maria de “senhora”, mantendo o uso do pronome “tu”. Não resta dúvida de que Maria, por ter sido escolhida a mãe do Salvador, alcançava uma bênção de Deus e por isso era bendita. Ademais, admite-se aqui que Maria é apenas uma entre as mulheres, sem qualquer posição de superioridade em relação às outras.

    “Santa Maria” – Começa a invenção pura e simples da reza mais conhecida dos mariólatras. Maria não é chamada de santa em momento algum nas Escrituras, o que não quer dizer que não o fosse. Era, como todos os homens e mulheres que aceitaram a Cristo, santificados pelo Senhor. No entanto, como ela própria admite em seu cântico, “santo é o nome do Senhor”, não o dela (Lc.1:49). Além do mais, e aí se entende a expressão “Ave Maria” do início da reza, tem-se uma verdadeira invocação a Maria, como se isso fosse possível.

    “Mãe de Deus” – expressão que é fruto da definição do Concílio de Éfeso. Entretanto, sabemos que Deus não tem mãe. Jesus, enquanto homem, tinha mãe e não tinha pai (Mt.2:13); enquanto Deus, não tinha mãe e, sim, Pai (Jo.17:1). Maria, como vimos, só foi mãe biológica de Jesus, nada mais.

    “Rogai, por nós, pecadores” – Aqui se tem a evidente consideração de Maria como intercessora, “medianeira” dos pecadores, o que é algo exclusivo de Jesus (Is.53:12; I Tm.2:5). Só Jesus pode interceder pelos pecadores e mais ninguém!

    “Não só agora, mas na hora da nossa morte” – Mantém o papel inexistente de Maria como intercessora dos pecadores, inclusive na hora da morte. Se Maria é a “rainha do Universo”, se é “intercessora”, “senhora” e “medianeira”, por que será que os católicos, mesmo com sua intercessão, têm de padecer no purgatório? Que mãe desalmada!

    II – A NATUREZA DA MATERNIDADE DE MARIA

    Lucas, o evangelista que não é judeu (é o único não israelita a escrever um livro da Bíblia) e que, além disto, é médico (Cl.4:14), introduz Maria na narrativa do evangelho do mesmo modo que Mateus(Mt 1:10), ou seja, como sendo a mulher de José, que pertencia à casa de Davi, ainda virgem (Lc.1:27). Ele foi mais minucioso que Mateus, pois relatou a própria concepção do Cristo em Maria, o que foi anunciado pelo anjo Gabriel.

    O anjo saudou Maria, chamando-a de “agraciada”, ou seja, “favorecida”, “beneficiária da graça divina”, considerando-a “bendita entre as mulheres” (Lc.1:28). Nesta saudação do anjo, encontramos algumas informações importantes a respeito da posição de Maria, além das fornecidas por Mateus e Lucas, a saber:

    a) Maria é considerada como tendo sido beneficiada pela graça de Deus – o fato de Maria ser chamada de “agraciada”, mostra-nos, com clareza, que Maria é um ser humano como qualquer outro, porque “graça” é “favor imerecido”. Maria recebia um benefício, mas não o merecia por natureza, tudo era resultado da graça de Deus.

    b) Maria foi considerada “bendita entre as mulheres” – Maria era uma mulher, nem mais nem menos que as outras mulheres, mas, pelo benefício que recebia, imerecido, passava a ser bendita entre as mulheres, ou seja, não deixava de ser uma mulher tanto quanto as demais, mas que havia sido escolhida para ser o instrumento pelo qual o Messias viria ao mundo e isto era uma bênção singular ante as demais mulheres de todos os tempos.

    Ante esta saudação do anjo, a Bíblia nos diz que Maria ficou “turbada”, sem saber o que se queria dizer com aquela saudação(Lc.1:29). Este fato mostra, claramente, que Maria não tinha a menor idéia da missão que lhe estava sendo destinada, a comprovar que se tratava de um ser humano como qualquer outro, sem conhecimento do futuro ou dos propósitos divinos. O anjo, então, revela a ela o plano divino para a concepção do Messias no ventre de Maria. Nesta revelação, são explicitadas algumas considerações que são fundamentais para entendermos a posição de Maria em todo este processo. Vejamo-las(Lc.1:31,32):

    a) “em teu ventre conceberás” – aqui o anjo confirma a profecia de Is.7:14. O ventre de Maria é apenas o local da concepção, é apenas um instrumento passivo.

    b) darás à luz um filho” – Maria segue sendo o instrumento passivo. Sem ter tido parte na concepção, cumpre-lhe a missão, bela e honrosa missão, de servir de abrigo à criança até o Seu nascimento.

    c) “e lhe porás o nome de Jesus” – a participação de Maria é tão passiva que não lhe era permitido sequer pôr nome ao filho, o que costumava ocorrer em Israel (cf. Gn.35:18; I Sm.1:20).

    d) “Este será grande” – a grandeza não estava na missão importante e singular de Maria, mas no ser que nela seria gerado.

    e) “e será chamado Filho do Altíssimo” – a divindade é pertencente Àquele que seria gerado em Maria e tão somente a Ele.

    f) “e o Senhor Deus Lhe dará o trono de Davi, Seu pai” – além da questão biológica, atinente a Maria, a criança teria um aspecto jurídico, relativo ao seu “pai” José, algo de que Maria não fazia parte .

    g) “E reinará eternamente na casa de Jacó e o Seu reino não terá fim” – a realeza era outra característica inerente Àquele que seria gerado no ventre de Maria. O reino era dEle e dEle só, de mais ninguém. Aqui o anjo não alude a qualquer “rainha”, como fariam os romanistas futuramente…

    Maria, então, diante desta revelação, indagou como isto se daria, qual seria o processo e o anjo, prontamente, atendeu à solicitação de Maria, até porque, como instrumento passivo desta operação, tinha ela o direito de sabê-lo(Lc.1:35):

    a) “Descerá sobre ti o Espírito Santo” – reafirma-se o papel passivo de Maria. A obra seria do Espírito Santo sobre o corpo de Maria. O Espírito Santo, naturalmente, usaria do corpo de uma pessoa santa, de uma pessoa fiel a Deus, pois Deus não iria habitar em um templo impuro, mas apesar de ter abrigado o Rei da glória por nove meses, nem por isso era algo sobrenatural ou supra-humano, que não tinha qualquer defeito ou que jamais se desfez.

    b) “a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra” – continua a completa e total passividade de Maria. A virtude, ou seja, o poder não é dela, Maria, mas do Altíssimo, ou seja, de Deus. Quem opera é Deus e de forma exclusiva. Maria é coberta, é alvo da sombra de Deus, devendo, por isso, descansar, como ensina o salmista (Sl.91:1).

    c) “pelo que também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus” – aqui o anjo sintetiza o processo pelo qual o Messias viria ao mundo. Maria é, mais esta vez, tomada como mero instrumento nas mãos de Deus. O Santo nasceria dela, mas é Santo porque é Deus, porque tem origem divina, nada tendo a ver com o fato de Maria ser o meio pelo qual Ele entra no mundo. Ele é Santo porque é separado da natureza pecaminosa do homem, natureza presente, sim, em Maria, pois, caso contrário ela não seria “agraciada”, ou seja, imerecidamente favorecida (a falta de merecimento denota a sua natureza pecaminosa). Pelo fato de ter nascido desta maneira, Jesus seria chamado de “Filho de Deus”, não de filho de Maria. Não que não fosse filho de Maria biologicamente falando, mas, aqui o anjo está a falar da natureza do Messias, um homem, visto que nascido de mulher, mas que não possuía a natureza pecaminosa de seus ancestrais biológicos. É, por isso, aliás, que é chamado Ele de “último Adão”, pois, como Adão, não tinha ancestral de natureza igual a sua. Também é por isso que Maria não é chamada de “segunda Eva”, porque “mãe dos viventes” só houve uma, a Eva que pecara no Éden, e de onde a própria Maria viera.

    Como resultado desta revelação angelical, Maria aceita fazer a vontade de Deus e, nesta sua aceitação, mostra como havia bem compreendido a mensagem de Gabriel. Na sua resposta ao anjo, Maria mostra porque era “bendita entre as mulheres”, a saber:

    a) porque soube se colocar na sua verdadeira posição, a saber, de Serva – “Eis aqui a serva do Senhor” (Lc.1:38a) – Maria entendeu que sua participação era honrosa, porém passiva, mero instrumento da chegada do Salvador ao mundo. Maria se denominou de serva, mas os mariólatras a chamam indevidamente de “Nossa Senhora”…

    b) Maria sabia que, como ser humano, poderia escolher entre fazer a vontade de Deus ou não“- cumpra-se em mim segundo a tua palavra” – Mesmo sabendo os riscos que corria, aceitou fazer a vontade de Deus. Esta vontade se daria nela, ou seja, Maria admite ser apenas o local da obra divina, nada seria feito por ela, para ela ou com ela. A dimensão de Maria é a dimensão do local – “nela”. A mesma dimensão dos cristãos, cujos corpos também são templos do Espírito Santo (I Co.6:19).

    Quando foi à casa de Isabel, ali se apresentou como uma mulher grávida como qualquer outra. A manifestação sobrenatural ocorrida na casa de Isabel teve por causador não Maria, mas a criança que, talvez em forma ainda embrionária, estava em seu ventre. Quando Maria fez a saudação a Isabel, a criança que estava no ventre de Isabel saltou no seu ventre e Isabel foi cheia do Espírito Santo. Sob a inspiração do Espírito, Isabel chama Maria de “a mãe do meu Senhor” (Lc.1:43). Isabel considera Maria como mãe do Senhor, ou seja, seu papel era a de mãe, um papel biológico, circunscrito a esta dimensão, à dimensão terrena. A voz da saudação de Maria chegara aos ouvidos de Isabel e a criança se alegrara no ventre de Isabel, que, como mãe, também, não tinha tido uma reação senão depois do feto que estava em seu interior. Isabel não chamou Maria de senhora, mas tão somente de mãe do Senhor. Maria é tida como bendita e bem-aventurada, porque crera na palavra de Deus (Lc.1:42-45).

    O fato de Maria haver sido chamada de bem-aventurada não significa uma doutrina, mandamento ou ensino para lhe prestarmos culto. Note-se que Isabel, sua prima, declarou que Maria era “bendita entre as mulheres” (Lucas 1.48), e não “bendita acima das mulheres”. Sob este impacto, Maria louvou a Deus, demonstrando ter plena ciência de seu papel. Observemos as expressões de Maria no seu cântico, o chamado “Magnificat” e vejamos como ela tem um pensamento bem diferente daqueles que a idolatram indevidamente (Lc.1:46-55):

    a) “a minha alma engrandece ao Senhor” – Maria demonstra ser uma pessoa humana, dotada não só de corpo, que serve de instrumento para a geração do Messias, mas também de alma, sede da sua personalidade. Esta alma engrandece a Deus, ou seja, reconhece ser pequena, ser inferior à divindade, ser simplesmente humana.

    b) “o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador” – Maria mostra que também tem espírito, ou seja, é uma criatura humana, com corpo, alma e espírito. Este espírito, sede da consciência e da adoração, reconhece Deus como seu Salvador. Ao assim falar, Maria reconhece que é pecadora, que precisa de salvação.

    c) “porque atentou na baixeza de Sua serva” – Maria repete o que já dissera ao anjo. Sabe que sua posição é de serva, não de senhora.

    d) “pois eis desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada” – Maria aqui confirma que, por ter sido escolhida para ser a mãe biológica do Messias, recebera uma bênção singular, que seria lembrada por todas as gerações. Ela é bem-aventurada, assim como bem-aventurados são os discípulos de Jesus, os que creram no Seu nome (Mt.5:1-12).

    e) “por que me fez grandes coisas o Poderoso e santo é o Seu nome” – Maria reconhece que quem fez tudo foi Deus, ela é apenas um instrumento do poder divino. Também reconhece que santo é Deus e Ele só. Não há, portanto, qualquer motivo para que ela seja invocada como Santa Maria…

    f) “e a Sua misericórdia é de geração em geração sobre os que O temem” – Maria mostra que Deus é misericordioso e que o único ser a demonstrar misericórdia eterna é o próprio Deus. Ela própria era alvo desta misericórdia e todos que temessem a Deus, como ela havia temido, alcançariam esta misericórdia. Vemos, assim, que Maria nos ensina a buscar a misericórdia diretamente de Deus, não a ela (Maria)…

    g) “Com o Seu braço obrou valorosamente; dissipou os soberbos no pensamento de seus corações” – Maria mostra que a obra da salvação é inteiramente de Deus. Foi Deus quem fez e proporcionou a salvação ao homem, mostrando que somente a submissão a Ele é capaz de nos fazer ter a salvação. Não adianta o homem criar outros caminhos, outros modos de salvar, pois a salvação é obra exclusiva de Deus, obra esta que estava em seu ventre, ou seja, Jesus. Por que, então, alguns recorrem a Maria como “medianeira”?

    h) “Depôs dos tronos os poderosos e elevou os humildes” – Deus, Ele só, confundiu as coisas que são com as que não são. Trazia o Messias numa família humilde, desfazia os falsos conceitos a respeito do Messias guerreiro e nascido em um palácio. Também haveria de usar homens simples e sem aparência para promover a pregação do Evangelho, o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê.

    i) “Encheu de bens os famintos e despediu vazios os ricos. Auxiliou a Israel, Seu servo, recordando-se da Sua misericórdia para com Abraão e sua posteridade, para sempre.” – Maria, sob inspiração do Espírito Santo, mostra que em si se cumpriam as profecias. O que estava no seu ventre era a posteridade de Abraão, o Messias de Israel. Ele, e não Maria, era o único e suficiente Salvador.

    Portanto, com base nos termos descritos acima percebe-se que a Bíblia trata a maternidade de Maria como um instrumento biológico, necessário e honroso, mas que não tem qualquer elemento ativo da parte de Maria na obra espiritual da salvação.

    A VIRGINDADE DE MARIA, APÓS O NASCIMENTO DE JESUS – “Por insistir na teoria da virgindade perpétua de Maria, o Catolicismo Romano os levou a explicar erroneamente o sentido da expressão irmãos. Assim, eles acreditam que Jesus não tinha irmãos no verdadeiro sentido dessa palavra e o grau de parentesco que ela exprime. No entanto, esse raciocínio não desfruta de nenhum apoio escriturístico. A Bíblia é clara ao afirmar que Jesus tinha quatro irmãos, além de várias irmãs (Mt 13.55,56; Mc 3.31-35; 6.3; Lc 8.19-21; Jo 2.12; 7.2-10; At 1.14; 1 Co 9.5; Gl 1.19). A teoria desenvolvida pelos católicos romanos e por alguns protestantes, que visa defender que Maria permaneceu virgem, é totalmente fútil. Esse conceito só passou a fazer parte da teologia muitos séculos depois de Jesus. Seu objetivo, é claro, era exaltar Maria, criando, assim, a mariolaria” (Bíblia Apologética, João F. Almeida, ICP Editora, 1a Edição, 2000).

    A Bíblia de Jerusalém diz:: “José, ao despertar do sono, agiu conforme o Anjo do Senhor lhe ordenara e recebeu em casa sua mulher.Mas não a conheceu até o dia em que ela deu à luz um filho. E ele o chamou com o nome de Jesus” (Mateus 1.24-25, Bíblia [católica] de Jerusalém).

    A passagem acima diz claramente que José, atendendo ao anjo, recebeu em sua casa a sua esposa Maria, e foram viver como marido e mulher. Está dito que Maria foi a mulher de José; que José não conheceu a sua esposa enquanto ela estava grávida de Jesus; que Jesus nasceu de uma virgem, porque José somente conheceu sua mulher – ou seja, teve relações com ela – depois do nascimento de Jesus.

    Católicos há que contestam o que está escrito na Bíblia, e dizem que “nas Sagradas Escrituras a expressão “até que” é empregada muitas vezes para indicar um tempo indeterminado, e não para marcar algo que ainda não aconteceu”.

    Veja o comentário da Bíblia de Jerusalém, que é aprovada pelo catolicismo: “Mas [José] não a conheceu até o dia em que ela deu à luz um filho, e ele o chamou com o nome de Jesus”: “O texto não considera o período ulterior [depois do parto] e por si não afirma a virgindade perpétua de Maria, mas o resto do Evangelho, bem como a tradição da Igreja, a supõem” (Comentário da Bíblia [católica] de Jerusalém). Em outras palavras, os exegetas católicos, que trabalharam na edição da referida Bíblia, reconheceram o óbvio, ou seja, que até o nascimento de Jesus, José e Maria não se “conheceram”. Todavia, dizem bem quando entendem que a Tradição “supõe”, isto é, o dogma da perpétua virgindade de Maria é uma suposição, não uma realidade bíblica. O comentário acima coloca por terra outros argumentos não oficiais, segundo os quais José não conheceu sua esposa nem antes nem depois do nascimento de Jesus.

    Outro comentário: “Enquanto (ou até que): esta palavra portuguesa traduz o latim donec e o grego heos ou, que por sua vez estão calcados sobre a expressão hebraica ad ki que se refere ao tempo anterior a esse limite sem nada dizer do tempo posterior, cf. Gn 8.7;Sl 109.1; Mt 12.20; 1 Tm 4.13. A tradução exata seria: “sem que ele a tivesse conhecido, deu à luz…”, pois a nossa expressão “sem que” tem o mesmo valor” (Bíblia [católica] Sagrada). O que esta Bíblia está dizendo em seus comentários é que o “Até” não foi além do nascimento de Jesus, ou seja, enquanto grávida e até dar à luz não houve “conhecimento” mútuo do casal.

    Concordando com as Bíblias Católicas, a Bíblia Apologética, usada pelos evangélicos, assim esclarece: “Veja a preposição “até” em qualquer concordância bíblica e ficará surpreso a respeito do seu significado. Observe alguns exemplos: Levíticos 11.24-25: “E por estes sereis imundos: qualquer que tocar os seus cadáveres, imundo será ATÉ à tarde”. E depois da tarde, eles permaneceriam imundos? Vejamos agora Apocalipse 20.3: “E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, ATÉ que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco tempo”. Assim, a relação existente antes do nascimento de Jesus se modificou [como se modificou a situação de Satanás após os mil anos de prisão], não a conheceu até que ela deu à luz. Essa passagem declara que, depois do nascimento de Jesus, José Maria tiveram uma vida conjugal normal, como qualquer outro casal. Nenhum autor do Novo Testamento ensina a doutrina da virgindade perpétua de Maria. Se se tratasse de uma doutrina ou ensinamento vital ou essencial como requer o catolicismo romano, certamente Paulo e os outros discípulos teriam mencionado a respeito. Assim resta ao catolicismo romano apegar-se à tradição, porque a Bíblia não aceita essa teoria (Cl 2.8)”.

    A expressão “não coabitou com Maria até que nascesse Jesus” está muito clara. Ligada à fala do anjo que disse a José que recebesse Maria, sua mulher, ficou entendido que passado o período da gravidez e do descanso depois do parto, José e Maria, marido e mulher, continuariam uma vida a dois como todos os casais do mundo. Assim aconteceu, pois tiveram muitos filhos, conforme está em Mateus 13.55-56. Maternidade e santidade podem caminhar juntas, sem que uma prejudique a outra.

    III – CONCLUSÃO

    Honremos a Maria, como um exemplo de mulher que tudo enfrentou para fazer a vontade de Deus. Tenhamos a sua disposição para cumprir, em nós, a vontade de Deus e procuremos servir a Jesus para participarmos daquela reunião em que ela, certamente com os demais salvos, encontrará com o seu Senhor nos ares. Se é para obedecermos ao que Maria alguma vez disse, sigamos o seu único mandamento registrado na Bíblia Sagrada e, assim, façamos tudo o que Jesus nos disser, pois “…em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” (At.4:12), como já dizia “o bem-aventurado Pedro”.

  59. Henderson disse:

    Álvaro, você pode ser muito erudito, mas ainda não entendeu – ou não quis entender, o que é mais provável – mas este não é um blog religioso e eu não estou interessado numa discussão entre neopentecostais e católicos aqui nos comentários. Já admoestei meu irmão a esse respeito e não gostaria ter de apagar seu próximo comentário.
    Amplexos.

  60. Álvaro disse:

    (Lucas 19:40) – E, respondendo ele, disse-lhes: Digo-vos que, se estes se calarem, as próprias pedras clamarão.

  61. Henderson disse:

    Comece a arrumar as pedras então…

    Estás encorrendo em outro erro, meu jovem, muito comum, álias, em neopentecostais: mania de perseguição.

    Se você quer ser perseguido DE VERDADE, sugiro que você entre naquele esforço de evangelização, se não me engano chama Paralelo 10, alguma coisa assim, e vá para a África do Norte, o Oriente Médio. Aí sim você vai ser “perseguido”.

  62. Alan Victor disse:

    O Alvaro escreve muito bem… mas como eu disse, nada do que ele escreveu não vale de nada. É baseado em cortes, colagens e manipulações da biblia. Ele pode até estar certo em alguns pontos, mas como a base do artigo dele está furada, não discutirei o resto.
    E sim Cicera, incorro no erro do odio, mas afinal, sou humano. Fico nervoso e irritado, mas não com todos os crentes, e sim com aqueles que se acham donos da verdade, e que ficam arrotando versiculos e manipulações da biblia.
    Aqueles que vivem com mania de perseguição, que se acham superiores, os unicos a serem salvos.

  63. Alice disse:

    Meu amado, todas as pessoas tem direito de salvação é só buscar por onde ser salvo. E como esta escrito na bíblia (já que você não quer que eu cite versículos nem muito menos capítulos) que Jesus é o Caminho, a Verdade e a Luz e que ninguém vai ao Pai a não ser por ele; se você segui-lo, buscar se basear em seus ensinamentos e deixar essa raiva ( que isso não é de Deus e sim do inimigo, que eu tenho certeza que no céu não vai ter lugar separado pra fulano nem cicrano, todos irão ter que viver em comunhão) de lado ; você irá ter ou já tem seu lugar separado, pois no céu tem muito espaço e da pra todos, e nínguém da terra quer roubar seu lugar não e sim o Diabo que quer nos ver assim como ele derrotado, humilhado e sem mais o direito de Salvação.Isso é odio da parte dele entendeu ?E ele quer colocar nessa sua cabecinha linda esses tipos de idéias! Portanto meu amado ore que é o melhor que você pode fazer, fale pra Deus tudo aquilo que você precisa e também se ainda está com raiva de mim ore por mim tamb´ém que eu estou orando por você!

  64. Alan Victor disse:

    Que tipo de ideias o “inimigo” quer colocar na minha cabeçinha cara amiga Alice?
    Vamos pensar um pouco. Quem veio aqui causar discordia num blog pacifico, intelectual e não religioso? E pelo que lembra, um dos nomes do “inimigo” é “Causador de Discórdia”
    (Está escrito que no final dos tempos, o inimigo virá, e falará das coisas de Deus,e confundira, se possivel, até os eleitos…)

  65. Alice disse:

    Alan, não pretendo causar discordia nesse blog, citei apenas meu ponto de vista como qualquer pessoa o faria. Até parabenizo Henderson por esta oportunidade que ele nos deu, creio que lendo cada comentário vamos compreendendo melhor os seres humanos, respeitando seus pontos de vistas, portanto discordando em certas ocasiões, o que tem acontecido , não é?
    Mas isso é legal, o mundo seria tedioso se não houvesse o dialogo, a conscientização das coisas e aquela apredizagem de novas coisas.
    Não me sinto Anti Cristo para cumprir esse terrível missão de confundir as pessoas, até por que sou muito jovem, amo a Deus, procuro levar a vida de uma maneira sensata e quero vê meu próximo feliz também, talves minha intenção tenha sido melhor, creia que sim. Quem sabe um dia vc me entende ?
    Continuarei a observar essas 10 curiosidade da bíblia, uma delas para mim tem sido revelada de acordo com o que vcs dizem, a curiosidade de vcs vai levá-los a um encontro muito especial com o Senhor Jesus, tá? QUEM PROCURA ACHA. Estou torcendo que esse blog ajude mais a vcs a se encontrarem…

  66. Alice disse:

    Obg pela conversa enquanto durou, agradeço a atenção de vcs , ñ desminto nada que eu disse! Pelo contrário me apoio! Estou apenas atendendo 1 pedido de mamãe ! Xau !Que Deus lhes abençoe e abra seus entendimentos!

  67. bruno disse:

    henderson sou catolico rs

  68. Henderson disse:

    Até que enfim apareceu alguém de bom senso por aqui…(estou me referindo à mãe da Alice, claro)

  69. Alan Victor disse:

    Nossa.. a alice arriou e ainda jogou a culpa na mãe…
    Se um dia ela voltar pra ler isso.. bem… eu tenho a dizer que não chamei ela de anti-cristo. mas quem disse que ela não tenha sido comfundida pelo proprio? quem sabe não é a gente que foi? bem, sei lá, se a gente pensar nisso, vamos ficar doidos, mais do que já somos…

  70. Alice disse:

    Minha mãe que me perdoe…
    Alan, eu não arriei nada e nem usei minha mãe como desculpa, mas para satisfazer seu ego, pense nisso que vou lhe dizer:
    Desde a criação do homem que o diabo que é mentiroso e enganador(Jo 8.44;Ap 20.10), usa de toda sorte de mentiras para afastar o homem de Deus(Gn 3.1-15). Em nossos dias, ele tenta confudir a mente humana lançando dúvidas acerca da Palavra de Deus.E quando vimos doutrinas contrárias aos ensinos expostos na Bíblia, ai é heresia.Embora muitos não se dêem conta do perigo que há nas seitas heréticas, aceitando a sua maneira de interpretar a Palavra de Deus, nós devemos analisar cada vez mais a Bíblia para nos protegermos das investidas do Diabo, que levantam falsos mestres que colocam a verdade da Palavra de Deus de lado e passam a ensinar conforme à sua propria interpretação(II Pe 2.1-3). Agora cruzar os braços e deixar que os tais contaminem o povo de Deus é omissão. Por isso falamos certas coisas que para muitos se tornam insultos…mas que na realidade é apenas a verdade genuina e pura. Como já te falei, a Bíblia é a nossa única e exclusiva regra de FÉ. Nos preparamos culturalmente para termos um futuro melhor, em termos financeiro, porém espiritualmente, nos preparamos para residirmos no céu e lá termos a paz eterna.
    Pense agora: Existe pessoas proselitistas, que tentam a todo custo desencaminhar muitas vezes até aqueles que embora estejam numa igreja genuinamente evangélica, desconhecem as doutrinas da Palavra de Deus, e por causa disso ficam vulneráveis a esses ataque, o que não é o meu caso, pois não sou apenas ouvinte da palavra de Deus, mas tento na minha modéstia e humildade, ser praticante dela, busco a cada dia aprender mais com Jesus pois ele é o verdadeiro exemplo de fidelidade, amor, justiça e fé, o resto é mera ilusão.
    Pesquisar sempre sobre Deus é bom quando estamos na intenção de termos uma vida melhor, de santificação, de paz, harmonia, de comunhão com ele, em outra palavras, quando desejamos ser salvos, mas se estamos pesquisando sobre Deus com o intuito de querer confrontar as verdades bíblicas, colocar dúvidas quanto a veracidade da palavra de Deus, asseguro-lhe que é um caminho árduo, chato, destrutivo que só vai levar o indivíduo a solidão e a perdição esperitual. Não sei qual o objetivo real de vocês, mas espero que essa curiosidade seja para o lado do fortalecimento e crescimento espiritual. Que o Senhor os abençoem !!!
    Amplexos, Alice.

  71. Pedro disse:

    AAhhfe! Maria.
    Quem tá ganhando?

  72. Henderson disse:

    Ninguém. Tá todo mundo perdendo…sempre que os cristãos digladiam-se entre si e dão mais atenção às diferenças do que aos pontos em comum, estão todos perdendo…

  73. Álvaro disse:

    Que pena ainda existir pessoas como Alan , as quais vivem sobre o signo da arrogância e prepotência dos catotólicos apostólicos romanos da Idade Média .

    Vai converter – te ao genuíno Evangelho , pois Cristo está voltando … Prepara – te … Jesus ama a ti e deseja salvar – te …

    (Isaías 55:6) – Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai – O enquanto está perto .

    Amplexos

  74. Álvaro disse:

    Que pena ainda existir pessoas como Alan , as quais vivem sobre o signo da arrogância e prepotência dos catotólicos apostólicos romanos da Idade Média .
    Vai converter – te  ao genuíno Evangelho , pois Cristo está voltando … Prepara – te … Jesus ama a ti  e deseja salvar – te …
    (Isaías 55:6) -  Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar,             invocai – O enquanto está perto .

    Amplexos 

  75. Pedro disse:

    Acredito que todos já somos velhos conhecidos desse blog. Por que é que a gente não prolonga essa discussão em um restaurante, tomando qualquer bebida, comendo alguma coisa e estreitando nossos laços de amizade fraterna?

  76. elias disse:

    cuidado !!!!!!!!!
    o deus dos protestantes retirou sete livros da biblia;; a saber lutero, ele ñ tem o ESPIRITO SANTO para dizer se é inspirado ou ñ; o espirito q ele tem é do pai da mentira q engana e causa divisões.

  77. Hiago Andrade disse:

    - Perdãoo em meterr no meioo !
    Mas na propria biblia diz que aquele que acrescentar
    ou dimunir um daqueles livros é melhorr que fosse morto !
    Não iria permitir que LUTERO mudasse a biblia !
    pq a palavra é o designio de DEUS !
    e DEUS naum deixaria nos aprender errado !
    me polpee !
    Adoraçãoo de SANTO !
    na propria biblia diz ser errado !
    ” Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra; ”
    (Deuteronômio 5:8)
    nas duas biblias isso tem dizendo !
    pq Catolico presta culto a MARIA , SÃO JORGE e a OUTROS SANTOS …
    CUIDADO naum é daquele que duvida de lutero naum !
    e sim de quem duvida de DEUS …
    se vc já leu a biblia todinha !
    Lá ensina a discenir o certo do erradoo !
    pena que hj em diaa o povo Não sabe nem o que fala !

    Fiquem com DEUS …
    E mas :
    DEUS não tem RELIGIÃO e Nem IGREJA porquer :
    O verdadeiro Cristão não é catolico , evangélico , nem testemunhas de jéová nem igreja do setimo dia ….
    o verdadeiro cristão , é aquele que confessa que jesus é o cristo ,
    e que não presta culto a nem uma outra coisa .. Senão somente a DEUS !

    Amo vocês !

  78. Hiago Andrade disse:

    EEEEEEEEEEEE MASSSSS !
    Se O LUTERO TEM ESPIRITO DE MENTIRA !
    no CASO DIABO !

    TU AXARIA QUE DEUS DEIXARIA O PROPIO DIABO ESCREVER A BIBLIA !
    SEM CONTAR QUE EM NENHUM MOMENTO LUTERO DEFENDE O PAI DA MENTIRA , PELO CONTRARIO ELE FALA DE TODO O MAL !
    COMO ELE MESMO IRIA ENSINAR UMA COISA DE SUA PROPRIO CONTRARIO ??????

  79. Hiago Andrade disse:

    MEU DEUSSSSSSSSS ……………
    O POVO TA CEGOOOOOOOOOOOOO !
    ME DIZ ONDE NA BIBLIA DIZ QUE DEUS MANDA ADORAR SANTO ?
    SE NO PROPRIO APOCALIPSE QUANDO JOAO PROSTOU – SE DIANTE
    DO ANJO PARA ADORA-LO O PROPRIO ANJO DISSE
    ADORAI A DEUS E NAUM A MIM !
    ACORDAA GALERAA !
    HOJE EM DIAA O QUE O DIABO TEM GANHANDO MUIITO
    É SOBRE RELIGIÃOO E CONFUNDINDOO A CABEÇA DO POVO !
    A PESSOA QUE MAS SABE DA BIBLIA É O DIABO …
    E ELE SABE COMO DISTORCE-LA !
    ENGRAÇADO QUE PESSOAS ” TEM RAIVA DE CRENTE PQ FICA VOMITANDO VERSICULO ”
    NOSSA SE VC FALA DESSE JEITO DA BIBLIA !
    IMAGINAA COMO VC ÉE ???
    MISERICORDIA DE VCC …

    ENGRAÇADOO QUE TODO CANTOR OU ATRIS FAMOSO QUANDO SE CONVERTE SE CONVERTE COMO ” CRENTE ”
    PQ NAUM SE CONVERTE COMO ” CATOLICO ” ???
    PQ O CATOLICISMO É MESMA COISA QUE TA NO MUNDO !
    NAUM ESTOU JULGANDO OS CATOLICOS , MAS A IGREJA QUE
    PERMITE BANDA DO MUNDO TOCAR NA SUA IGREJA , ISSO NAUM
    É IGREJA …
    PQ NA PROPRI BIBLIA DIZ QUE O EVANGELHO E DIFERENTE DAS COISAS DO MUNDO !
    NA NA BIBLIA TEM ORAR !
    E O CATOLICO REZA ?
    PQ NA BIBLIA É EVANGELHO !
    E NA IGREJA É CATOLICO ?

    PENSAA NISSO !

    CUIIDADOO !

  80. Hiago Andrade disse:

    já que jesus é o unico que salva !

    pq ele permitiu que tivesse varias religião , sendo que ele mesmo naum tem religião ?

    RESP : para verr se o povo dele é sabioo !
    e saiba discernir o certo do errado !
    euu sigo o que está na biblia e não as ” DOUTRINAS DA IGREJA ” ….

  81. Hiago Andrade disse:

    pq padre não pode casar ?
    se na biblia diz que o homem foi feito pra mulher
    e a mulher pro homem ?

    pq crianças se batizam ??
    se na biblia diz que batismo é para remissão de seus pecados !
    uma criança de 5 anos tem discernimento de que é pecadora ?

    pq adoram imagens se deus abomina ???

    pq se chamam padre !
    se JESUS FOI O PASTOR DAS OVELHAS ??

    pq fazem escultura de Deus !
    se ninguém sabe como DEUS é ???

    Pq não é orar e sim rezar ???

    pq tantas igrejas Se é um só deus ???

    dizem pessoas que sem MARIA jesus não teria nascido !
    quem foi que tii disse , maria foi contemplada , se ela
    naum existisse deus teria escolhido outra, para que se
    cumprisse as profecias !

    Que a verdade seja dita !
    Viva pela BIBLIA e não por DOUTRINAS !

  82. [...] cara leitora, antes de continuar a leitura desse post, eu gostaria que vocês lessem esse post sobre 10 curiosidades sobre a Bíblia. Leia tudo, inclusive os comentários. Eu [...]

Os comentários estão desativados.

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 325 outros seguidores

Categorias
Arquivos
Estatísticas do Site
  • 657,737 visitas

Member of The Internet Defense League

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 325 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: