A Bíblia tem mesmo razão ?

Em 1955 o jornalista alemão Werner Keller lançou o livro “Und die Bibel hat doch recht”, traduzido em português como “…e a Bíblia tinha razão”. A intenção do autor era mostrar que pesquisas arqueológicas mostravam a verdade história mostrada nos livros da Bíblia e que eventos como a migração de Abraão, o êxodo, a conquista de Canaã por Josué, o reino de Davi e Salomão, o cisma que se seguiu, a destruição do reino idólatra de Israel eram verdades históricas.

O livro fez um grande sucesso, e é vendido até hoje, tendo sido atualizado, mesmo após a morte do autor, com novas descobertas arqueológicas. Até que em 2001 os arqueólogos Israel Finkelstein e Neil Asher Silberman lançaram “The Bible Unearthed”, que algum editor gênio aqui no Brasil resolveu intitular de “A Bíblia não tinha razão”. A intenção dos autores era provar justamente o oposto: que os fatos históricos contidos na Bíblia eram, na sua maior parte, lendas e ficção compiladas e amarradas como uma história coerente que mostrasse a superioridade do culto a Jeová, na época do reinado de Josias, rei de Judá (a metade sul do reino israelita depois da divisão ocorrida quando Salomão morreu, e que supostamente se manteve a maior parte do tempo leal aos desígnios de Jeová) no século VII a.C.

Depois de pelo menos 25 anos estudando história bíblica, e depois de ter lido recentemente “A Bíblia não tinha razão” – procurei esse livro por muitos anos, mas só se acha em sebos ultimamente – eu creio estar capacitado para responder à pergunta que dá titulo a este post: afinal, a Bíblia tem mesmo razão ? E a resposta é (que rufem os tambores!): depende de para quem você pergunta.

Apesar de  Finkelstein e Silberman argumentarem, não sem razão, que a maioria dos arqueólogos hoje apoiam as idéias que eles compilaram em seu livro, eles mesmo apontam que não há consenso. E é normal em ciência que não haja consenso. Até hoje há quem não acredite que o HIV não é a causa principal da AIDS (a famosa hipótese Duesberg), por exemplo.

Se você lê lado a lado os dois livros – coisa que eu fiz – você repara que muitas vezes o mesmo achado arqueológico é interpretado de formas diferentes pelos grupos “a favor” ou “contra” da historicidade bíblica. Há dezenas de exemplos. Vou citar apenas um, já que esse texto corre o grande risco de ficar grande demais.

Megido foi uma fortaleza importante antes mesmo dos israelitas aparecerem na história. Pertenceu a caananitas, egípcios, assírios, babilônios, israelitas, romanos, bizantinos, muçulmanos e cruzados em pelo menos 3000 anos de história. É tão importante que uma das interpretações do Apocalipse (há mais interpretações do Apocalipse do que posts nesse blog, e olha que são mais de 500 posts nesse blog) diz que a batalha do Armagedom, em que Jesus derrotará definitivamente o Anticristo, vai acontecer lá.

Porque Megido é importante para a história bíblica? Por causa desse texto da Bíblia:

Salomão possuía cavalariças para quatro mil cavalos de carros e doze mil cavalgaduras para cavaleiros, que ele colocou nas cidades onde estavam abrigados seus carros assim como em Jerusalém, perto de si. (2 Crônicas, 9:25)

Umas das cidades fortificadas por Salomão, sabemos por outro trecho do livro dos Reis, foi Megido. E, adivinhem o que encontraram em Megido ? Sim, estábulos. Aí estão eles:

Tell_Megiddo_Preservation_2009_037Há pelo menos três interpretações para esses estábulos: há quem, como Keller, que defenda que eles foram construídos sob o reinado de Salomão, como está na Bíblia. Isso provaria que houve um reino unificado, que começou com Saul, passou para Davi e depois para Salomão, antes de ser dividido em dois no reinado do filho dele.

Para Finkelstein e Silberman, os estábulos são mais recentes. Ou são de Omri, no começo do reino do Sul, ou de Menaém, quando este reino era uma potência militar que tentou fazer frente à Assíria.  Para eles essa evidência, junto com outros sítios arqueológicos, provam que não existiu um reino unificado sob Davi e Salomão, e que o reino do Sul (Israel) foi muito mais poderoso e desenvolvido que o reino do Norte (Judá) até pelo menos o século VII a.C.

Há ainda, e esses são a minoria da minoria, quem ache que esses estábulos não são estábulos, são depósitos de grãos, e os chochos que foram encontrados eram para os jumentos que carregavam as cargas até os armazéns.

Agora pegue o exemplo de Megido e transporte para dezenas, quiçá centenas de sítios arqueológicos. Simplesmente não há consenso. Amanhã ou depois uma nova descoberta pode “virar o jogo” para qualquer um dos lados. Poderia até dizer que a resposta para a pergunta que dá título a este post poderia ser também: nós não sabemos.

Uma pergunta que sempre me fizeram quando sabiam que eu estudava esse assunto era: é importante que a Bíblia tenha razão ?

Para quem tem fé, não. Fé não se baseia em fatos. Mas há algo chamado geopolítica, e nesse ponto interessa muito que a Bíblia tenha razão.

Desde que o nacionalismo judaico, ou sionismo, se você preferir, se iniciou, em fins do século XIX, o objetivo sempre foi a volta dos judeus à terra de Israel. É a terra que foi dada a eles pelo próprio Jeová, na promessa à Abraão. E que até hoje ainda impulsiona alguns judeus no sentido de não aceitar a presença palestina na “terra santa”, afinal a terra é deles, não só por direito histórico, mas por direito divino.

Um dia saberemos se a Bíblia tem razão ? Provavelmente, a menos que inventem uma máquina do tempo, o que parecer ser impossível, não. Mas podemos procurar pela resposta, o que já é bem esclarecedor. Afinal, o que importa é a jornada, e não o destino, correto, pequenos gafanhotos ?

Grandes descobertas da ciência em 2007

A ciência moderna é surpreendente. É difícil passar uma semana sem o anúncio de uma descoberta revolucionária ou de um novo tratamento para o câncer, por exemplo. Depois descobrimos que a descoberta ainda tem que ser melhor analisada e que o tratamento só vai estar disponível comercialmente em uns cinco anos. O problema é que o tal dos cinco anos nunca chegam, ou você lembra de algum desses tratamentos descobertos em 2002 e que começaram a ser aplicados esse ano ? Pois é, nem eu. Deve ser tudo culpa de alguma anomalia temporal que escapa a nós, pobres mortais.

Em 2007 a ciência esteve muito ativa. Vejamos algumas descobertas desse ano.

O IMDLDCSO – Instituto Maximegalon para Descobrir Lenta e Dolorosamente Coisas Surpreendentemente Òbvias (Douglas Adams, of course) esteve muito ativo esse ano, por exemplo. Conseguiram descobrir como a bicicleta funciona, que mel é o melhor remédio para tosse, que a maior parte das pessoas não cumpre as promessas de ano-novo, que o cigarro de maconha é mais prejudicial do que o de tabaco e que mães de recém-nascidos só dormem três horas por noite. Imaginem quanto dinheiro não teria sido economizado se os nobres cientistas tivessem perguntado isso para os seus mecânicos, avós, amigos, alunos da faculdade e esposas, respectivamente.

Uma área que rendeu bastante pesquisas esse ano foi, é claro, o clima. E os cientistas parecem que não estão se entendendo. Richard Lindzen, do MIT, disse que o aquecimento global pode ser benéfico. Ele só não disse para quem. Já Malcolm Haylock disse que o aquecimento global não é o único culpado pela onda de calor na Europa. Ele também não disse quem seria o verdadeiro culpado, portanto estamos aguardando. Enquanto isso, o pessoal da Universidade de Hohenheim, na Alemanha, criou uma pílula anti-arroto para vacas que eles prometem que vai ajudar a combater o aquecimento global. Fica a expectativa de como o a Índia vai reagir a esse invento e como os pecuaristas vão fazer para que as vacas tomem as pílulas. No meio de tudo isso, a melhor, a mais sensata e a mais óbvia idéia contra o aquecimento global veio do diretor do Museu da Ciência britânico, Chris Rapley: para reduzir o aquecimento global basta a humanidade ter menos filhos. Ele já foi convocado para dar palestras no interior do Nordeste a este respeito.

Já na série coisas-que-previnem-o-câncer os cientistas foram bem ativos esse ano. Entre outros, foi descoberto que as suas chances de ter câncer serão reduzidas se você comer agrião, cacau e tomar café preto. Nossos valorosos cientistas também descobriram que o jejum faz bem para a saúde (dos ratos), que romã é bom para impotência, que uma proteína do pepino-do-mar combate a malária e que soja preta diminui o risco de ter diabetes e beber leite também. Só não disseram que tipo de leite e se ele deve ser bebido sem açúcar. Descobriram também que, o fato de você não gostar nem um pouco de frutas e verduras começou enquanto você ainda estava no útero da sua mãe. Impressionante, não ?

No campo comportamental os cientistas também fizeram várias descobertas i-m-p-o-r-t-a-n-t-í-s-s-i-m-a-s (repararam na ênfase ?). Por exemplo: otimismo não ajuda a curar o câncer. (OH !). E que homens de voz grossa tem mais filhos. E que filhos pequenos deixam os homens infelizes. Então, se você tem voz grossa tem mais chance de ser infeliz ! Cuidado. Talvez seja melhor tomar um banho de banheira, porque descobriram que isso diminui a fertilidade masculina. E descobriram também que torcedores de futebol pensam no assunto a cada 12 minutos, em média. E que um em cada quatro britânicos se arrepende do casamento. Deve ser por isso que um cientista italiano previu que no futuro toda a humanidade será bisexual. Foi descoberto também que os cabelereiros são os profissionais mais felizes. Não felizes naquele sentido, seu preconceituoso. Em tempo: a mesma pesquisa apontou que os gerentes de recursos humanos são os mais infelizes, seguidos pelos advogados e as secretárias.

Já se você fuma, duas péssimas notícias: 90 % dos bebes que morrem da síndrome da morte súbita tinham mães que fumam, e fumar aumenta as chances de ser careca. Esses dois motivos vão se juntar a todas as outras centenas de bons motivos para se parar de fumar. Não se sabe o impacto disso no número de fumantes no mundo, mas não deve ser muito significativo.

E, para terminar, algumas pesquisas científicas bizarras de 2007 (e essas nem ganharam o IgNobel): zumbido de abelhas afugenta elefantes e parar de comer doces pode prolongar a vida em 15 anos (então por que será que não temos um monte de velinhos diabéticos por aí ?). Descobriram também a fórmula do sorriso perfeito e também do biscoito perfeito (e essa custou 360 mil Reais, imagine só). Também inventaram um tapete voador, mas ele não carrega pessoas. Para que serve, então ? Talvez servisse para distrair o maluco do presidente da Gâmbia, que diz que pode curar a AIDS em três dias. Será que ele trás a pessoa amada no mesmo tempo também ?

E que venha 2008, com mais descobertas bizarras, estranhas e fora do comum. Se eu não tivesse medo de ser processado pelos herdeiros do Douglas Adams eu até criaria um blog só para o Instituto Maximegalon para Descobrir Lenta e Dolorosamente Coisas Surpreendentemente Òbvias. Apesar disso, o Depokafé vai continuar atento à ciência em 2008. E, quem sabe, se nós conseguirmos um bom advogado o blog do IMDLDCSO deixe de ser só uma idéia. Ou não.