Como não escrever um livro

Nesses maravilhosos tempos de internet, blogs e e-books, pode parecer estranho, mas algumas pessoas ainda existem insistem em escrever textos que depois serão impressos e se transformarão em algo chamado “livro”.

Hoje em dia, com a impressão on-demand, qualquer um que escreva mais ou menos dentro da norma culta (ou que possa pagar bons revisores) e que tenha uns trocados no bolso pode publicar um livro sem muito esforço.

O que move essas pessoas ? A “materialidade” da coisa, o orgulho de ter o nome impresso numa capa de livro, a chance de ser “descoberto” por uma grande editora ou somente a realização de um sonho ? Não importam os motivos, mas a verdade é que é tão fácil publicar um livro hoje em dia que parece que qualquer um pode fazê-lo. Ledo engano.

Publicar é fácil. Escrever é que são elas. E, com a experiência acumulada de já ter começado pelo menos uma dúzia de “best-sellers” nas últimas duas décadas – e não ter terminado nenhum – eu apresento hoje no Depokafe algumas dicas de como NÃO escrever um livro. Afinal, bons blogs sobre literatura e que podem ajudá-lo a escrever um (bom?) livro são o Lendo.org ou o Alessandro Martins. Aqui é o Depokafé mesmo.

Primeiro: não faça um roteiro. Uma idéia na cabeça e um teclado na mão são suficientes para você começar um bom livro. Não vai ser suficiente para você acabá-lo, a menos que você esteja disposto a ser motivo de piadas. E isso nos leva a nossa segunda dica:

Faça um roteiro ruim. Pior do que não ter um roteiro não é, mas ter um roteiro ruim é um desastre. Quanto mais tempo você gasta com o roteiro, menos você vai sofrer depois. Mas a maior parte dos aspirantes a escritores pula esse “pequeno detalhe” e já sai logo escrevendo meia dúzia de capítulos, antes de se perder completamente e apagar tudo.

Não seguir o roteiro. Partindo do pressuposto que você tem um roteiro, seja ele bom ou ruim, não segui-lo é o melhor caminho para o fracasso. Inventar uma reviravolta no meio do livro e mandar o roteiro a merda às favas pode acontecer com um gênio da literatura, mas você é um amador. Então não invente, ou deixe isso para o final.

Ter mais personagens do que você consegue controlar. Eu chamo isso de síndrome-da-enganação. Você lota o seu livro de personagens, na ilusão que você vai confundir o leitor e ninguém vai sacar que o mordomo é quem matou o Coronel Mostarda com o candelabro na cozinha. Mas você não esta enganando ninguém e, o que é o pior, deixa um monte de personagens inúteis “soltos” na trama.

Outra coisa que acontece com frequência é o autor se empolgar e encher o livro de personagens e depois não saber o que fazer com eles. Aconteceu comigo na minha última tentativa de escrever um livro: eu tinha 144 (!!!) personagens que eram do mesmo grupo de “escolhidos” (sim, era um épico) da minha personagem principal. Resolvi matar a maior parte deles e deixar só o “núcleo” com a personagem principal e seus quatro amigos. Resultado: o livro virou uma carnificina e não andou mais.

Idealizar demais seus personagens: outro erro comum. Você idealiza demais um personagem. Pode ser a mocinha sofredora ou o herói invencível, você transforma o seu personagem em algo que só se encontra…nos livros. Aquela mocinha que deixa o amor da sua vida de lado porque está sendo chantageada pelo vilão ou aquele herói ilibado que ajuda desde velinhas a atravessarem a rua até descobrir a cura da AIDS não colam mais. As pessoas que gostam deste tipo de personagem assistem novela, não lêem livros.

Deixar seus personagens tomarem conta do livro: Pode parecer frescura de (pseudo-)escritor, mas tem ocasiões que você simplesmente não consegue fazer os seus personagens agirem como você quer. Eles criam personalidade própria. Aí o personagem fica artificial, idealizado, chato, ou tudo isso junto.  Desse ponto em diante não tem jeito, a não ser matar a sua personagem. Como você não vai conseguir, o melhor a fazer é desistir logo e partir para o próximo “best seller”.

Mostrar seus escritos aos amigos: Esse é o pior dos erros. Seus amigos, seus familiares e colegas de trabalho NÃO devem ler seu livro antes de pronto. Porque eles só vão elogiá-lo, o que fará com que seu ego se inflame e você se considere o novo Luis Fernando Verissimo. Elogios rasgados (e na maior parte falsos) não são o que você precisa enquanto está escrevendo um livro. Se possível, imprima seu projeto de livro e mande para seu pior inimigo. Se você não tem um pior inimigo arrume um com urgência, é essencial. A possibilidade dele nem ler o que você escreveu é grande, mas se o fizer as críticas dele vão fazer você escrever bem melhor na próxima tentativa.

E isso nos leva à última dica: Achar que vai ser fácil. Afinal, você é um grande leitor, tirava as melhores notas na escola, talvez até tenha feito ou esteja fazendo Letras ou algo do tipo. Você tem uma idéia genial, seus amigos elogiam seus textos. Vai ser moleza. Nada que algumas madrugadas escrevendo no PC, com o MSN ligado e o fone de ouvido tocando sua música favorita não resolvam, certo ? ERRADO. Vai dar trabalho. Você vai reeescrever o mesmo capítulo umas dez vezes. O revisor vai jogar por terra a doce ilusão de que você escrevia corretamente. Você vai desistir e depois começar tudo de novo, e de novo, e de novo…

Claro que esse não é um guia definitivo. Posso, e devo, ter esquecido muita coisa. Mas é um bom começo. É só não cometer os mesmos erros que eu apontei aqui. Afinal, o verdadeiro sábio é aquele que aprende com os erros dos outros, não é mesmo ?

Anúncios

23 comentários sobre “Como não escrever um livro

  1. Tem uma outra dica que é: quando estiver escrevendo, leve a sério a idéia genial que não tem nada a ver com o que está sendo desenvolvido, pare tudo e escreva só sobre ela. Você pode ter certeza que a idéia é tão sensacional que não vale a pena economizar esforços para seu desenvolvimento!

  2. Bom artigo, agora tenho certeza de que nunca escreverei um livro. Prefiro muito mais passar por aquela sensação de autor apócrifo, de que alguém em algum lugar sugou as idéias da minha cabeça e teve o tino de pôr tudo em papel.

  3. Adorei, você realmente e muito bom,ajuda os novos escritores,com suas criticas pessoais de como nao escrever um livro, espero que possa ler meus manuscritos.

    obrigado.

  4. ADOREI. Eu já comecei dezenas de “best selers”, e não terminei nenhum. O fato é que eu tenho uma criatividade tão insana que vem milhares de idéias “geniais” na cabeça e tento encaixar todas elas em um livro só, além do meu perfeccionismo extremo que não me deixa sair dos primeiros capítulos. Adorei mesmo as dicas.

    Beijos. ( indo arranjar um pior inimigo )

  5. Tenho já em andamento alguns episódios de meu futuro livro, mas a minha revisora é muito boazinha, já que trato de um livro sobre Bipolaridade Eufórica, compulsões e um conjunto de muitas maldades. De cada episódio apresentado, tenho que tirar toda a parte ruim, estou achando que deste jeito, o livro só terá capa e contra capa e olha lá.

  6. adorei as dicas. Principalmente a 7ª sobre NÃO mostrar o livro que ainda não está terminado para os amigos.
    Minha professora de português tinha excesso de expectativa com relação aos meus livros. E vivia insistindo muito no assunto. Não abro mais a boca pra dizer que estou começando um livro. HUAHASUHSAUSA’

    Beeijo*

  7. De fato cada um segue a maneira que quizer seguir…de fato o único aproveito que tem aqui nessa pagina é o 3° comentario ( é isso ai Gabiru), não tenho dicas , não vou dizer que é assim que se deve escrever um livro…mas se repararmos bem todos nós sabemos contar histórias, dizemos pra alguém o que aconteceu ou como aconteceu aqui lo…, sabemos dar aquela introdução belissima (dependendo do fato) pro “ouvinte” cair na gargalhada ou chorar com a noticia…pensa mais em como vc conta uma história pra alguém pra conta la pra você (ex:como foi que seu 1° cachorro morreu, conte a alguém “ou algo inportante pra vc” como aconteceu… como viveu e como terminou a morte dele! vc vai saber deixar alguém emocionado ou curioso pra saber o final, que por sinal é o mais importante, qualquer um ja fez isso, todos nós soubemos pular a parte desnecessária pra que a pessoa não ache nossa conversa desagradavel ou chata)! É isso aí…kkkkkkkkkkkkkkk

  8. Mto bom! Parabéns!
    Vai ajudar mta gente…
    Confesso q cometi alguns desses erros algum tempo atrás…Talvez por nunca ter pensado em escrever um livro, a forma com que a história foi me “apresentada”(Sou amador mesmo, tive uma inspiração…rs) me assustou e me empolgou um pouco( Assustou mais do q empolgou…). Agora consigo me conter mais. O difícil é manter caladas as 5 pessoas pra quem contei algum trechinho…rs… Farei um curso para roteiristas(aqui no Brasil ou na França) tendo em vista a proporção q isso tomou em minha vida.
    Diria que não consigo ser mecânico e superficial, seguir exatamente todas as regras,pelo “tato” e sensibilidade que tenho( comedidos, aparados os excessos) como causadores da minha vontade e alma da minha obra. Lógico que tudo dentro de uma harmonia e organização para fins comerciais futuros.

    Desejo sorte aos q se encontram na mesma situação que eu!

    Até a tarde de autógrafos. (rs…brincadeira…)

    Abraços!

  9. Eu estava em dúvida se deveria fazer ou não um roteiro, porque na maioria das vezes o roteiro acaba não sendo seguido fielmente e isso me deixa frustrada. Mas pensando por outro lado, naqueles momentos em que você tem um “bloqueio criativo”, um roteiro é o que te salva. Nem sempre aquilo acaba se tornando a melhor das obras, mas só de conseguir finalizar um projeto é um bálsamo para a alma.
    Concordo que a opinião dos amigos geralmente atrapalha, especialmente quando você não está totalmente certo sobre a sua ideia; de repente você acaba mostrando pra um amigo e ele diz que está ótimo, então você segue em frente com algo que deveria ser morto e enterrado e isso se torna uma gigantesca perda de tempo ¬¬’

  10. Outra dica (como escritora q ja viu varios erros nas pessoas) é sair perguntando oq vc deve colocar ou como começar. Ja me perguntaram um monte de coisas ate como seria os personagens, suas personalidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s