Música na Nova Era

Atenção: Esse texto será melhor compreendido se antes você ler a trilogia de quatro textos Se preparando para a Nova Era. Eu não posso obriga-lo a isso, é claro, mas não reclame se você não entender nada deste post. Obrigado.

Um dos aspectos que eu negligenciei quando escrevi a premiada série de posts sobre a chegada da Nova Era foi a música. Sabem como é, muita coisa para escrever, os posts ficaram grandes, não dava para escrever sobre tudo. Bem, então vamos reparar esse equívoco.

A música pós-2012 será radicalmente diferente do que temos hoje em dia. Isso significa que não vamos ter que aturar mais a dor de cotovelo da música sertaneja, as grosserias do funk ou os coloridos do Restart. Claro que isso é ótimo, mas o que vamos ouvir então ?

Definir música da nova era é uma tarefa inglória. Geralmente, qualquer coisa que use instrumentos exóticos – citaras gregas, gonzos tibetanos, atabaques africanos – e que tenha letras que falem de espiritualidade, ecologia ou como salvar as baleias pode ser encarada como música da nova era. Sim, você pensou direito. Gilberto Gil pode ser considerado um músico da Nova Era.

Há grupos de música da nova era que fazem algum sucesso hoje em dia. Talvez seja bom você começar a ouvi-los desde já, para se acostumar. Surgirão outros, com certeza, porque na Nova Era você poderá ser o que quiser. Como eu escrevi em outro texto, na Nova Era eu estarei bem, você estará bem, seu vizinho estará bem, seu cunhado estará bem, todo mundo estará bem e a vida será uma festa.

Para te guiar nesse novo e interessante caminho, vou apresenta-lo a dois grupos de música da nova era para você dar o primeiro passo para se acostumar com a musicalidade pós-2012. Aproveite e comece desde já a se preparar. Falta um pouco mais de um ano e meio.

Gregorian

Gregorian surgiu em 1991 na Alemanha, com a proposta de fazer versões de sucessos em canto gregoriano. Na verdade, os especialistas dizem que é um pseudo canto gregoriano, mas eu não sou especialista e você também não, então não importa muito. Já gravou 15 álbuns, o último nesse ano de 2011, intitulado Best of 1990-2010.

No começo Gregorian fazia somente versões de antigos sucessos. E algumas ficaram realmente muito boas, como essa de Wind of Change:

Ou essa, de The Sound of Silence:

Mas ficar cantando só isso estava ficando meio monótono, então eles resolveram incluir uma voz feminina no grupo. Geralmente quem mais canta com eles é Amélia Brightman, irmã mais nova e menos conhecida da Sarah Brightman, que também atende pelo nome artístico de Violet. Com ela o grupo pode diversificar um pouco as músicas, cantando inclusive algumas composições originais. E o resultado ficou muito bom, como em Moment of Peace, que com certeza será um hino da Nova Era pós-2012:

eRa

eRa (assim mesmo, com o R em caixa alta) é um movimento musical formado na França em 1996. Dizem que eRa é um acrônimo para Enminential Rhythm of the Ancesterses mas não encontrei confirmação disso em nenhum lugar. Eles tem oito álbuns gravados, o último em 2010, Classics vol. 2.

O problema em ouvir eRa é que você não entende o que ele estão cantando. E isso é proposital, já que eles cantam em pseudo-latim e pseudo-grego. Alguns trabalhos mais recentes incluem faixas em inglês e árabe mesclados com o pseudo-latim.

A “cara” do eRa nos videoclips é a dançarina chilena Irene Bustamante. Ela participa de quase todos os clipes, como esse em Mother, um dos primeiros sucessos do grupo:

Apesar da beleza de Irene, de vez em quando eles estragam o visual da pobre, como nesse clip de Misere Mani, em que a deixaram parecida com o Jack Sparrow:

Ao contrário do Gregorian, que dá um bom impacto nas apresentações ao vivo, o eRa não se dá muito bem nesse quesito, como nós podemos ver aqui nessa lamentável aparição na TV alemã em 1998:

Mas, se eles tropeçam ao vivo, os seus videoclips são muito bem elaborados, mais do que os do Gregorian. Esse aqui, de The Mass (uma versão de Carmina Burana do Carl Orloff Orff) é belíssimo, apesar de eu não ter entendido o final:

Por causa de todo esse “mistério” em torno das letras das músicas, que são na maior parte ininteligíveis, muita gente procura (e diz que encontra) as mais variadas referências nas músicas do grupo, que vão da magia celta aos cátaros (!). Pura bobagem, a graça é não entender a letra mesmo.

Então é isso. Gregorian e eRA podem ser uma boa porta de entrada para você começar a se acostumar com a música da nova era. Siga a partir daqui e trilhe seu próprio caminho. E regozije-se por não ter que ouvir nunca mais Luan Santana e Restart, que é o melhor dessa história toda.

About these ads
Marcado com: , , , , , , , ,
Publicado em Esoterismo, Humor
9 comentários em “Música na Nova Era
  1. nada de sertanojo nem restart? Aleluia! que venha a nova era…

  2. Angel disse:

    Conheci Era através da novela (Um Anjo Caiu do Céu), onde a música (Divano) fazia parte da trilha sonora. Desde então acompanho!

  3. Maitê disse:

    Carl ‘Orloff’ foi uma sátira proposital?? Se foi, nao colou! Se não foi, peloamordedeus corrige o nome do cara, que ele deve estar se revirando no túmulo!!!!!!!!!!!!

    Tenho a discografia (original importada) do Gregorian eu acho lindíssimo!!

  4. Jaqueline disse:

    Cara, descordo totalmente; Irene Bustamante está belissima no clipe Misere Mani. Ou você queria que o visual dela fosse pacerido com o do clipe Mother?! Analise, meu caro, o objetivo artistico, esqueça; um pouco: a carne, o concreto… isto é arte já que decidiu falar sobre o assunto…

    Adoro o trabaho do Gregorian, entretanto creio que suas apresentações, ao vivo, poderiam ser mais criativas, trazer mais arte em suas aparições; pois as julgo muito previsíveis – e este não deve ser o objetivo de um grupo com tamanho potencial artistico. Porém, com certeza, cantam muito bem ao vivo.

    Os clipes do Era são impecáveis, parecem produções de cinema, além de muito originais, criativos e acima de tudo, legitimamente, artísticos. Pena que os vídeos do Gregorian não se libertam de um cenário monótono. Inclusive, o contexto do clipe da música Ordinary World, da banda inglesa Duran Duran, nada tem haver com a mensagem da canção. Por quê? Porque parecem se preocupar, somente, em trajar-se como monges!!!

  5. Alexsander Kossaosacovski disse:

    Nova era é coisa do diabo. Vão se fuder!

  6. Luiz fernando disse:

    Caraa não acredito que você esqueceu da Enya que é considerada a rainha da nova era. As musicas dela transborda temas da nova era.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 325 outros seguidores

Categorias
Arquivos
Estatísticas do Site
  • 657,294 visitas

Member of The Internet Defense League

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 325 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: