Epitáfio para um cão

Lord Byron tinha um cachorro. Não só um cachorro, mas ele também teve um texugo, um urso, um crocodilo e uma águia. Mas ele era um gênio, então ele podia, né ?

Mas o que nos interessa para esse post é que Lord Byron tinha um cachorro, um terra-nova misturado com husky chamado Boatswain. Os dois eram inseparáveis, mas um dia o ativo cão foi mordido por um cachorro com raiva e contraiu a doença. Byron ficou arrasado, mas cuidou pessoalmente do seu amigo, mesmo correndo o risco de ser mordido.

Boatswain

Boatswain em um quadro na antiga propriedade de Byron

Boatswain morreu, e seu dono acho que ele deveria ser lembrando pelas gerações futuras. Byron mandou construir para ele um monumento em sua propriedade. E, o mais importante, escreveu um poema, “Epitáfio para um cão” considerado uma obra prima (tradução que eu peguei daqui, porque meus escassos conhecimentos da língua da terra da rainha não me permitem traduzi-lo eu mesmo):

Perto daqui
Estão depositados os despojos daquele
Que possuía Beleza sem Vaidade,
Força sem Insolência,
Coragem sem Ferocidade,
E todas as virtudes do Homem sem seus Vícios.
Este elogio, que seria uma Adulação sem sentido
Se escrito fosse sobre Cinzas humanas,
É somente um justo tributo à Memória de
BOATSWAIN, um CÃO
Que nasceu em Newfoundland em maio de 1803,
E morreu em Newstead, em 18 de novembro de 1808.

Quando um orgulhoso Filho do Homem retorna à terra
Desconhecido pela Glória mas sustentado pelo Berço,
A arte do escultor exaure a pompa do infortúnio,
E urnas ornadas registram aquele que descansa abaixo:
Quando tudo está terminado, sobre a Tumba é visto
Não o que ele foi, mas o que deveria ter sido.
Mas o pobre Cão, na vida o mais fiel amigo,
O primeiro a dar boas vindas, na dianteira para defender,
Cujo coração honesto é do próprio Dono,
Que trabalha, luta, vive, respira somente por ele
Sem honra se vai, despercebido seu valor,
Negada no Paraíso a Alma que tinha na terra;
Enquanto o homem, fútil inseto! tem a esperança de ser perdoado,
E reivindica para si só exclusividade no Paraíso!
Oh, homem! frágil, breve inquilino
Rebaixado pela escravidão, ou corrompido pelo poder,
Quem te conheces bem, deve rejeitar-te com desgosto,
Massa degradada de poeira viva!
Teu amor é luxúria, tua amizade inteira ilusão
Tua língua hipocrisia, teu coração decepção.
Por natureza mau, dignificado apenas pelo nome,
Cada irmão selvagem pode fazer-te corar de vergonha.
Vós! que, por ventura, contemplais esta Urna simples
Ficais sabendo, não homenageia ninguém que desejais prantear,
Para marcar os despojos de um Amigo estas pedras se levantam;
Nunca conheci nenhum, exceto um único — e aqui ele descansa.

boatswain_monument

Monumento em homenagem a Boatswain

Byron teria outros cães durante sua vida. Quando morreu, lutando pela independência da Grécia, tinha ao seu lado outro terra nova, Lyon e um buldogue italiano chamado Moretto. Quando fizeram uma estátua de Byron no Hide Park, com mármore enviado pelos gregos,a sua companhia não poderia ter sido outra que não Boatswain:

Estatua Byron

Byron foi imortalizado ao lado do seu amigo

E você ? Já abraçou seu cachorro hoje ?

Anúncios

3 comentários sobre “Epitáfio para um cão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s