Meme literário de um mês 2013 – dia 14

meme_literário

Direto e reto, sem tempo a perder, vamos à pergunta de hoje:

Dia 14 – “Nosso amor é impossível!”: conte sua história de amor por um personagem literário.

Não chega a ser amor, mas para não deixar essa resposta “xoxa” com as outras duas, vou citar duas personagens femininas que chamaram a minha atenção.

Primeiro, eu citaria Anna (sem sobrenome) par romântico de Emilio, em Aqueles cães malditos de Arquelau, de Isaias Pessoti.

Era o caso de Anna, por exemplo, que aos 33 anos de idade tinha já 15 de pesquisas sobre literatura e teatro grego. Lia grego corretamente e, curiosamente, no latim era, segundo ela mesma, um desastre. Tinha publicado apenas duas monografias, indispensáveis para quem quisesse entender Homero ou a poesia grega mais antiga. Escondia seu saber como uma colegial esconde o primeiro soneto, mas era, como dizia Tulio, um vulcão de conhecimento, pronto para soterrar qualquer interlocutor desavisado. Mas Anna tinha medo de apresentar-se a um doutoramento, mesmo sabendo que, em muitas teses, suas monografias eram citadas na bibliografia básica. Ela era um vulcão, também em outros sentidos, talvez mais importantes, como pude perceber mais tarde.

Aqueles cães malditos de Arquelau, Editora 34, página 16.

A história de Anna e Emilio é obscurecida pelo final estrondo, magnífico, espetacular (insira mais alguns adjetivos hiperbólicos a seu gosto aqui) do livro, quando o mistério sobre o “bispo vermelho” é desvelado, mas isso é assunto para outro post. O de amanhã, a propósito.

A outra é Tecla de Icônio, co-protagonista daquele que eu reputo ser a melhor obra literária já escrita por esse ciclo de civilização nesse planeta brega na borda oriental da galáxia, O caminho para a Bítinia, de Frank Slaughter.

…Foi para a moça junto a janela que o olhar de Lucas se sentiu irresistivelmente atraído. Ela olhava para o jardim quando eles entraram e, à luz do sol, seu perfil estava tão nitidamente delineado quando a cabeça de uma deusa grega numa moeda de ouro. Ela era tão espantosamente linda que Lucas prendeu a respiração ao vê-la. Tinha as feições de um grego clássico, os cabelos escuros, mas ondulados, presos com uma simples fita branca. Os olhos, escuros e francos, encontraram os dele quando ela virou a cabeça. Era alta para uma moça, quase tão alta quanto Lucas, e tinha o corpo tão gracioso quanto o de uma estátua grega.

O caminho para a Bítinia, Editora Círculo do Livro, página 147

O livro é um romance bíblico, e Tecla foi inspirada numa pessoa real, Santa Tecla de Icônio, uma santa cristã do século I que viveu altas aventuras com uma galerinha da pesada e morreu mártir. O verbete sobre ela na Wikipedia conta com uma pequena colaboração minha, inclusive. E o Lucas do trecho citado aí é ele mesmo, São Lucas, o único autor não judeu de toda a Bíblia.

Hoje foi bem melhor, não ? E aí, já visitou outros blogs que estão participando do meme ? Então faça isso, tipo agora!

http://batatatransgenica.wordpress.com/
http://breviariodashoras.blogspot.com.br/
http://www.terracotabolsas.com/rato/
http://bem-vindos-a-bordo.com/
http://pensamentosinsones.wordpress.com/
http://esperandooesperado.blogspot.com.br/
http://naterradaluavirada.wordpress.com/

Anúncios

Um comentário sobre “Meme literário de um mês 2013 – dia 14

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s