Estréias desastrosas – Um post de estréia

Meu nome é Frank Toogood. Vocês ainda não me conhecem. Mas vão me conhecer. Sou o novo contratado do Henderson para este blog (com um salário de 2 graviolas por texto…). É com satisfação que inicio minha primeira coluna aqui no Depokafé. Já que é uma coluna de estréia, resolvi falar sobre algumas estréias famosas que foram desastrosas, esperando que esta não seja uma delas. Sabe como é. Aprender com os erros dos outros é bem menos prejudicial.

Começamos em meados de 1950. Estreava no Brasil um meio de comunicação que segundo alguns, seria uma “febre” no começo, mas não substituiria o rádio. Sim, caros leitores do Henderson… Falo da televisão. No dia da estréia, uma das câmeras quebrou. O pior é que os produtores tinham importado apenas 2 câmeras. Resolveram arriscar e entraram no ar, ao vivo, com apenas uma. Quase que a estréia da televisão no Brasil vai pro saco, junto com a câmera que quebrou.

O Teatro Municipal de São Paulo também teve uma péssima noite de estréia. Convites enviados, ingressos vendidos e tudo pronto para a estréia da Ópera Hamlet de Ambroise Thomas que seria protagonizada por Titta Ruffo (???). Bom… Quase tudo pronto. Os figurinos que estavam programados para chegar no dia 11 de novembro de 1911, dia do espetáculo, não chegaram. Mandaram avisar que só chegariam no dia seguinte. Teatro sem figurino é igual macarrão sem molho: Ta lá, mas não tem a menor graça.

Não se sabe se a high society teve que voltar para casa assim que chegou ou se conseguiram avisar todos a tempo, mas o fato é que a estréia cancelada, para os produtores, foi um desastre.

Já bem mais recente, o Ypiranga-PE estreou na Copa São Paulo de Futebol Jr. Não foi lá um sonho de estréia… aliás… Foi um pesadelo de estréia. O time de Pernambuco tomou uma lavada de 12 a 1 do Grêmio. Com direito a 7 gols de Rafael Martins (seria ele o novo Afonso?). Segundo o técnico da equipe, o goleiro tremia tanto no intervalo que quase foi substituído. E ser substituído no intervalo por má atuação, acaba com a carreira de qualquer goleiro. Uma estréia memorável, pelo lado negativo, claro.

O caso seguinte não é bem uma inauguração, mas é como se fosse. O chinês Zhang Huabang (!) chegou animado ao 1º dia de trabalho. Só não esperava que fosse tão desastroso. O emprego que tinha conseguido era de tratador de leões. Entrou na jaula (sem os equipamentos de segurança!) e foi atacado por 3 leões. As mordias penetraram em lugares que ele jamais sonhou que pudessem penetrar. Foi operado nas pernas, tórax e cabeça e ficou em coma durante um bom tempo. Mas sobreviveu. Os dias fora do trabalho deve lhe custar alguns trocados no salário. Mas pelo menos ele aprendeu a não entrar nas jaulas sem os equipamentos de segurança.

Depois desses casos, eu só posso esperar que esta coluna tenha sucesso. Até a próxima!

 (Frank Toogood é estudante e adora pizza. Não sabe no que essa informação contribui para o texto, mas em compensação tem um blog. Aliás… dois).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s