Sete bons motivos para não se mudar para o interior

Sempre que eu saio da pacata cidade do interior em que moro e vou a São Paulo – ou seja, umas duas ou três vezes por ano – sempre ouço a mesma coisa quando as pessoas sabem que sou do interior: “Ah, um dia eu me mudo para lá”.

Depois de um tempo eu chequei a uma conclusão óbvia: as pessoas na “cidade grande” tem uma imagem errada do interior. Por isso hoje o Depokafé vai apresentar hoje sete bons motivos para você não morar no interior.

Por “interior” entenda o interior de verdade. Se você é, por exemplo, de São José dos Campos ou Campinas, lamento, mas você não está no interior. Estou falando de cidades com menos de 50 mil habitantes, perdidas em regiões pouco desenvolvidas (sim, existe isso no “rico” estado de São Paulo) e longe dos grandes centros e até de cidades médias e um pouco mais desenvolvidas.

E porque sete motivos e não dez ? Bem, eu até poderia arrumar mais três motivos e discorrer sobre eles. Mas seria pura enrolação, e só serviria para deixar o texto mais longo. Álias, como esse parágrafo, que é totalmente desnecessário. Então vamos deixar de enrolação e ir logo ao ponto.

 

1 – Violência: OK, a violência no interior é diferente da violência nos grandes centros. Aqui você não corre o risco de tomar uma bala perdida no meio da rua. Mas em compensação ao voltar para casa pode dar de cara com ela arrombada e com alguns de seus pertences sumidos.

A lenda de que o interior não tem violência não passa disso – de uma lenda. Principalmente depois que implodiram o Carandiru e mandaram boa parte dos presos para a região Oeste do estado – onde tem um presídio a cada duas cidades, em média – a violência aumentou muito. Claro que nada disso aparece nas propagandas do governo, mas é a verdade, quem vive no interior pode comprovar isso. Então, a menos que você ache menos ruim ter sua casa roubada do que ser assaltado a mão armada, fugir da violência não é uma boa desculpa para se mudar para o interior.

2 – Moralismo e preconceito: As cidades do interior são, em sua grande maioria, moralistas, conservadoras, preconceituosas e hipócritas. Então, se você pertence a alguma classe que costuma ser idiotamente vítima de preconceito – inclua aí homossexuais, emos e torcedores do Corinthians – é melhor você guardar uma boa distância do interior. Para você ter uma idéia, se eu for agora até o centro da cidade e parar o primeiro idiota que eu encontrar pela frente ele é capaz de me dar uma lista atualizada de todos os homossexuais da cidade, onde moram, trabalham, estudam e com quem estão saindo no momento – e tudo isso de forma sussurrada, como se estivesse contando um segredo sujo.

3 – Falta de privacidade: Você sai com seus amigos no final de semana, toma todas, vomita na mesa e dá o maior vexame. Se você mora no interior na segunda-feira de manhã, quando você for até a padaria, as atendentes vão ficar dando risinhos e comentários sussurrados enquanto você estiver na fila do pão. E isso vai acontecer também no banco, nas lojas, no trabalho. Não há segredos para quem mora no interior. As más – para os envolvidos, claro – notícias correm com mais velocidade do que se o seu mico tivesse ido parar no Youtube. Então, se você quer fazer coisas triviais como dar vexame no fim de semana ou trair sua namorada/esposa é melhor ficar longe do interior.

4 – Tédio: Cidade do interior “de verdade” não tem cinema, teatro, shopping center, barzinhos, choperias e nada do genero. Geralmente o point da cidade é alguma avenida movimentada – aqui na minha cidade chamam de “bobódromo” – ou algum lugar improvável tipo uma loja de conveniência de um posto de gasolina (o bobódromo II). Se você quiser cinema, teatro ou shopping, vai ter que viajar pelo menos uns 80 Km – dependendo da cidade que você estiver, mais ainda. E você pensando que ia poder se livrar do carro mudando para o interior, hein ?

Uma vez por mês – na época do pagamento, claro – acontece um ou outro baile. Mas os Djs são horríveis (tocam até música sertaneja !), a cerveja é quente, o lugar não tem estrutura e você nem encontra drogas para se livrar do tédio. Sim, nas “raves” daqui – se é que um baile com um DJ que sabe tanto de música eletrônica quanto eu sei de Astrofísica pode ser chamado de “rave” – o pessoal mais descolado fuma maconha (sim, é verdade, eu já presenciei isso) o que não faz o menor sentido.

5 – Estradas precárias: Qual a estrada mais violenta: a famosa Reggis Bittencourt ou a desconhecida Comandante João Ribeiro de Barros ? A segunda. A diferença é que os acidentes no interior raramente chegam na grande imprensa. Afinal, uma estrada com pista simples, esburacada, com um degrau de mais de um metro entre a pista e o acostamento e lotado de caminhões carregando cana não pode mesmo ser muito segura. E as cruzes brancas na beira da estrada não me deixam mentir. Infelizmente. Portanto, acredite: é mais seguro ir de São Paulo a Curitiba num FIAT 147 do que rumar de Rinópolis a Presidente Prudente num carro moderno.

6 – Poluição: Ar puro no interior ? Depende da época. Se for quando as plantações de cana estiverem sendo queimadas para a colheita, esqueça. Além da poluição elas produzem umas cinzas que se espalham com o vento e sujam todos os quintais, para desespero das donas de casa. Sem contar as queimadas para as outras culturas, e até mesmo para limpar terrenos baldios dentro da cidade ! E, como todo mundo acha que o ar aqui é puro, ninguém se preocupa em regular os escapamentos de caminhões e ônibus. Isso significa que você pode estar passando tranqüilamente e ser atingido por um jato de CO2 que vai te deixar com tanto cheiro de fumaça que vai parecer que você passou a noite em um pub enfumaçado de Londres.

7 – Música sertaneja – Se você não é fã de Zezé di Camargo e Luciano e seus assemelhados, então o interior não é lugar para você. Aqui toca música sertaneja o tempo todo – nos bailes, na rádio FM, na AM, nos elevadores, em tudo. Tem até rádio FM especializada em tocar só música sertaneja. E pior: há várias duplas (porque música sertaneja tem que ser em dupla ?) que são das próprias cidades e que ninguém conhece, mas que tocam nas rádios da cidade. Então, se você não quer conhecer a excelente música de duplas como Luis Henrique e Fernando é melhor ficar bem longe do interior.

About these ads
Marcado com: , , , , ,
Publicado em Humor, Reflexões
139 comentários em “Sete bons motivos para não se mudar para o interior
  1. Everton disse:

    Muito bom o desabafo, quer dizer, o texto.

    No entanto, ele é passível de alguns comentários.

    1) Violência: O interior ainda (eu disse ainda) leva vantagem nesse quesito. As grandes regiões trazem em seu bojo um carga de violência bem mais evidente, o que incorre em uma sensível diminuição na qualidade de vida.

    2) Moralismo: Concordo integralmente, exceto na cutucada que você deu nos corintianos.

    3) Falta de Privacidade: Isso realmente é mais evidente nas pequenas cidades. No entanto, morar em uma grande cidade não significa estar no anonimato. É evidente que um cara que mora na Zona Leste de São Paulo, ao passear pela Paulista o Parque do Ibirapuera, é praticamente um anônimo. Agora, é muito importante saber que uma grande cidade é formada, na verdade, por inúmeras pequenas cidades. E nestas você não é tão anônimo assim. Ou será que nunca se ouviu essa frase? (preciso de sua imaginação pra criar um cenário de duas senhoras conversando na portaria do condomínio…)….”Nossa, você viu aquela moça que se mudou no 22-C? Mal chegou e já saindo com o manobrista! E marido dela nem desconfia disso! Meu Deus!”

    4) Tédio: Também concordo. No entanto, deve-se destacar que grandes opções de entretenimento estão associadas a custos, e você sabe que “curtir” uma grande cidade não é algo tão barato. Portanto, acredito que se divertir com maior ou menor qualidade está muito mais associado ao seu poder aquisitivo do que ao seu posicionamento geográfico.

    5- Estradas precárias: Concordo plenamente. Trabalho em mais de uma cidade, e preciso fazer diariamente esse movimento pendular. As estradas são horríveis e perigosas, com toda a certeza. Pra piorar só faltam os pedágios.

    6- Poluição: Só gostaria de destacar que existem vários tipos de poluição. No caso do ar, o interior tá realmente ficando complicando. Agora, no tocante à sonora, visual…as grandes cidades ainda levam “(des)vantagem. Mas a sua afirmação faz sentido, uma vez que algumas pessoas saem das grande cidades pra tratarem problemas respiratórios e se deparam com uma fuligem interminável, além da contínua e insuportável mania das velhas senhoras em queimarem folhas em seus quintais.

    7- Música Sertaneja: Eu gosto desse estilo, portanto, isso pra mim não é um problema.

    • Singler disse:

      Cordordo com Everton.

      1 – Mas em compensação ao voltar para casa pode dar de cara com ela arrombada e com alguns de seus pertences sumidos. (cara na boa, pra isto acontecer somente se você fizer alguma coisa errada)

      2 – Moralismo e preconceito (Realmente nao posso discordar deste tema, mais acho que isto existe em qualquer lugar.)

      3 – Falta de privacidade: (Pelo contrário, se você vai pra balanda fica bebado e da trabalho, sempre tera alguem pra cuidadar de você, ao contrários da cidade grande que vc fica largado em qualquer canto. Cidade do interior, até a policia te conhce)

      4 – Tédio: Pura verdade, aqui nao se tem nada pra fazer a não ser, pescar final de semana.

      5 – Estradas precárias: (Mito ainda mais hoje em dia)

      6 – Poluição: kkkkkkkk (agora toda cidade do interiro tem plantação de cana. acho que vc deve especificar a sua região porque nao é assim)

      7 – Música sertaneja: (verdade pura. melhor sertanejo tocando na rua do que as dance)

    • douglas disse:

      minha cidade e um tedio, não tem cinema não tem shoping as ruas parecem fime de faroeste não tem ninguem as mina são so saem com caras de motos ou carros e muito dificil arrochar uma mina aqui o povo e fofoqueiro meti na sua vida todo mundo sabe da vida fr todo mundo to rezando pra ficar no exercito pra poder mim mudar de cidade agora quem quer lazer e sucego aqui e um otimo lugar

  2. Gostei disse:

    Gostei.. um post de muita qualidade!. não irei morar em sua cidade..hehehehe
    abraço

  3. lica disse:

    eu estou pensando em mudar pro interior , porém tenho 2 filhos adolescente,mas depois desse texto confesso que irei pensar melhor

    • Heloísa disse:

      É, realmente, Lica, você deveria, porque cidades pequenas são o DESESPERO dos adolescentes, eu sei disso porque morei toda a minha adolescência numa cidade pequena. Você fica com muito tédio, muito mesmo e não sabe oque fazer. Até mesmo as escolas do interior, dependendo da cidade, são piores que muitas da capital, mas nem sempre. Além de que as oportunidades de emprego são menores, e as opções de faculdade para os seus filhos na região vão ser mais limitadas quando eles quiserem prestar vestibular. Mas depende do seu estilo de vida, se você gosta de viver em lugares mais calmos, o interior é o ideal, e se os seus filhos gostarem de lugares calmos também e a questão não seja opções de emprego, não vejo porque não mudar.

  4. Kika disse:

    Discordo quanto à observação de Everton no tocante à poluição sonora ser menor no interior. Vai depender muito da cidade. Na minha, chega ao nível do insuportável. Antes o sertanejo reinava. Então apareceu o funk, que tomou conta. Agora é uma música baiana esquisita. À medida que a noite cai, saem às ruas os “carros de som”, equipados com aparelhos que poderiam ser utilizados no Pacaembu, e assim viram a madrugada. Frequentemente demoro a pegar no sono devido ao barulho na rua, ou acordo no meio da madrugada com uma música horrorosa a todo volume na minha janela. E tem as tais “serenatas”, meu Deus, um verdadeiro inferno.

    A falta de privacidade é outra questão que tira vááários pontos da cidade pequena. Como eu morei em capital, sinto-me sufocada por aqui, onde todos parecem se preocupar imensamente com a minha vida. Ô povo curioso e fofoqueiro! Adoram contar podres da vida alheia, sentem um prazer sádico. E pasmem, aqui tem umas 100 mil pessoas e é desse jeito. Sentar na mesa do bar pra bater um papo legal é algo raro de acontecer. Normalmente as pessoas vão fazer três coisas apenas: falar dos outros, fumar e beber. O programão de fim de semana é encher a cara e depois ir cheirar lança na boate.

    Agora o pior de tudo, é a falta de cultura dos habitantes. É todo mundo parado no tempo, porque não existe a competição da cidade grande. Estudar, por exemplo, não fazem questão. Sofro muito na facul! Em todos os grupos de trabalho saí brigada com os participantes. Não sou perfeccionista nem autoritária. Mas aqui ninguém quer pensar, discutir, redigir o trabalho. Tentei fazer isso em um grupo, e levei dedada na cara de uma dizendo que eu “me acho melhor que os outros!!!”. Putz! O fim da picada a gente ser criticado por ser competente e responsável. Todas as minhas qualidades viraram defeitos. Fazem piada de mim por eu falar mais de duas línguas estrangeiras. É mole ou quer mais?

    Tudo o que eu quero é ir embora daqui, e assim que for possível o farei. A cidade pequena pra mim foi um sonho que virou pesadelo.

    • carlos disse:

      vem morar em sao paulo, pra ver o que é bom então!!

    • Laura disse:

      Kika: Concordo PLENAMENTE. Eu moro no interior, mas odeio. É realmente terrível a falta de cultura do povo do interior ( não quero ofender ninguém nem generalizar, mas é isso mesmo). Ninguém pensa em mais nada do mundo a não ser sua cidade. Eu sou fluente em inglês e já fizeram piadas de mau gosto comigo por isso. E, também, como nasci e morei em São Paulo por um tempo, tenho um sotaque típico de lá. Adivinha se as pessoas não resolveram fazer piada disso TAMBÉM?! É realmente desesperador. Nesse comentário você praticamente descreveu minha cidade, mas ela é pior ainda. Não é terrível?

    • nr disse:

      as pessoas de cidade pequena são muito medíocres, fazem bullying contra aqueles que eles acham que tem mais conhecimento que eles, por mais humilde e legal que vc seja, eles sempre se sentem menosprezados se vc veio da cidade grande.

  5. Ricardo disse:

    KIKA – Gostaria de entrar em contato com você…

    Imagino que os comentários têm, na média, um fundo de verdade, acrescido de um certo exagero.

    Talvez um único argumento a favor de ir morar no interior, para milhares ou milhões de paulistanos, seria economizar 2 a 3 horas por dia ‘queimadas’ dentro do carro.

    Acho que a maior carência do interior deve ser mesmo uma boa variedade de ótimos restaurantes…

    Abraços.

    • aline dias santos disse:

      eu só acho para q para essas pessoas viver entensamente no meio da violencia e estar a beira de uma bala perdida ,para elas são uma otima opição de vida

  6. Paula Tejano disse:

    Eu moro no interior e os que concordam com essa materia assim como ela tem um Q.I muito ilimitado.

  7. Gustavo disse:

    Realmente as diferenças do interior a metropole são enormes. Sou de SP e me vi obrigado a mudar de cidade por causa da unesp (que obviamente é no interior), desde de que me “mudei”, ainda não consegui passar um final de semana fora de SP, as 12 horas de viagem por final de semana me cansam, mas valem a pena. Não sei se algum dia irei me acostumar com a vida no interior, mas tambem acho que nem tenho essa vontade.

  8. [...] já escrevi minhas impressões sobre morar no interior aqui. Acho que fui um pouco rabugento ou pessimista demais. Mas a verdade é que morar numa pequena [...]

  9. Jr. disse:

    Parabens pelo assunto e todos os artigos postados. Felizmente ou infelizmente o interior de SP e PR ainda sao a melhor saida para quem quer mudar com a familia, e/ou empresa, e/ou trabalho. Cidaddes como Sao Paulo e regiao metropolitana estao em colapso (caos e guerra urbana), ex: favelas, periferias, cadeias, lixo, enchentes, sequestros, transito, bandidagem, camelos, todo tipo de poluicao, transporte, violencia, impostos, buracos, varios pontos de trafico, falta de planejamento, altas taxas, alto risco e custo, baixissimo beneficios alem de doencas assossiadas: stress, depressao, sindrome do panico, verminoses, doencas pulmonares, ataques de ira, etc, etc.
    Com informacao e planejamento e uma verba estrategica, recomendo: regiaoes de Sorocaba e Ribeirao Preto em SP, regioes de Londrina e Maringa no PR(Parana) e regiao de Goiania – GO. Sao regioes progressistas com otimos indices, servicos, industria, comercio, infraestrutura e areas projetadas muito bem.
    Nao precisa acreditar no que falam ou escrevem, viaje, visite e pesquise converse com moradoras e quem ja se mudou.
    Boa Sorte!

    • professora disse:

      ótimo comentário…
      vou me mudar para essa região de sorocaba, por motivo de trabalho do esposo e sei que vamos ser bem sucedidos…

    • Rogerio disse:

      interior é um lixo eu morei e sei como é, um tédio não tem nada que presta!

  10. Ricardo disse:

    Desculpem a falta de acentuacao,estou no celular.Sou nascido e criado em SP vila madalena tenho 29 anos e moro a 1 ano em Bauru,cidade media.Vim porque meu pai faleceu e minha mae quis morar aqui eu a acompanhei.Nada nessa cidade me prende aqui,por melhor que seja,nao existe tanta tranquilidade como nos paulistas pensamos,trafico de drogas e noias por todo lado,policia certamente corrupta,emprego na minha area de TI eh palhacada o que querem pagar,ruas esburacadas,as cinzas de queimada existem desde que eu tinha 10 anos ,o estilo de vida de cada um no seu quadrado,pessoal mal educado no transito e nervosinhos por toda parte.Existe restaurante bom e choperias,mas a diferenca de preco e irrisoria e o mesmo com a alimentacao,poucas coisas sao mais baratas e,querendo ou nao veja as suas compras em SP de vegetais e frutas o selo Selecionado,aqui nao tem,selecionaram e levaram embora.Fora que interior e cheio de espertinhos,que fazem tudo,vale muito a malandragem da cidade grande nesses lugares.To bem mais em SAMPA,mesmo conhecendo dos problemas do que numa media,ahh fora o que tem de cadeia aqui….pelo amor,da medo!!! lugar bom vai ser nordeste,pra viver e ganhar dinheiro!!!abracos

    • Clara disse:

      Também sou da Vila Madalena, mas me mudei para o interior por motivos familiares assim como você. Concordo plenamente, morar no interior só é bom pra quem gosta de lugares calmos, senão, nem serve.

  11. Leo disse:

    Adorei o texto, assim evita muitos chatos da capital estragarem ainda mais o interior. Temos que preservar mesmo o que tem de bom no nosso país, nossa cultura caipira.

    • EDUARDO disse:

      Você não dever pensar assim, pois a grande maioria das cidades do interior vive do turismo ou de “cabide de emprego das prefeituras”.

  12. Samuel Cassiano disse:

    Nem tudo é verdade…

    Sobre a violência… ela existe e não existe em alguns bairros (tanto em cidade Grande quanto em cidade Pequena);
    O Mesmo vale para Poluição, cidades grandes podem ter bons locais assim como cidades pequenas… e terem também áreas poluidas (poluição está em todos os lugares hoje)

    Enfim, só não arranjo mais tempo para argumentar contra proque estou indo para uma cidadezinha do interior, Ourinhos, passei na UNESP, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk……….

    E vamo q vamo!!! rs

  13. [...] entendo um pouco também. Então, tirando esses posts, o que teve uma discussão de alto nível foi “Sete motivos para não se mudar para o interior”. Parece que a maior parte das pessoas concorda com os meus argumentos. Ainda bem. Ou [...]

  14. marcos disse:

    Já aposentei,gosto de pescar,de nadar,de plantar,de silencio,estou decidido,ano que vem estou indo embora de sampa,morar em uma chacara,com vizinhos pelo menos uns 1000 metros um do outro,abraços a todos.

  15. Paulo disse:

    Putz, perfeito… adequando-se os nomes das cidades, este post encaixa-se perfeitamente na minha realidade, no interior do PR (30.000 hab)

  16. Anderson disse:

    Moro numa cidade do interior de São Paulo, não vou dizer o nome, mas fica a 100Km de São Paulo na região de Sorocaba, o negócio é o seguinte eu gosto muito de música principalmente de Rock, e aqui nesta cidade de merda os caras são muito folgados, se você gosta de usar camisetas de bandas de Rock aqui não é lugar, porque sempre que eu uso uma camiseta de banda eles olham feio, porque simplesmente não gostam de Rock ou porque eles têm inveja e não sabem respeitar o direito dos outros ou seja são um bando de caipiras, já em São Paulo (Capital) as pessoas se respeitam mais.

    • Júlia disse:

      Eu também *–* Mesma coisa! Eu uso camisetas de banda, e os caras me olham tipo: lá vem a metida a roqueira da capital com a camiseta de banda! Isso me irrita muito, moro numa cidade a mais ou menos 200 km de São Paulo, na região de São José Dos Campos (Vale do Paraíba – Popularmente conhecida como a Desgraça do Paraíba :/ ) O povo caipira realmente não entende isso mesmo :P

    • MARCO disse:

      Não é que as pessoas respeitam mais, é que elas não estão nem aí pra você, estão preocupadas com seus afazeres. Já no interior como não tem nada pra fazer eles cuidam da vida alheia.

    • Mayara disse:

      Eu morava em uma cidade pequena, do interior de Santa Catarina. O período em que cursei o ensino médio coincidiu com o “boom” do sertanejo universitário. As menininhas só falavam de “Victor e Léo”, “Jorge e Matheus”, “alguma coisa Bosco e Vinícius”, etc … eu fala que gostava de, tipo, Metallica, e adivinha o que acontecia? eu era zoada. Na época, como adolescente, eu não percebia isso, mas eles me zoavam pelo simples fato de eles não conhecerem as músicas dos caras. Me zoavam pois tinham inveja. Não que eu queira me achar melhor do que eles por escutar Metallica, mas eu nunca ri da cara de deles quando escutavam o “tchu tcha tcha”.

  17. fagner disse:

    concordo ate pq moro em interior e odeio … aqui é forro direto e o tedio é orrivel ….

  18. Rose disse:

    Olá pessoal !!!!
    Será que não há ninguém por aí que possa falar sobre as coisas boas que existem no interior?
    Quero muito sair de São Paulo, mas até agora vocês só estão me desencorajando pô !!! rs, rs, rs.
    Tenho quase certeza que há benefícios morando no interior, principalmente aquele interior que tenha Universidade.

    • Anna disse:

      NÃO SAIA DAÍ. NÃO SAIA. Sério, nós que desencorajamos só queremos seu bem, porque é um tédio :/ MUITO TÉDIO.

  19. Fulano disse:

    Moro há 1 ano numa cidade de um pouco mais de 13 mil habitantes/MA. É um tédio. De pegador acho que virei um chato porque só levo fora, só pra medir o quanto não me adapto direito ao estilo de vida daqui e vice-versa, numa cidade cheia de promiscuidade. Mas admito que precisar de 3 minutos pra chegar no serviço a pé é uma maravilha, além de esquecer a bicicleta por aí e ainda me entregarem em casa.

    • nr disse:

      cheia de promiscuidade, né? mas aposto que o povo daí (homens e mulheres) sempre dão um jeito de fingir que só em cidade grande é que isso existe, né? São tão hipócritas que dá nojo…povo católico, religioso, só vivem na igreja…todos bem vestidos, “com aparencia de gente de bem” as mulheres parecem tão decentes e adoram falar mal das mulheres de cidade grande (pelo que elas veem nas novelas) mas elas metem chifre nos maridos e qdo sao descobertas (pegas no flagra),ai dizem:”todo mundo erra, né?” gente invejosa, recalcada e hipocrita…odeio esse lugar, morava em cidade grande sim, e nunca vi tanta putaria e olha que eu nao sou moralista, hein?

  20. Magno disse:

    Amigo, parabéns pelas 7 dicas, para mim foram bastante uteis. Já cheguei a pensar várias vezes em mudar para o interior ou para o litoral; fico pesquisando e as vantagens na verdade se tornam desvantagem. Passei um tempo em Guaraci e definitivamente você está coberto de razão. Foi interessante, as pessoas me olhando como se eu fosse um ET, e olha que não chamo tanto a atenção, mas era gente nova no pedaço…rs. Ainda valeu a experiência, foi legal perceber que ficar uns dias numa cidade totalmente pacata é uma coisa, mas passar o resto de sua vida ou pelo menos a boa parte dela não é para qualquer um. Abs e obrigado pela ajuda.

    Magno – nascido e criado no interior da Bahia e desde os 21 anos literalmente apaixonado por Sampa.

  21. Antonio disse:

    Ainda bem que pessoas como vc não vão para o interior. Contaminariam o puco de inocência e honestidade que ainda existem, com a arrogância e prepotência dos que se sentem superiores por estarem em grandes centros. Vcs ainda vão sentir muita vontade de sair desse cemitério gigante, se tiverem tempo para isso.

  22. Doug disse:

    Olha Pessoal, todo lugar tem o lado bom e o lado ruim. Assim será…no litoral, no interior ou na Capital. O que eu acredito é que cada lugar possui uma característica que será o ponto chave para decidir o melhor lugar para viver. E é este ponto que vai pender o lado da decisão que será colocado na balança que avaliará o bom e o ruim.

    Não se dá para comparar: Jaguariuna, Sorocaba, Ribeirão Preto, Campinas que são cidades do interior já com desenvolvimento mais avançados, com cidades menores, como por exemplo Torre de Pedra, que você engata primeira na entrada da cidade e quando engata a segunda, a mesma já chegou ao fim.

    Tenho um respeito pela cultura caipira, admiro a região do interior de SP e no que tenho como minha balança de avaliação entre as regiões, gostaria de viver sim no interior, principalmente quando eu ficar velho.

    Eu trabalho em um ritmo alucinante, enfrento 2 …3 horas de transito todo santo dia para conseguir trabalhar. Quando é rodízio do meu caro…é 4 horas em rota alternativa. Se opto por transporte público…melhor nem comentar.

    Não sei se quando eu ficar velho…ainda será possível considerar o interior de SP como Cidades Caipiras, principalmente cidades como Sorocaba, São José do Rio Preto, etc. Só sei que se eu conseguir viver em uma cidade, sei la, como Mostarda, num ranchinho…perto de um alambique, com minha muié…acordando cedo com um cheiro de café tomando a casa toda…hummm sei lá…acho que me sentiria realizado.

    Um forte abraço a todos.

    • Regina disse:

      Doug, acho que até agora sua posição foi a mais censata.
      Mais se aceita um conselho não espere ficar muito velho pra realizar esse desejo de ir para o interior com sua muié, pois o estress de cidades grandes costumam matar as pessoas antes dos cabelos ficarem brancos.
      O sossego e a simplicidade das cidades do interior é VIDA, e não há nada mais importante doque a Vida.
      Há dois meses perdi um irmão, que foi vecido por esse assasino chamado
      estress, ele tinha 56 anos trabalhava como voce, e o sonho dele era igual ao seu.vc acha que ele era muito velho? Pense

  23. Doug disse:

    Há um detalhe…é claro que como todo adolescente que viveu o auge da idade nos anos 90…me apeguei ao bom rock. Cresci ouvindo muito rock…e por conta disso aprendi a tocar guitarra…e tudo mais. Curti desde bandas nacionais a ícones internacionais como Maiden…Guns, etc.

    O fato é…por mais que as pessoas possam criticar um gosto musical e tudo mais (não é esse o mérito)…quando fui ficando mais velho…e por conta das oportunidades da vida ouvi algumas modas de viola relatando a vida no campo (geralmente com a visão de quem ama o sertão)…me vi nesse mundo. Não precisamos ir muito atrás no tempo para ver músicas que nos façam viajar e desejar uma vida pacata:

    Deus e Eu no Sertão e Sapo Caiu na lagoa do Vitor e Leo…

    enfim…não é o mérito de discutir gosto musical (entendo o relato do preconceito do povo que vive la ao ver uma pessoa com camiseta preta de banda de rock andando na pracinha da cidade)…mas sim a questão de que quando me vejo ficando velho…anseio sim algo que me traga anseio de envelhecer no interior de SP.

  24. marcelo disse:

    moro no interior e concordo com tudo isso… to louco pra sair dessa merda kkk

  25. giovane disse:

    ée vdd concordo com tudo… todos falam q é mua belezura a paisagen o chero de coco de cavalo…mas pra quem mora desde que estava dentro do pai, até hj obvio q não se importa.. mas nós que já estamos acustumados a cheirar fumaça de carros coletivos, pegar o onibus lotado com akelas pessoas escutando funk autíssimo(porque fone de ouvido custa milhoes e apenas bill gaytes tem) e a correria do dia a dia.. é muito “pacata”

  26. Ricardo disse:

    Como postei a mais de um ano atras,19 de julho de 2010,interior ta podre e onde estou,saiu nos grandes jornais,Bauru eh a segunda cracolandia do estado de Sao Paulo.Estamos a vender casa de alto padrao e chacara procimo ao aeroporto,nao descrimino caipira porque meus pais vieram da roca,mas interior de SP ta podre,soh tem cadeia e muita droga,pra quem gosta eh prato cheio.Grande abraco a todos e prefiro viver como o amigo faloy antes,vizinho mais proximo a mais de mil metros.Italia lah vou eu!!!

  27. Ricardo disse:

    Soh pra fechar,procurem a quantidade de homicidios em portugal no ano de 2010,pasmem apenas 3,e a inglaterra virou por causa de uma bala perdida.Pensem bem,nosso pais por melhor que esteja, falta muito para ser democracia.Deus abencoe nosso pais, todos os dias peco isso e rezo por todos de bem……………………. amem.

  28. Ana disse:

    Eu moro em Caruaru. Aqui é considerado interior, porém tem shopping, cinema , parque de diversões e teatro e ainda tem uma população com mais de 300 mil habitantes. Eu gosto daqui, pois é calmo e não é um interior extremo, é um interior mais desenvolvido.

    A cidade do interior mais famosa de São Paulo é Aparecida, já esteve lá? É uma cidade que não dá para fazer muita coisa a não ser fotografar naquela igreja (que por sinal é linda, né?).

    • Maria disse:

      Eu moro numa cidade do lado de Aparecida, e quando vou para outros lugares relativamente longe, falo onde eu moro e as pessoas ficam tipo: Nossa, onde fica isso? Enfim, um saco .-.

  29. André disse:

    O pior arrependimento que um ser humano pode sentir e arrastar amargamente por toda sua vida é por “não ter tentado”; ficar congelado de medo por causa da dúvida e da opinião alheia e não buscar realizar seu sonho. Se quebrar a cara, busque outro sonho, mas se se der bem, seja feliz: mas jamais deixe de ir atrás!! E isso vale para todas as idades e sonhos.

  30. luiz rocha disse:

    MORAR NO CAMPO OU NA CIDADE?

    Cobrar das pessoas, notadamente das pessoas mais jovens, uma opinião acerca de onde morar é no mínimo absurda. O jovem, apesar de viver rodeado de toda tecnologia, de todo conhecimento, possui uma visão curta sobre qualquer assunto, porque o desconhece profundamente. Ouve os outros falarem, o que não difere das outras pessoas; então, é um seguindo o outro numa gigantesca “fila indiana” da ignorância. Concordo obviamente com o colega que disse para a pessoa ir, ver como é, escolher por si só e não ficar preso a opiniões por muitas vezes “chupadas” de outras mentes preguiçosas que não querem ter nenhum trabalho de pesquisa. Existem no subconsciente das pessoas algumas falácias famosas tais como “Todo funcionário público ganha bem e não faz nada” e “ Vida no interior é uma merda e o que presta é morar na cidade”. Isso é preguiça mental. Não participam de reunião de condomínio, não reclamam de nada; porque reclamar é coisa de pobre. Essas afirmações sobre o caráter em geral das pessoas é fácil de ser avaliado na época das eleições. Vota-se em candidato como se pergunta para outro qual o melhor medicamento para essa ou aquela mazela. Isso posto, vamos às questões objetivas;

    • O interior já não é mais aquele; nem do subconsciente nem do livro Jeca-Tatu, temos que fazer algumas atualizações:

    MORADIA:

    Com o aumento da criminalidade urbana e a vida estressante causada pelos engarrafamentos, os grandes empreiteiros estão construindo no interior para pessoas da classe-media e alta.

    EMPREGO:

    Com as isenções fiscais dadas pelas prefeituras interioranas, o pólo industrial está se mudando.

    ESCOLAS:
    Acompanham o êxito, que está sendo ao contrário do que conhecemos. Já ouviram falar de Ouro Preto, Viçosa, Pouso Alegre, o que acham?

    Moro na cidade de Petrópolis, RJ – cerca de 300 mil habitantes, vejo as mesmas pessoas todos os dias; o trânsito é infernal; a cidade não tem para onde crescer; a família imperial breca tudo; o custo de vida é mais alto do que no Rio de Janeiro; as faculdades são umas merdas; enfim, é uma cidade do interior sem as vantagens do interior. O povo foi contaminado com o “sangue azul” e para tudo demonstra sua arrogância e prepotência, logicamente acapangada de ignorância, para todo e qualquer assunto; se mordem, para não dizer outra coisa, quando ouvem a palavra “interior”.

    Dica:

    O concurso público é a solução de todas as mazelas. Por exemplo: como morar numa cidade de 15 mil habitantes e ganhar como se estivesse na capital do estado? Como curtir cachoeiras, churrascos, peladas em campo de terra, fazer esporte radical, acampar, participar de bailezinhos e até, atenção “mauricinhos e patricinhas” de baladas, sim baladas; interior tem demais. E para quem gosta da fruta, o esquema é o seguinte: caboclo sai do interior para vir para o grande centro trabalhar e ser pai dos futuros mauricinhos e patricinhas e a cidade fica a mulherada toda. Carnaval é para o cara filmar e trazer para os urbanos se deliciarem. Muita mulher, muito calor e muita cerveja. Com uma vida dessa acha que alguém irá se preocupar com a música que ta tocando? Voltando: o cara presta concurso público, pede transferência ou faz a inscrição para uma cidade interiorana, ganha muito bem porque o custo de vida é baixo, compra ou constrói uma bela casa; há diversos clubes com piscina e com churrasqueira; trabalha ½ expediente; adquire uma bela caminhonete, curte a vida com total segurança; faz de tudo; até ver o belo por do sol. Tudo resolvido: conforto, segurança, trabalho e estabilidade, qualidade de vida e felicidade. Aprendam, explorem, vão ver como é e saiam de uma vez por toda desse “mundinho de rede globo” que são os grandes centros. Se não gostarem, voltem e deixem para quem quer, falou?

    • Mayara disse:

      “Carnaval é para o cara filmar e trazer para os urbanos se deliciarem. Muita mulher, muito calor e muita cerveja. Com uma vida dessa acha que alguém irá se preocupar com a música que ta tocando?”

      Discordo desse seu comentário, pq EU me importo com a música que está tocando. Eu morava em uma cidade do oeste catarinense, com 42 mil habitantes e me mudei para Florianópolis para estudar. No momento, estou passando uns dias na casa dos meus pais, na minha antiga cidade. Esse fds, a única coisa que tem na cidade é balada sertaneja (sertanejo universitário) e eu ODEIO. Ahhh e odeio carnaval e calor tbm.

      Tbm discordo desse seu comentário sobre concurso público. Essa “geração concurso” não tem vontade de trabalhar, quer se acomodar. Obviamente não dá pra generalizar, mas o que eu mais escuto é: “se forme, faça um concurso que vc nunca mais vai se incomodar”. Acho isso o fim da picada, pq a maioria da papulação tá se fodendo enquanto servidor tá fazendo greve e reclamando da vida. Queria ver esses caras no serviço privado.

    • Pedro disse:

      Eu penso de forma semelhante. Inclusive fiz (e fui aprovado) um concurso em que escolhi lotação em uma cidade de 35 mil habitantes no centro-oeste catarinense.

      Se a gente parar para pensar, tem tanta gente que rala a semana inteira nas cidades grandes e que sonha com o momento em que poderão escapar para uma vida mais simples e tranquila. Resolvi adiantar esse momento, e ver no que vai dar!

      Mayara, você escreveu que conhece essa região. Seria essa cidade próxima a Fraiburgo? Queria conhecer um pouco mais sobre a cidade antes de me mudar para lá.
      Se você conhecer a cidade e não se importar, poderíamos conversar um pouco sobre ela? Meu nome no perfil do facebook é Pedro Ivo Ribeiro. Para facilitar a identificação: sou do RJ e estudei na UFRJ. Se preferir por e-mail, meu endereço (no gmail) é pedroimllr@…

  31. marcos disse:

    Boa intenção a sua cara,mas o que quer dizer desenvolvido??Eu moro em Santo André,grande abc,de desenvolvido aqui eu não vejo nada,isso de pegar fila pra tudo,ficar uma hora para andar 5 km de carro ou onibus(lotado),pagar multas todo ano,porque quem não tomar uma multa de transito em sampa no ano não deve dirigir,bandidagem danada,poluição nem se fala,as vezes não consigo ver nem o nascer ,nem o por do sol,isso pra mim não é desenvolvimento,estão é acabando com tudo,quando eu nasci aqui ainda dava pra suportar,mas estou indo embora,cidade de 30 mil habitantes,paz,muita paz,pra quem gosta de sofrer,vem pra cá,

  32. Leo disse:

    Este foi um dos piores posts que ja vi em blogs em minha vida…

  33. Dandara disse:

    muito obrigada kkkkk eu moro na cidade grande a muito tempo penso em me mudar porque não aguento mais isso aqui… amo sertanejo, não curto baladas, e não faço nada de errado pras pessoas ficarem comentando… então acho que vou me dar muito bem no interior!

    • Fernanda disse:

      É, provavelmente. Depende MUITO do estilo de vida da pessoa. Se você gosta da cultura urbana, do choque de interesses, procure cidades maiores. Mas se você gosta de levar uma vida calma e pacata, prefira o interior

  34. Marcio Faria disse:

    Desculpe, mas com todo respeito vou discordar. Saí do Rio de Janeiro para o NORDESTE 90% por causa da violência e 10% por qualidade de vida de modo geral. Buscava tranquilidade. Pois bem o resultado é…100% de arrependimento. Moro em uma capital do NORDESTE e fosse qualquer uma estaria na mesma situação. (Conheço todas) Violência de fazer inveja aos grandes centros como SP, RJ, BH e tantos outros. Claro que existe uma pequena diferença no tipo mas não no efeito. Aliás em muitos casos, proporcionalmente a coisa é até pior…não existe a menor preocupação ou comprometimento de órgãos e poderes públicos. Na qualidade de vida não é diferente. Como ter qualidade sem médicos, sem hospitais, sem opções de lazer, sem cultura, sem educação (de todos os tipos – acadêmica , de berço etc)? Hoje acho que a solução parcial são cidades médias (200 a 400 mil hab.) relativamente próximas a grandes centros. Sei que não é perfeito porque até no paraíso já existe crack, crimes etc. E nem falei no analfabetismo e na falta de higiene desses lugares, hein! Acho que talvez na vida após a morte exista um lugar que se possa dizer que é realmente bom!

  35. [...] um tempo atrás eu escrevi um post com sete motivos para não se mudar para o interior. Acho que eu fui um pouco ranzinza naquele post, mas tem uma coisa que eu escrevi e não me [...]

  36. wagner disse:

    Quem faz o lugar que mora é quem mora no lugar.

  37. jorge disse:

    o que estraga o interior, são as pessoas da capitais.

  38. willy disse:

    Este foi um dos piores posts que ja vi em blogs em minha vida… [2]

  39. Elvis disse:

    O lado bom demorar no interior que não temos que conviver com emos, skinhead, aquelas pessoas estranhas que acham que são vampiros, excesso de homossexuais, homofóbicos, adolescente problemáticos que matam pai e mãe, e por aqui por enquanto ainda não tem cracolândia, e as drogas ainda é um assunto que os usuários preferem esconder-se, a fica usando em praça publica na frente de crianças e idosos, aqui quando chove pode até encher algumas ruas de agua mas não tem barraco desmoronando e não se leva 3 horas para chegar no trabalho e 5 para voltar pra casa, não se corre o risco de levar uma facada de um paraíba em um bar, a Skol, Brahma, Antarctica de garrafa ainda custa 3 reais, e nos shows que temos não precisamos pagar 400 reais para ver um rockeiro drogado cuspindo no publico, enquanto estes aplaudem.
    O sertanejo tambem não é problema prefiro dançar um forro e me esfregar nas meninas do que ficar dando trombada com um marmanjo cabeludo, tatuado, e fedorento.
    Cidade grande tem vantagens sim, mas ainda prefiro viver no interior aqui se encontra tudo que tem em uma cidade grande e eu sei que é meu vizinho e as pessoas com que devo me misturar ou não.
    A questão do corintianos isso é praga e coisa ruim em em qualquer lugar, isso não da pra mudar.

    • ricardo disse:

      Pessoas como vc devem continuar morando no interior, por favor, nao saia daí.

    • sandra disse:

      adoreiiiiiiiiiii…….

    • Mayara disse:

      Fique no interior. Não saia daí.

    • Ricardo Ferreira disse:

      Não sei o que essas “pessoas” (podemos titular assim?) têm contra os nordestinos. Lembro-me bem de dois primos paulistas que vieram passar férias (óbvio) por aqui e fiquei perplexo com o desleixo ortográfico dois dois. Pensei que eram só neles, mas to vendo que não. Português 0, mentalidade 0.

    • Mayara disse:

      huahuahuahua

      Rockeiro cuspindo no público? O Gusttavo Lima não é rockeiro e jogou um pedaço da guitarra na cabeça de uma menina. Gostar de rock não significa que vc tenha que participar das “rodinhas punk”.

      Vc prefere sertanejo, tudo bem. Finalmente me mudei daquele fim de mundo onde morava e agora, pelo menos, eu tenho opções, não preciso mais me sujeitar a ir a festas que tocam esses lixos.

      “Levar facada de paraíba”. Depois vc fala dos skinheads, hipócrita e preconceituoso de m****.

  40. ThiagoTN disse:

    Eu moro em uma cidade de 4 mil habitante, interior de Goiás…
    Esse texto descreveu com detalhes o que é isso aqui, sem por nem tirar!!
    Muito bom mesmo…

  41. discordo, moro numa cidade do interior, e os a maioria dos 7 motivos não se aplica a cidade onde moro, pois aqui não tem queima de cana-de-açucar(Poluição), Música Sertaneja (não é todo mundo que ouve), Tédio(temos vários locais para sair e divertir), Falta de Privacidade…
    sem mais.

  42. Ricardo V. disse:

    Excelente post. Só discordo com relação a violência. Hoje trabalho em São Paulo (Zona Sul) e moro em São Bernardo. Já fui sequestrado uma vez. Assaltado na porta de casa uma vez e abordado por bandidos armados outras duas vezes. Meu pai também já foi sequestrado e mantido em cativeiro por 5 horas. Além de outros pequenos roubos e furtos. Já um bom motivo para morar no interior é a falta de trânsito. Ótimo precisar do carro para ir ao cinema. Desde que não leve duas horas pra andar 15 quilômetros.

    • Marcio disse:

      Já me manisfestei antes mas…complementando…
      Qualquer um pode ter e tem motivos para se mudar ou não para o interior…isso depende de vários fatores e não existe opção correta visto que a opção envolve ainda outros infindáveis fatores…a observação que faço é tentar unir o melhor de dois mundos em um e isso será impossível vivendo nas grandes metrópoles brasileiras, principalmente Rio e São Paulo…por outro lado cidades pequenas e médias próximas sem serem unidas a esses grandes centros podem oferecer as vantagens…ainda assim em qualquer caso não existem garantias absolutas…apenas a morte… vocês todos vão morrer como eu e todo o mundo…é apenas questão de quando e como se viveu até o final da vida.

  43. Marianne disse:

    gostei do post… sou de São Paulo e estou pensando em me mudar para o interior. Imagino que o que você escreveu é verdade, e o que mais me incomoda é o fato das pessoas serem moralistas e fofoqueiras. Mas não deve ser tão ruim assim, senão você não estava morando aí, não é mesmo? ou viria mais do que 2 a 3 vezes por ano. Você não quer escrever um post sobre as vantagens de morar aí?

    • professora disse:

      exatamente Marianne, seria ótimo um post sobre as vantagens…pois é mais fácil falar mal do que bem…

    • nr disse:

      Nao, não é…se eles perceberem que vc é falso moralista, medíocre e fofoqueiro como eles, eles não mexem com vc, eles só infernizam aqueles que eles percebem que são pessoas legais que cuidam da propria vida, veja em qual perfil vc se encaixa.

  44. Marcellos disse:

    Vou morar na floresta Amazônica, montanhas do Himalaia, ou em um dos polos do planeta, pois só assim não terei de conviver, com seres que se dizem humanos e de humanos nada tem, som alto, independente da musica é um problema de educação (Falta Dela), entorpecentes, por puro lucro, sem importa-se com consequência do mau que tras, violência gratuita, sacanagem descabida, independente de ser interior ou cidade grande, tem sempre isso, a diferença é a proporção para (+ ou -), decidi ir para o interior de Portugal onde existe cultura de verdade, ainda há respeito, tradições ainda existem, enfim é melhorzinho, o Brasil é um pais jovem e como todo jovem infuenciado facilmente, por isso vou para o velho mundo, onde há mais maturidade.

  45. Marcio disse:

    Seis meses depois de dar minha opinião (portanto com mais tempo para pensar e amadurecer idéias) volto para complementar o que disse antes. Somos resultado do meio em que vivemos e dessa forma vinculados a nossas experiências de vida. Nossas características pessoais são resultado da educação recebida, assim, pessoas de ambientes diferentes, mesmos que tenham opiniões parecidas chegaram a elas por valores diferentes. Ratifico o que eu disse antes. Qualquer lugar fora do seu habitat natural gera expectativas e desilusões. Nada é como parece ser no início. O interior é bom e a capital também, depende de cada um, e da sua disposição para conhecer e se expôr em outro ambiente. Se você não tiver capacidade de aceitar diferenças não vá. Mas não deixe de experimentar antes de se decidir. Eu diria que é como um casamento…pode acontecer de tudo mas depende de harmonia e da capacidade de cada um de fazer concessões. Um dia vou para o interior (desenvolvido) de São Paulo…e não sou paulista.

    • professora disse:

      ótimo comentário…estou para ir para o interior em breve
      com expectativas, mas realista, vale experimentar…

  46. M9999 disse:

    Na minha opinião… não importa se e cidade grande ou interior, penso que as pessoas tem q se encontrar no mundo… cada um com a sua felicidade
    Eu nasci e cresci em São Paulo… me casei com uma mulher do Nordeste… nessas ferias viajamos para la… me apaixonei pelo lugar…
    Espero um dia…. não muito distante,espero eu… de me mudar para la… e a cidade tem 30 mil habitantes… com renda media de 700 reais por mês
    Tenho um bom emprego e com muitos benefícios… mais se eu tivesse oportunidade de ir embora HOJE, minhas malas estariam prontas…

    • Marcio disse:

      Não esquece de dizer sua opinião uns seis meses DEPOIS que estiver lá, tá? E não venda tudo o que tem antes de dois anos… você pode querer fazer um “haraquiri” (é assim que se escreve?)

  47. pra quem diz k o k estraga o interior sao as pessoas das capitais , pois pelos menos a metade das pessoas k moram nas capitais sao do interior ou ate + aqui em porto alegre pelos a metade sao do interior ser for assim os do interior e k estragam as capitais justo ne ?

  48. William Galleassi disse:

    Amigo eu descordo completamente do seu post.
    Parece que você esta com medo que toda a população do centro de São Paulo vá morar na sua cidade!
    Veja bem, Igaratá é uma cidadezinha perto de Campinas, Jundiai, Sta Isabel… Igaratá tem apenas 8.292 habitantes… isso mesmo 8.292 habitantes… e a cidade é muito limpa, tem ar puro, agencia bancarias, clubes nauticos e olha só o pessoal lá não ouve sertanejo… violencia na pacata cidade de igarata?? a delegacia de la nem funciona nos finais de semana e feriado… kkkkk
    sem contar no custo de vida nessas pequenas cidades do interior, uma casa com 3 quartos, 2 c suites, banheiro, sala de estar, sala de jantar, varanda, pscina e um amplo terreno, vc encontra no interior por 150.000, 200.000… quanto custa uma cassa assim em são paulo??? ti garanto que não sai por menos 5.000.000 independente da aréa.
    Estou pensando em morar em sorocaba ano que vem, e por isso descobri o seu post, achei interesante a materia e gostaria de ver os contras em morar no interior… Obrigado! mas ainda pretendo morar em sorocaba ano vem.

  49. jones disse:

    moro do lado de sorocaba e sinceramente e muito bom morar aqui. tem algumas coisas ruins como o pessoal preconceituoso, mas nao sao todos tem muita gente com mente aberta. em relaçao a violencia, depende do bairro e da cidade por exemplo, morei em sumare e tinha muita violencia… cidade boa pra morar e em paulinia e sorocaba.

  50. MARIA ROSANA disse:

    vc tem toda razão…as pessoas do interior são muito caipiras e costumam dar nomes feios para pessoas legais…mulher bonita solteira falam que deve ter amante…ou que foi biscate…
    as sapatonas vivem de olho nelas …
    ficam tambem querendo pedir dinheiro emprestado para quem tem um pouco mais…ja que o anco parace publico…
    vigiam seus passos…as pessoas são feias, jecas,mal vestidas, n’ao tem educac’ao e as vezes nenhum carater,,,
    MORAR NO INTERIOR PODE SER HORROROSO.

    • nr disse:

      e as vezes nenhum carater, as vezes??? eu é que sei, gente invejosa, recalcada, pratica bullying com quem veio de cidade grande, porque tem inveja…eles se sentem inferiores e acham que td mundo pensa isso deles, agora, ja conseguiram me convencer, por isso detesto esse lugar e essa gente…em pensar qu vim pra cá achando que eram todos puros de coração…qta besteira, criticam alguma coisa em vc e logo em seguida se endividam todos, só pra fazer o mesmo que vc, porque vc é de cidade grande eles te copiam em tudo, sao traicoeiros, arrogantes e mal educados, ficam tentando competir com as pessoas de cidade grande e falando mal delas, mas td que eles queriam era morar em cidade grande.

  51. loureni disse:

    Nasci no interior, mudei para a cidade grande por 20 anos e hoje estou em uma cidade de 20.000 mil habitantes….chego a conclusão que morar no interior é pra quem nasceu lá…quem é da cidade grande tem muita dificuldade para se adaptar e vice-versa…Passear no final de semana, passar alguns dias das férias é uma coisa…morar é bem diferente….mas é perfeitamente possível quem nasceu no interior ser feliz e não trocar por nada assim como quem nasceu nas grandes cidades gostar daquele ambiente. Para quem está acostumado com o agito o silencio do interior encomoda, acho que ficamos viciados em barulho……Hoje moro e gosto da calma do interior mas não deixo de ir para a cidade de vêz em quando tomar banho de cultura e apreciar as boas coisa de lá…..resumindo..tem coisa boas nas duas condições…o melhor é aproveitar os dois e não ficar preso a um único tipo de vida.

  52. Gerson Jr disse:

    Achei o texto interessante, concordo plenamente com alguns itens e parcialmente com outros..
    O fato é, quem é de cidade grande, não deve vir para cidades com menos de 50mil habitantes e distantes em mais de 70km de grandes centros.
    O ideal é se mudar para cidades de 100 a 300 mil habitantes e próximo a grandes centros, de 20 a 30kms.
    Digo isto, pq morando próximo, assim que bater o tédio, vc terá mais opções de entretenimento em cidades maiores, as estradas são menos ruins e nem todos se conhecem, dá pra exercer uma certa discrição…
    Sem falar que, em cidades de 100 a 300 mil habitantes, vc encontrará rockeiros com mais facilidade e encontrará a intolerância com menos facilidade.
    E se vc não se aposentou e ainda está ativo profissionalmente, cidade de 100 a 300 mil habitantes, lhe oferecerão maiores oportunidades.
    Logo, concluo que, se quer sossego total, mude-se para cidades mais distantes e menores (70mil habitantes para menos)… e adapte-se…
    Sobre a violência, sem comentários né? Nada como uma boa cerca, um cão, muros altos e um alarme, que não afugente os ladrões de galinha e botijão de gás que existem no interior…
    Pois não terão “disposição” de invadir uma casa dessas…
    Já na grande SP, isso atiçará ainda mais as grandes e orquestradas quadrilhas de assaltantes, especializados em arrastões em condomínios de luxo, casas de alto padrão, ou mesmo de padrão suburbano, mas que conote um certo “recheio”, como uma tv de plasma 42′…
    Sem falar na alta possibilidade de ir para o trabalho e voltar sem o carro, sem a carteira e celular, ou embalado para viagem num paletó de madeira.
    Quem conhece “bem” a cidade de SP, sabe que não exagero.
    No mais queridos amigos, gosto do interior, (100mil a 300 mil) mas detesto as cidade menores, pois, eu não me acostumarei nunca com a falta de cidadania que por lá é mais evidente, como parar em fila dupla, atravessar o farol vermelho, atravessar o carro em acesso proibido…
    Mas adoro o “bom dia” sem interesse e sempre cordial…
    Coisas do interior, dilemas do mesmo tema… rsrsrs

    • Nelson disse:

      Concordo, mas quando vc vai para uma cidade do gabarito de Blumenau, Joaçaba ou Treze Tílias (todas em SC). Sou carioca, e me afastei do RJ/capital em 1997. A partir daí já trabalhei em Joaçaba (interior/SC); Curitiba; Cuiabá; Maceió; Recife e atualmente “INFELIZMENTE ESTOU EM RIBEIRÃO PRETO!!!” DETESTO ESSA CIDADE! NÃO TEM NADA PARA FAZER! AS PESSOAS SÃO FOFOQUEIRAS!

    • nr disse:

      Concordo com o Gerson, meu problema foi ter saido do litoral, uma cidade com ares de cidade do interior, mas que tinha tudo e vir morar no interior numa cidade com menos de 5 mil habitantes…to pagando os pecados que eu nem sabia que tinha.

  53. hugo disse:

    E realmente, concordo com vc em quase tudo que vc disse exceto aonde diz assim;`’ vc nem encontra drogas pra acabar o tedio’ e quem diz que precisamos de drogas ?? pra relaxar. e finalmente em qualquer lugar do brasil vai ser assim por que o brasileiro tem mania de ser ladrao, vagabundo, gosta de passar os outros pra tras, de se dar bem em cima dos outros isso ta no sangue. nunca vai mudar. e uma mistura de raças infinita de todas partes do mundo. vai ser sempre assim.

    • nr disse:

      Eu nao usava drogas onde eu morava, mas depois que vim morar no interior, agora entendo porque o alto indice de alcoolismo, to quase indo la “pros bar” encher a cara com os tiozinhos e olha que sou mulher hein…

  54. marcia disse:

    Olá Pessoal, adorei a discussão sobre Interior/Cidade Grande e gostei muito do que o Gerson Jr disse: Existem prós e contras em ambos os casos, e eu só gostaria de achar um lugar onde pudesse comprar uma casa bacana onde pudesse entrar na cozinha junto com meu marido, e não nesses apartamentos onde um tem de sair p o outro entrar; onde pudesse levar uma vida pacata e ir à um restaurante bacana de vez em quando; que pudesse conversar com pessoas interessantes vez por outra, mas recorrer aos vizinhos fiéis quando necessário… outra coisa que me preocupa são os presídios…quais são as cidades que instalaram os novos presídios? E para quem fez essa transição da cidade para o interior, por favor comente os prós e contras, ok.

  55. Marc disse:

    Me diga onde é a sua cidade… já fiz as malas e vou para morar aí. Melhor com esses problemas do que na loucura em que se tornou São Paulo. E tem mais, nem dá para comparar a situação de “encontrar a casa roubada” do que “enfrentar um assalto à mão armada”. Quanto à questão da privacidade, até em São Paulo, principalmente se você morar em condomínio, saberá que ela é relativa. Mas, em contrapartida, você sempre terá um vizinho amigo, em quem você poderá confiar. Isso é fato. Estradas??? aqui você pode até ter asfalto de boa qualidade mas, não é regra. E a quantidade de “maluco” que anda de moto “costurando” pelo trânsito, sem falar nos motoristas de ônibus que acham que a rua é deles. Mas é questão de “adaptação”. Não são fã de passear em shopping center, aliás, aquilo ali só em última necessidade. Cinema??? ok… concordo. No mais, parabéns pelo comentário…

  56. Joselina disse:

    Achei o texto muito bom,como também os comentários.Já moro há 15 anos em S.José dos Campos,e quanto a cidade não tenho nada a reclamar,mas os moradores, são uma múmias, ninguém gosta de trocar ideia de conversar com ninguém. Parecem que vivem no tempo de “Murici” cada qual cuida de si. Não são nada hospitaleiros Odeio, detesto essa falta de comunicação que existe aqui entre as pessoas. Não vejo a hora de cair fora daqui

  57. Julio Cesar disse:

    Nasci e morei em Sao Paulo por 41 anos. Em uma viagem de moto (para aliviar o Stress da loja de lanches que tenho em SP) com amigos conheci uma garota de Itumbiara / Goiais. Vi que tem muita mulher bonita e as pessoas saem, namoram, acordam mais tarde no final de semana e muito namoro. Fiquei la por 4 dias, e voltei a Sampa decidido a ALUGAR a minha loja e uma pequena casa onde morava de 2 quartos. Com o dinheiro do aluguel, vivo tranquilamente em Itumbiara, tenho uma namorada LINDA de morrer. Quando morava em SP era dificil sair do servico e nunca conseguia mulher bonita pois ninguem quer namorar com um homem que vende coxinhas de frango, empadas, etc. Achei o meu paraiso, estou vivendo a vida que nunca vivi. O interior e muito bom sim. Na semana passada fomos a Araguari em MG e achei o povo bem simpatico e educado. Meu filho que mora em SP veio me visitar aqui em Itumbiara e gostou, porem ele me disse que nao consegue viver aqui pois ja acostumou de grandes centros comerciais, shopping centers, shows, etc – me pergunto, pra que? Aqui tem comida barata, mulher bonita, voce ve e desfruta a vida diferente daquela correria louca de SP – fora assaltos, medo e isolacao. Em SP tinha medo de ser assaltado dentro de casa. Nao importa onde vive – ache o seu destino e lugar. O lugar onde VOCE e FELIZ, este e o lugar – viva a vida!

  58. Cau disse:

    Olá. nasci no interior de SP e vivi até os 18 anos. Depois fui para SP. Hj tenho 42 e faz 01 ano que retornei para minha cidade natal em busca de qualidade de vida e p/ criar meu filho pequeno. Tem coisas bacanas: o dia rende, não preciso andar com os vidros do carro fechado; preço de escola e clube não tem comparação: é muuuiiiiito mais baixo do que em sampa. Com relação a estradas precárias, aqui na minha região não é assim.
    Entretanto concordo com todo o resto. Voltaria hoje, agora mesmo se pudesse.
    Eta povinho de mente estreita!!! Sorte a minha ter saído fora.

  59. Nasci no interior de Minas, aos 20 anos vim pra Sao Paulo,e sempre sonhei em voltar pra minha cidade ,ja se passaram 21 anos, meu sonho de voltar pro interior ainda vive, mas nao mais pra minha cidade em minas, as coisas la pioraram demais, drogas, assaltos ,mortes, desecredito as vezes que a cidade acolhedora e de pessoas de bem que vivi tanto tempo pudesse estar poir que Sao Paulo,se considerar apenas 60.000 habitantes.
    Nem pode-se dizer que e caso isolado, pois ja vi o mesmo em outra aqui mesmo pelo interior de Sao Paulo, mas sei que deve existir lugar que valha a pena fugir, onde mesmo tendo uma mente atrasada,talvez nao veria mais a falta respeito que vejo na porta da minha casa todos os dias carros com o som no ultimo vibrando tudo rolando funk e as meninas fazendo a festa da mulecada com sol quente,nao tem hora ,isso porque meu bairro era ate uns 3 anos atras uma maravilha de se viver, nao tem mais hora pra transito em Sao Paulo, sempre fiz compra de madrugada pois era mais tranquilo…….rs, era, estacionamento do Extra anhanguera virou point da bebida e na madrugada,os vigias das ruas passam pro bandidos de plantao quem viajou ,quando os moradores voltam rezam antes de abrir a porta, aqui varias casas ja foram assaltadas de dia,incrivel e como ninguem ve, tem dia que so queria estar na beira de um rio ,ouvindo o som da agua, curtindo o vento,passaros cantando,sinto falta do cheiro do verde,da terra molhada pela chuva, de colher ovos no galinheiro, ver o sol se por num horizonte limpo azul e sentir a brisa da noite fresca chegando, sentar na porta de casa com os amigos tomar umas cervejas falar besteira inofencivas, …..,serio que esta acontecendo com o mundo???Ou so eu vejo que tudo de bom esta deixando de existir???

  60. Luiz disse:

    Acho que cada opção tem seus pontos positivos e negativos. Sou de Fortaleza, morei minha vida toda aqui, e apesar de não ser uma cidade tão grande quanto Rio de Janeiro ou São Paulo, aqui se sofre bastante com os problemas de qualquer cidade grande. No que a cidade grande perde mais pontos pra mim, sem dúvida, é na questão do trânsito e da violência, e por consequência uma piora drástica na qualidade de vida. Já fui assaltado com arma apontada pra minha cabeça, e o mesmo ja ocorreu com minha namorada e com meus pais, sendo que minha mãe foi assaltada na porta de casa. Vivo com medo de invadirem a minha casa, de ser assaltado nos deslocamentos diários, etc. Não que eu ache o interior o paraíso na terra, onde nada de estranho acontece, mas acho que não dá nem pra comparar. E o trânsito, em horário de pico – e às vezes fora dele – está infernal, e só tende a piorar. Vc demora 1 hora pra percorrer míseros 10km, então pra quem tem compromissos longe de casa é um inferno (Em uma estrada boa dá pra fazer dezenas de km em 1 hora). Sinceramente, o nível de stress simplesmente não compensa. A não ser que vc faça sempre tudo a pé e não tenha medo de assaltos.

    O interior me parece ter mais qualidade de vida, mais tranquilidade, mais simplicidade no viver. Fora que é mais barato, nada é muuuuito longe de casa e, como disseram, o dia rende mais. O problema é que o brasileiro supervaloriza demais a cidade grande, acha “chique” morar na capital. Pra mim, o pecado do interior é justamente a tranquilidade em excesso. De vez em quando eu gosto de agito, algo diferente pra fazer, sair à noite, etc. A falta de uma maior variedade de opções de bons restaurantes, de cinemas, bares, baladas, pessoas diferentes, etc, me incomoda um pouco. Por isso eu acho que o ideal seria morar em um interior de porte médio e que seja desenvolvido, ou ao menos em um sítio pertinho dele, e que conte com bons hospitais, escolas, cinema, uns bares legais, mesmo que poucos, uns restaurantes, uma certa vida noturna, etc. Diria assim, que de uns 100 mil a no máximo uns 300 mil habitantes. E aí, o ideal mesmo seria esse sítio ou essa casa ser a no máximo uns 300 km de alguma capital, como São Paulo por exemplo, por alguma rodovia duplicada, que aí você alia o melhor dos dois mundos: Mora em um lugar tranquilo, e quando quiser curtir alguma coisa diferente, rapidinho você viaja e já tá na cidade mais badalada do Brasil! :D

    O problema seria a questão da oferta de empregos e do dinheiro, mas aí já é pra outra discussão!

  61. Marcos disse:

    Entrei neste site para pesquisar sobre “morar no interior” pois é meu sonho. Tenho 48 anos Nasci em São Paulo e morei apenas 5 anos no interior de SP, Campo Limpo Paulista dos 10 aos 16 anos. Depois voltamos para São Paulo. Foram os 5 anos melhores de minha vida. Não vejo a hora de ir embora daqui. Não aguento mais o stress daqui. Por enquanto estou pesquisando para onde ir. Somente uma coisa a reclamar de todos os posts, ninguém deu nomes aos bois. Deveriam ter citado o nome da cidade de cada um para se ter uma ideia. Boa Sorte a todos no interior ou capital.

  62. Maria disse:

    Morar no interior é PÉSSIMO! Atualmente estou residindo em Ribeirão Preto/SP por motivo de trabalho.Essa cidade ridícula. As pessoas são moralistas e falsas. Assim que possível vou “fugir” daqui.
    Imaginem que o passa-tempo das moças que vivem nessa cidade é passear em shoppings minúsculos, vestidas como “árvore de natal” rs.

    • nr disse:

      Voce quis dizer que as pessoas do interior são falsas moralistas, né? Vivem gritando aos 4 ventos que o pessoal de cidade grande é muito moderninho ( sobre questoes sexuais), mas eu nunca vi tanta p******** na minha vida, e depois a mulherada vai na missa (que mais parece um desfile de moda), p/ ser perdoada pelos maridos e por Deus, os chifrudos perdoam e fica por isso mesmo.

  63. jason disse:

    só caipira gosta de interior é um verdadeiro lixo morar no interior FIM DE CARREIRA.

  64. Maria disse:

    Ribeirão Preto/SP é um “lixo” as pessoas são falsas. Aqui vc não tem nada para fazer! É só fofocas, pessoas que gostam de ser melhor uns que os outros. O-D-E-I-O essa cidade! só estou aqui à serviço, mas se Deus quiser daqui a pouco, espero que no máximo, ano que vem eu esteja longe daqui! Essa é a PIOR CIDADE DO MUNDO!!! DETESTO RIBEIRÃO PRETO!!!

  65. Fanny disse:

    moro no interior e é uma MERDA! sorte q no fim do ano q vem ou no maximo no outro ano vou embora,tenho 15 anos e to perdendo muita coisa nessa merda! concordo com tudo q vc falo menos a poluição e a violencia pq tem em toodo lugar..

  66. Fernando Felix disse:

    Moro no interior do Pará,pago um guarda para vigiar minha rua e minha casa,não ando á pé á noite e até de dia estão roubando quem faz caminhada,se não tiver celular,leva o tênis ou até a camiseta ou se aborrece por não achar nada para roubar e esfaqueia.Droga rola solto,de vez em quando aparece uns acertos de contas,presenciei 2 tiroteios na praça onde as pessoas se reunem para tomar uma cervejinha,acabou o sossego também no interior,polícia pouco atuante,bandido ‘deita e rola’.Se voçês acham o interior de voçês ruim,é porquê não conhecem o estado do Pará(Deus me livre),ainda bem que estou me aposentando,e quero voltar para minha terra,também interior,mas de Minas(Ouro Preto) ou
    em outra cidade onde vivi e gostei muito(Sorocaba). Capital,grandes centros….tô fora,isto não é vida!

  67. Gustavo disse:

    ‘Vivo’ no interior de Minas, isso, vivo entre aspas, a cidade onde moro tem uns 80 mil hab, 60 mil na cidade o resto na zona rural.

    As pessoas aqui fazem de conta que o que temos é a unica coisa no mundo, como se a cidade fosse o centro do universo.

    Aqui não existe esse negocio de criar algo, tornar-se rico vindo de uma família pobre ou não tendo herança, aqui vale a lei do comodismo, quem é rico continua cada vez mais quem é pobre não tem para onde crescer, pois a maioria das pessoas ou vivem sendo exploradas pelos donos de fazendas ou trabalham para a prefeitura, e a cada 4 anos é um inferno aguentar as eleições, pois apesar de todos se dizerem ‘amigos’ nessa hora o que vale é quem vai ganhar para ajudar as famílias e amigos próximos, enfim, não ganha o melhor candidato, ganha-se quem tem mais terra e pessoas manipuladas no rebanho.

    O tédio aqui é insuportável, obviamente não existe cinema, teatro, shopping, e nem nada que seja padronizado, onde eu sei que indo lá iria encontrar algum lazer, pelo contrario, temos somente praças a céu aberto, onde as pessoas em todo final de tarde ficam exibindo os carros, ninguém desce, nas praças ficam os skatistas e outros radicados pela sociedade e pessoas que não tem condições de ficar dando voltinha de carro.

    Sair para comer aqui é uma aventura, em todos os restaurantes, se paga pela cara do dono do mesmo, a comida muitas vezes não tem um padrão, os ambientes não são pensados nos clientes (banheiros sujos, mesas e cadeiras sem conforto, todo mundo fica coladinho no cliente da mesa ao lado, não da para conversar direito sem que quem esteja do lado fique ouvindo você).

    Sair pra namorar? outro suplicio, com 2 semanas de namoro e saindo 3 vezes por semana, você terá ido em todos os lugares da cidade (os que da pra levar uma mulher) e ai começa o tédio, se você não tem casa precisa procurar um motel que pelo menos isso aqui é bom mas custa muito caro, um motelzim de estrada na faixa de 50 reais duas horas.

    Todo mundo conhece todo mundo aqui, se você trocou de carro ou está andando em um carro camuflado todos vão saber, nos postos de gasolina quando você chega todo mundo fica fitando você, tentando fazer uma analise de você, quanto vc ganha, você é filho de quem, essas coisas, que tem pela cidade toda.

    O falso moralismo nessas cidades pequenas é alto, chega a ser bastante confuso, pois ao mesmo tempo que uma pessoa fala mal de outra, no dia seguinte está bebendo com ela no bar mais próximo, bar, alias a unica coisa que tem nesse lixo.

    Sobre musica e outras coisas, prefiro nem comentar, de uns 10 anos para cá as pessoas apenas dão moral para sertanejo, aquelas duplinhas ridículas mesmo que faz sucesso por causa de 1 musica, o povão se fode o mês todo para comprar um ingresso para esses lixo e quem ganha? logicamente que as únicas pessoas que ganham algo são os promotores das festas, que ficam depois o resto do ano desfilando suas caminhonetes e ganhando poder entre os mais fracos, só assim mesmo para terem reconhecimento, pois seus cérebros são minúsculos.

    Segurança? Nesse lixo de cidade aqui, veio um presidio de segurança, trouxeram centenas de marginais para cá e juntamente com isso suas famílias, enfim, drogas e roubos são frequentes nos sites de jornais da cidade, que a proposito, apenas falam disso.

    É deprimente, você querer almoçar fora e descobrir que todos, todos os restaurantes param de servir comida as 14:30 , e a noite, tudo fecha as 23 horas, depois disso, se você quiser comer algo que não seja esses lanches porcos e imundos que servem nas ruas, não existe.

    Deprimente saber tb que o PIB dessa merda de cidade não é tão baixo assim, as pessoas andam de carros de pelo menos uns 30 mil reais, moram em casas boas, mas só isso, elas não tem cultura, não sabem ouvir musica, não sabem comer, não sabem se vestir ,não sabem respeitar quem é diferente.

    As pessoas andam de carros como se fosse uma casca, como se ele falasse quem você é, de qual família é etc.

    INTERIOR DE MINAS GERAIS É O PIOR INFERNO QUE POSSAM IMAGINAR
    MORO AQUI INFELIZMENTE A MUITOS ANOS, ESTOU NA LUTA PARA MELHORAR E SAIR DAQUI

    • nr disse:

      “O falso moralismo nessas cidades pequenas é alto, chega a ser bastante confuso, pois ao mesmo tempo que uma pessoa fala mal de outra, no dia seguinte está bebendo com ela no bar mais próximo, bar, alias a unica coisa que tem nesse lixo.”
      Igualzinho onde eu moro, alias uma paulista morando no Interior do RS, é piada, eles só faltam me queimar em praça pública (que alias aki so tem 2).

  68. Furuka disse:

    Meu irmão, que sorte vc tem. Moro em Salvador, aqui temos: sujeira, falta de saneamento, gente mal educada, piores motoristas do planeta, corrupção ativa passiva em qualquer orgão publico, politicos do pior, praias super poluidas, ruas esburacadas, calçadas inexistentes, transito caotico, aqui é terra de muro baixo, damos dez pra vc nao ganhar um, ah! O pior é aguentar essa coisa de axé, no carnaval a violencia, com aquele famoso cheiro insuportavel de xixi nas ruas, temos 30 carros roubados e entre 8 a15 assassinatos por dia!!!!!!!! Ia esquecendo,,,, muié bonita aqui não tem só canhão gordas,,,,, Quer trocar de cidade véio????!

  69. Jairo disse:

    Esta foi a pior besteira que já li, uma idiotice absurda. Moro no interior de SP, aqui tem tudo, estrada boa, Thermas, tranquilidade, sem transito, chego no trabalho em 3 minutos.
    A pessoa que postou esta msgm deve ter morado em algum iterior no fim do mundo, mas não no estado de São Paulo.

    Ah esqueci, meu time aqui está na primeira divisão e vejo os craques como Neymar de pertinho no pequeno campo do meu time, e detalhe… sem fila e violencia.

    Continue morando no estress, eu fico aqui… risos…

  70. irineu disse:

    Todos os comentários são sinceros, isso podemos sintir, eu nasci em São Paulo, e morei por cerca de quatro anos na cidade de Tupã, quando tinha 22 anos hoje tenho 41, lembro-me que as pessoas eram, digamos, difíceis, mas com o tempo fomos encontrando grandes amigos.
    A grande dificuldade foi ganhar dinheiro, tavez porque procuravamos da quantidade e da forma que conseguiamos aqui na capital.
    Me lembro que nunca fiquei tanto tempo com meu pai, onde realmente podê conhece-lô, tirar da minha mente uma imagem criada por anos de um homem durão, que nunca errava e não precisa de nenhum tipo de ajuda, também conheci um lado da minha mãe que até então não havia visto, pois naquela simples dona de casa, vi uma mulher com muitos atributos para ser empresaria ,convivi intessamente com meu irmão pois tinhamos responsabilidade serias de manutenção da família, viajando com um velho caminhão pelo interior de São Paulo e principalmente no Mato Grosso do Sul, essa experiência eu definitivamente devo ao interior e com certeza levarei comigo pro resto da minha vida, e isso valeu tudo.
    Lembro das paisagens, mas também lembro que muitas pessoas tentavam nos passar para trás, se no interior a poucos roubos à muito 171.
    Aprendi que uma cidade do interior depende muito da administração da prefeitura, onde as idéias, e ações modificam muito para melhor ou para pior.
    A familia vivia mais unida, realmente junta em uma chacará com galinhas, vacas,cachorros, pomar, realmente era um sonho.
    As vezes choro de saudade, as vezes entendo e agadeço a Deus por ter vivido ali.
    Comparar o interior com a capital, ou coisa parecida, é no meu ver impossivel, eu explicarei, veja bem tudo deve ser verificado: cultura, renda, ambiente, amigos, familiares, distâncias, e outros já citados nos outros comentários, quando temos tantos itens, naturalmente que vai ficando distante uma comparação e fugir disto e fugir da realidade.
    Na pratica posso dizer que quando voltei sozinho para capital, senti muitas dificuldades que antes não havia passado, exemplo o preço alto do aluguel, a dificuldade de viver em São Paulo sem emprego ou com um salário baixo.
    Hoje moro em São Paulo, sou casado e tenho um casal de filhos, penso em ir para o interior mas sempre penso também em como meus filhos iriam conseguir emprego, e também que eles queiram voltar para SP.

  71. Noto a falta de mais critério nas avaliações, isso confunde quem pensa em tomar uma decisão a respeito.
    Primeiro devemos saber quais os lugares, cada cidade, mesmo do interior de SP ou de outros estados cada uma tem suas especificidades.
    Nasci em SP capital, gasto de 4 a 5 horas por dia só p/ chegar e voltar do trabalho, isso não ajuda nem um pouco quem quer investir na carreira ou no aperfeiçoamento pessoal.Já fui assaltado tantas vezes que nem consigo me lembrar quantas, só em 1 ano um prejuizo de uns 30 mil. A polícia daqui, zona norte de SP se não for a mais corrupta do mundo leva o segundo lugar com todas as honras, tenho nojo de andar até pelas ruas desse lugar.
    Sou encarregado de produção em uma fábrica e viajo as vezes por cidades do interior do estado, vejo também muitas vezes drogas, prostituição , mas vejo também nas pessoas mais proximidade e muito mais honestidade. Sair a noite em Sp não tenho mais coragem morro de medo de algo acontecer com minha esposa e até mesmo com meus filhos. Penso em me mudar sim para o interior, mesmo lidando com os fatos de falta de cultura,da música sertaneja (amo rock, isso não dá p/ deixar), sempre que viajo avalio os pontos que considero mais importantes, segurança, trânsito, moradia, acho que a maioria das cidades do interior com mais de 100 mil habitantes tem um nível de desenvolvimento suficiente para possibilitar uma boa qualidade de vida, até mesmo se tratando de escolas e faculdades não podemos esquecer que o esforço de cada um conta tanto quanto a instituição.

    De qualquer modo conto com sugestões e idéias divergentes ou não.
    Obrigado a todos

  72. Helaine disse:

    Acho que se você pensa desse jeito do lugar onde mora não deveria morar ai e sim vir pra uma cidade grande onde você imagine que seja bom, afinal de conatas é muito feio cuspir no prato que comeu!!!!!

  73. Concordo com o amigo Gerson,lá em cima,que depende o interior.Se for uma cidadezinha mesmo, penso que deve ser complicado,agora se for uma cidade intermediária,acho que se tem mais chances de acertar.Moro em São Paulo,zona norte,41 anos,aliás no mesmo bairro,pois me casei com alguém daqui mesmo.Estou extremamente infeliz com a vida da cidade,não consigo pensar em nenhuma outra solução para melhorar a qualidade de vida da minha família.Sei que não vai ser fácil e estou morrendo de medo de errar feio,mas a realidade em que estamos vivendo em São Paulo diga-se de passagem, é catastrófica.Tenho duas filhas e preciso pensar em algo melhor para elas,pois além de todos os problemas já citados,pra mim o que está pesando,é a educação e lazer.Aqui pra se ter acesso a diversão ,precisa ter grana,é muito caro fazer um programa na cidade e a educação é 8 ou 80.Ou você tem muito dinheiro pra investir e pagar tudo qto que é curso ou tem que ser miserável pra conseguir de graça.Pago escola pra elas porque as da região são terríveis e por isso ,elas não conseguem cursos gratuitos e se já pago escola, não me sobra pra mais nada.Tenho pesquisado muitas cidades e este é um fator, que em algumas me agradou muito,vi umas em que as prefeituras tem investido bastante, na área de cultura e esportes.Bom, mas ainda estou caminhando pras ações,falta um pouco pra vias de fato.Mas estamos decididos,só não escolhemos o lugar.

  74. Joey disse:

    Moro no interior da Bahia,uma cidade chamada Brumado.Nossa,eu odeio demais essa cidade.lugar horrivel,parado no tempo,cidade pobre demais.Nao tem nada pra fazer nessa disgraça de lugar,so tem gente chata,pagodeiro,povo que so sabe beber e ouvir pagode e falar mal da vida dos outros.Aqui deve ser a pior cidade do interior pra se viver,serio mesmo.O clima daqui eh insuportavel,quente o ano todo,as piores pessoas que existem na face da terra vivem aqui.Povo feio,nojento,so ouve pagode,pra ser visto como gente aqui tem que ficar em porta de bar de segunda a segunda e ouvindo pagode pra ser respeitado.Nao existe emprego por aqui,eh bem precario.Se conseguir arranjar um, vive em regime de escravidao e ganhando uma mereca de salario,povinho mao de vaca dos inferno. Vou embora dessa disgraça de cidade,aqui eh uma visão do inferno!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Mayara disse:

      Engraçado, essa frase, “as piores pessoas que existem na face da terra vivem aqui”, era eu que costumava dizer. Nasci e cresci no interior de Santa Catarina (relativamente longe da Bahia).

      hahahahahahaha

      Interior é sempre a mesma merda!

    • nr disse:

      as piores pessoas que existem na face da terra vivem aqui!!(2)! Moro no interior do RS…

  75. Lilian disse:

    Discordo totalmente do rapazinho lá de cima que falou de Bauru, eu adoro morar aqui moro faz 15 anos e a cidade só cresce, ainda posso andar nas ruas, a comida é boa e diversão tem para todos os gostos, as ruas não estão mais esburacadas como antes a unica coisa ruim é o transito, mais fora isso, te muitas faculdades, oportunidades de trabalho tem plaquinhas na frente dos estabelecimentos contratando, além de shopping, a aliais inauguraram um muito bom que não perde nada para os de cidade grande, em fim não troco essa tranquilidade por nenhuma. Bauru é uma cidade do interior com cara de cidade grande e só tende a crescer em vista de outras cidades a violência é pouca. A e o lugar quem faz somos nós mesmos. Se não se sente bem é só se mudar, é questão de adaptação, o que é ruim para você pode ser bom para os outros.

  76. Rodrigo disse:

    bom vô começar dizendo que moro em Tanabi SP interior, aqui as pessoas são podres, o pessoal aqui é assim, se você tem tatuagem você é maconheiro, se usa camiseta de banda, esta com o demônio, fora que são intrometidos, tem muita violência, de todos os tipos, basta buscar no youtube um tio que mato o sobrinho por causa de politica por exemplo, e droga nem se fala, eu tenho uma loja super legal, vou ter que fechar, por que são tudo caloteiros, mas vou tentar abrir numa cidade maior ou buscar uma recolocação em outro lugar, são cabeça de fuinha, pois se tem um tênis melhor que o seu, já motivo pra te tentar te humilhar, cheios de cometer bulling, fora que o que rola aqui é sertanojo, estou cansado dessa cidadizinha de merda, aqui, eu ODEIO TANABI, mas num consigo sair daqui , to tentando vender minha casa, é ÓTIMA casa, mas num consigo vender, o dia que eu vender minha casa e conseguir vazar daqui, vai ser o dia mais feliz da minha, o povo aqui, não paga as contas, e gasta em festa do peão, baile, nessas porqueiras de interiorzão, fica deveno, mas enche a cada, o que é pior, é que eu não quero criar minha filha aqui, pois tenho medo das escolas daqui, já fiquei sabendo um monte de coisas que os professores podem estar fazendo, eu fico de olho, e o que é pior é a droga tomo conta da cidade, só se ve isso aqui a noite, fora que é um povo extremamente interesseiro.
    e é maçante morara aqui, pois nem um parquinho pra minha filha tem, e o poco que tem, os drogados quebraram, ou seja, não tem nada pra fazer, a não ser, beber e usar droga, ou se você for esperto, vazar no fim de semana pra outra cidade.
    isso aqui pra mim é o pesadelo que eu temo, continuar aqui, nem emprego tem, firmas grandes até, não paga os funcionários direito, uma destas empresas por exemplo, os empregados trabalharam o mês inteiro, o encarregado chego e falo, vocês querem sair da firma, vocês saiam, nós não podemos pagar esse mês, quem ficar, assim que pudermos, pagaremos com juros, e nem cesta básica deram, ou seja, são exploradores.
    não venham para o interior, principalmente Tanabi, cuja politica é podre, pior do que vocês pensam

  77. Andrea disse:

    Você não pode morar no interior se ainda tem o coração preso às coisas da cidade.
    Para fazer uma escolha como essa, sua alma precisa estar sufocada pelos sons, falta de tempo para diálogo e pressa das grandes cidades. Essas coisas te fazem abrir mão dos grandes campus universitários, cafés e opções divertidas.
    Vou falar um pouquinho também da questão da cidadania – que é o direito básico a uma porção de coisas pequenas que fazem da cidade sua casa.
    Eu sinto que no interior a cidade é muito mais sua – as feiras, as lojinhas, as igrejas. Parece que isso faz nascer um senso de pertencimento dentro da gente.
    Sabe do que sinto falta? de levar meus filhos na escola a pé, de comer comida realmente caseira em pequenos restaurantes, de tomar banhos de rio quando quiser, de colher frutas no quintal de casa, de trocar idéias sobre artesanato, ver fotos da infância das pessoas, assistir pimentas nascendo no pé.
    Sinto falta dessas coisas porque já vivi todas as urbanidades possíveis.
    E penso que sentir no ar o cheiro de café torrado faz valer a pena deixar para trás coisas boas junto com ruins, como placas de propaganda e muros pichados.
    Hoje moro em uma grande casa de condomínio nos arredores de Brasília, com boa parcela de verde ao redor. Mas fica longe de tudo e passo boa parte do dia indo e vindo para resolver demandas simples como escola, supermercado, etc.
    Sonho mudar para uma cidade média de interior, onde haja uma história cultural também e onde a feira, a biblioteca e os campos plantados de certa forma pertençam a mim e à minha família.

  78. Mayara disse:

    PERFEITO!!!!!!!!!!

    Morava no interior (só volto se for uma necessidade extrema) e esse texto descreveu a minha antiga cidade.
    Povinho com o cérebro do tamanho de uma ervilha, preconceituosos, fofoqueiros, moralistas e hipócritas (como vc bem disse)! Não que não existam pessoas assim em cidade média ou grande, Mas, geralmente, neste caso, as pessoas estão ocupadas de mais para vigiar a vida alheira

    Não conhecia cinema, e sempre quis conhecer (hj conheço e adoro).

    Sem falar da música sertaneja. Eu não curto sertanejo (principalmente essa modinha aí do sertanejo universitário) e era zoada na escola por isso.

    Nunca me encaixei, sempre fui diferente…

    Na minha antiga cidade, tem, a cada dois anos, uma feira de exposições, que duram oito dias. Todas as noites têm shows. Eu sempre ficava na expectativa, “esse ano vai ter, pelo menos um show que eu goste” e nada! Só sertanojo.

  79. sandra disse:

    Bom como tudo na vida rsrsrsr existem os dois lados. Sou de Santos-SP e morei muitos anos em São Paulo. Viver na praia é bom demais. Amo minha city. São Paulo amei morar porque morava bem: vila monumento, até parecia interior de tão tranquilo. Hoje moro numa cidade pequena. Odiei quando cheguei: por causa do moralismo, hipocrisia, fofocas, exclusão ( algumas cidades do interior parecem um feudo: os de fora não são muito bem vistos), e claro, por causa da musica sertaneja que não curto. Hoje 13 anos depois até que aprendi a gostar: existe sim mais qualidade de vida, você ganha mais tempo e descobre lazer e outras coisas interessantes. Quanto às pessoas acaba descobrindo que nem todos são “caipiras rsrsrsr. Enfim, hoje eu prefiro morar numa cidade pequena, mesmo porque já fui assaltada a mão armada e pelo menos onde moro isso não acontece. E eu trabalho no fórum dessa cidade.Mas claro vez ou outra uma ida a Santos ou Sampa é sempre bom

    • nr disse:

      Nossa, por favor me fala o nome dessa cidade, porque eu tbm morava em Santos e atualmente moro no interior do RS, eles so faltam me queimar em praça publica, porque morrem de inveja de quem vem de cidade grande, eu nao consigo fazer amigos, sao falsos, mentirosos, toda vez que vou a Santos, qdo volto, ficam me olhando de cara feia e me tratando como se eu fosse uma criminosa.

  80. LUIS CARLOS PONTELLI disse:

    bOM ACHO QUE O GAROTAO É URBANO TEM QUE MORAR EM METROPOLE MESMO, QUEM QUER AGITO, BALA PERDIDA, SAIDINHA DE BANCO, FLANELINHA, SHOPPING LOTADO, ARRASTAO EM RESTAURANTE ETCCCC MORA EM METROPOLE PRINCIPALMENTE EM SAO PAULO…. E QUEM NAO GOSTA DE MUSICA SERTANEJA..ESCUTAS MUSICAS AMERICANAS….E SE NAO SABER A TRADUÇAO…FICA OLHANDO PARA O RADIO….ABRAÇOS

  81. B disse:

    Você sofreu uma decepção e está claramente frustrado com a sua cidade.

    • B disse:

      A propósito, reclamam do preconceito mas vários “comentaristas” aqui cometeram preconceito com a cultura caipira. (Que por sinal, é uma das mais belas do Brasil)

    • Mayara disse:

      Vc falou sobre preconceito com a cultura caipira?

      Até onde eu sei, não faz parte da cultura caipira sair de camaro amarelo pra esnobar as minas na porta da balada. Tipo, ela quer o carro do cara, e em troca, o cara exibe ela como um troféu para os amigos e fica se achando o gostosão.

  82. Naldo Malheiros disse:

    Concordo em algumas coisas haha. Me mudei para o interior do Paraná há um tempo e não consigo me adaptar ainda. Mas, como uma imobiliária daqui diz.. quem sabe seja aqui o lugar onde vou começar uma história feliz, cara! =D
    ___

  83. DIDIO disse:

    Em fim suas colocações nada me acrescenta – afinal estamos na roda da vida e seja aqui ou ali, algo sempre que nos “desagrade” irá acontecer – Você fala sobre a questão musical, o que pude ver puro preconceito de sua parte, e no mais estar ou não em um determinado lugar vai pela opção do que se busca….. Você fala “nem encontra droga para se livrar do tédio” isso é de uma precariedade de pensamentos e de boa índole.

  84. Anti-interior disse:

    Concordo em tudo. So esqueceu de dizer o quanto o povo daqui só falta dar a bunda pra quem tem dinheiro, são todos falsos e so se aproximam por interesse, querem passar a perna em todo mundo (nao sei se é por estar em pequena região e tem maior competitividade ate por pouca coisa). Fora isso, faço suas as minhas palavras!

    • Mayara disse:

      Na verdade, na minha antiga cidade, o povo adorava puxar o saco não exatamente de quem tinha dinheiro, mas sim de quem tinha status, aparência. É foda vc estudar em uma escola pública e ver as menininhas achando que eram ricas. A vontade que eu tinha era de dizer: acorda, guria, vc está em uma escola estadual, sua patricinha do CARALHO!

    • nr disse:

      Concordo em tudo. So esqueceu de dizer o quanto o povo daqui só falta dar a bunda pra quem tem dinheiro, são todos falsos e so se aproximam por interesse, querem passar a perna em todo mundo (nao sei se é por estar em pequena região e tem maior competitividade ate por pouca coisa).(2)
      Moro no interior do RS

    • nr disse:

      Concordo em tudo. So esqueceu de dizer o quanto o povo daqui só falta dar a bunda pra quem tem dinheiro, são todos falsos e so se aproximam por interesse, querem passar a perna em todo mundo (nao sei se é por estar em pequena região e tem maior competitividade ate por pouca coisa).(2)
      Moro no interior do RS

  85. LUIZ ROCHA disse:

    Não gostar de música ou de cidade A ou B ou de A a Z, de carnaval e de calor, é direito de cada um, não se discute. Agora, dizer que:

    “….Essa “geração concurso” não tem vontade de trabalhar, quer se acomodar. Obviamente não dá pra generalizar, mas o que eu mais escuto é: “se forme, faça um concurso que vc nunca mais vai se incomodar”. Acho isso o fim da picada, pq a maioria da papulação tá se fodendo enquanto servidor tá fazendo greve e reclamando da vida. Queria ver esses caras no serviço privado”

    Cara! nunca vi comentário mais EQUIVOCADO.
    Primeiro: ..”não tem vontade de trabalhar, quer se acomodar” Quem quer se acomodar simplesmente NÃO TRABALHA em lugar algum;
    Segundo: ” …mas o que eu mais escuto é…” Mas qual seria mesmo a SUA opinião à respeito?
    Terceiro: “se forme, faça um concurso que vc nunca mais vai se incomodar”. Mantra dos maurícios e patrícias que sofrem lavagem cerebral na própria faculdade a respeito do concurso público. Quarto: “Acho isso o fim da picada, pq a maioria da papulação tá se fodendo enquanto servidor tá fazendo greve e reclamando da vida. Queria ver esses caras no serviço privado” Aqui o “achismo” se manifesta claramente sem qualquer base sólida, o que é também um direito de se expressar. Vamos organizar: O servidor ESTATUTÁRIO não pode fazer greve; o serviço privado, como o próprio nome diz é uma ……., em minha opinião, uma vez que “ralei” por quase 20 anos em setor privado e entendo um pouco do assunto. CONCURSO PÚBLICO NÃO É PARA QUALQUER UM. Tem que ter comprometimento, garra. Qual o maluco na casa dos 20 ou 30 ou mais quer abrir mão de finais de semana, de baladas, passeios, shows, chopp, namoros? Tem que ser muito determinado para encarar a maratona dos concursos. Na incapacidade de se enquadrar no perfil do verdadeiro “concurseiro” é muito mais cômodo juntar-se ao time dos “inimigos dos concursos” que, em sua maioria, jamais fizeram sequer pelo menos um. A dura realidade dos “concurseiros” é bem diferente daquela que a maioria das pessoas “acham”, e o resultado também. São verdadeiras histórias de superação pessoal e profissional daqueles que OUSARAM sair da fila indiana da mediocridade e escreveram sua própria história. Nesse sacrifício de alcançar uma vaga, NÃO há espaço para “diz-que-diz”, frases feitas tipo “pára-choque de caminhão” e de lero-lero, a concorrência é massacrante, é profissional, o cara não pode enrolar, tem que estudar mesmo. Mas uma vez: vá lá, veja como se faz, tente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 325 outros seguidores

Categorias
Arquivos
Estatísticas do Site
  • 657,192 visitas

Member of The Internet Defense League

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 325 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: