A ex-maior tragédia de Nova York

Até os ataques terroristas de 11/9/2001, a maior tragédia de Nova York tinha acontecido em 15 de junho de 1.904, no incêndio do navio General Slocum.

O navio havia sido alugado para o passeio anual da escola dominical da Igreja Evangélica de Confissão Luterana São Marcos, fundada em 1847 por imigrantes alemães (veja uma imagem da época aqui).

1.300 pessoas estavam nele, a maioria mulheres e crianças.

1.021 não voltariam para casa.

Havia  uma hora que o passeio havia começado quando um pequeno incêndio começou no convés inferior.

Um marujo que investigava o cheiro de fumaça abriu uma porta, fazendo com que a rajada de vento alimentasse o fogo. Começa aí a tragédia.

A tripulação não havia sido treinada para o caso de incêndio e entrou em pânico. O comandante, Capitão Von Schaick, resolveu não encostar o barco na margem e seguiu em frente pelo East River. Posteriormente ele alegou que não queria levar o incêndio para a terra.

Enquanto o barco prosseguia a todo vapor, o incêndio se alastrou.  Centenas se jogaram na água, mas poucos sabiam nadar. O Corpo de Bombeiros esperava que o navio viesse a terra para poder agir, mas o Capitão Von Schaick seguia obstinado até a ilha North Brother, perto de onde hoje é o famoso bairro do Bronx, onde pretendia encalhar o barco.

Enquanto isso, no convés, um parto estava sendo realizado.

Duas mães experientes ajudavam uma jovem mãe a dar a luz. Ao seu redor, o fogo se alastra, pessoas se jogam na água, outras morrem carbonizadas.

E nesse cenário de dor e morte, a criança nasce. A mãe sequer o limpa. Pega o bebê, o enrola num xale e pula com ele nas águas turbulentas do rio.

Pouco depois o General Slocum encalha na ilha North Brother. Alguns passageiros se salvam, mas o número de mortos chega a 1.021.

Assim que desembarcou, o capitão Van Schaick foi preso por negligência. Pegou 10 anos de cadeia, mas só cumpriu quatro, sendo perdoado pelo presidente William Taft. Eu ouvi alguém aí falar a palavra impunidade ? É, essas coisas aconteciam nas terras do Tio Sam também…

Entre as 61 vítimas cujos corpos nunca foram encontrados, estavam o da jovem mãe e seu bebê recém-nascido.

Adela Liebenow, que tinha oito meses em 1904, foi a mais jovem sobrevivente da tragédia e está viva até hoje, conforme atesta essa foto.

Atualmente, um memorial no Cemitério Luterano de Middle Village, no bairro do Queens, relembra a tragédia.

Anúncios

Um comentário sobre “A ex-maior tragédia de Nova York

  1. Tá legal… “Havia uma hora que o passeio havia começado quando um pequeno incêndio começou no convés inferior.” Mas vai a pergunta: como o fogo começou, o que causou exatamente? Foi feio o desastre, hein? Olha a atitude do capitão… negligência PURA, é o Schettino lá de 1900… fala sério!! [:x]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s