Diário de um triste – dia 4

Não seja um personagem. Molde um.

“Seja você mesmo!”

Se eu ganhasse um real para cada vez que ouvi/li isso, hoje eu estaria mais rico que Creso.

Balela. Essa é uma das maiores mentiras que as pessoas contam.

É uma mentira piedosa. Mas não deixa de ser uma inverdade.

Ninguém quer saber de você como você é realmente.

Menos ainda se você for como eu. Mas mesmo que não seja.

Se você se desnuda totalmente para alguém, se você põe para fora tudo o que realmente é, sem filtros, sem máscaras, você só consegue uma coisa.

Solidão.

Nunca, nunca, nunca, se dispa totalmente para outra pessoa.

Só para fazer sexo. E olha lá.

Eu sou triste, e esse é o quarto dia do meu diário. Faltam três.

Anúncios